Salvar o relacionamento depois de uma traição

· novembro 10, 2015

Ser infiel vai contra o que há de mais sagrado em um casal: a confiança.

A infidelidade é algo que pode ser imperdoável, mas muitas pessoas conseguem perdoar o seu cônjuge (ou, ao menos, tentam). É que muitas vezes, vale a pena tentar perdoar, dando outra oportunidade ao companheiro e à relação. Inclusive, se ambos se comprometerem e falarem sobre isto, o casal poderá sair fortalecido desta dura prova.

Uma traição pode acontecer por muitos motivos, nem sempre justificáveis. De qualquer forma, muitas pessoas preferem perdoar se o seu cônjuge está verdadeiramente arrependido, para salvar o casamento e uma vida em comum, em que há várias implicações.

Mesmo que no início possa parecer um processo simples, com o passar do tempo não será tão fácil assim. No transcurso da relação podem ir aparecendo certas inseguranças e medos, que se não forem abordados com o outro de forma clara e sincera podem transformar o processo de recuperação em um verdadeiro martírio e sofrimento.

Por isso, se você decide perdoar o outro e ele está arrependido, é importante o estabelecimento de um compromisso, pois caso contrário o ressentimento, o rancor e os ciúmes podem vir à tona.

Perdoar uma traição é coisa de dois. Quem foi infiel precisa compreender o dano que causou e estar verdadeiramente arrependido disso, e a pessoa que foi traída precisa estar segura de que pode perdoar a outra. Se ambas partes estão de acordo e continua existindo amor entre elas, será mais fácil.

Uma das coisas mais importantes para salvar a relação é a comunicação. Falar sobre o acontecido, expressar como se sentem e como poderiam enfrentá-lo são alguns dos pilares básicos para iniciar um período de recuperação do casal.

Conselhos para salvar o casamento após uma traição

– Não tome nenhuma decisão importante de forma precipitada, apenas entenda a situação. Deixe passar o primeiro momento, tranquilize-se e depois reflita sobre o que aconteceu.

– Aceite os seus sentimentos de raiva, incerteza, agitação, medo, dor, tristeza, etc. Está tudo bem. Isso é normal. E a vida não vai acabar por isso.

– Cuide de si mesmo e evite fazer bobagens. Aconteça o que acontecer depois, você não merece passar por coisas ainda piores.

– Procure formas de aliviar o estresse que o ajudem a ver as coisas com lucidez. Procure o equilíbrio, já que esta é a chave para conseguir enfrentar a traição.

– As lágrimas também são saudáveis. Chorar ajudará a liberar a tensão e a raiva. Descarregue-se.

– Fale com seu cônjuge sobre a traição. Procure esclarecer o que aconteceu. Mesmo que não queira falar com você por vergonha, pelo menos você fará ele ver que você está tentando compreender e resolver as coisas.

– Procure ajuda profissional. O problema de uma traição não é a infidelidade em si, e sim tudo o que há por trás.

– Evite jogar o jogo das culpas. A traição gera um conflito muito sério que pode trazer muita sujeira à tona. E nada irá mudar.

– Não devolva a traição por raiva. Você nem vai aproveitá-la e também não vai conseguir nada de bom com isso.

– Assuma que a relação muda depois de uma traição. Assuma isso e viva o seu luto como quando você perde um ente querido. A vida continua, e você precisa aprender a viver sem isso que você perdeu. Isto não significa que o seu casamento não possa ser renovado e fortalecido, mas será diferente.

– Pense de forma prática. A situação financeira, os filhos, etc., são coisas que podem ficar muito complicadas com um divórcio. Pode ser que valha a pena perdoar e assim evitar maiores danos.