Serge Moscovici: biografia e obras mais importantes

outubro 30, 2019
Serge Moscovici foi um homem preocupado com a compreensão dos fenômenos sociais e psicológicos do mundo ocidental. Criou várias teorias sociais. Entre as mais conhecidas e utilizadas, estão as relacionadas às representações sociais.

Conheça a biografia de Serge Moscovici (1925-2014), um psicólogo social francês conhecido por suas contribuições para a teorização sobre as representações sociais.

Sua perspectiva e abordagem teórica influenciaram notoriamente quase todas as disciplinas das ciências sociais, especialmente a antropologia e a sociologia.

Ao longo de sua vida, ele recebeu inúmeras condecorações e prêmios. Além disso, ocupou vários cargos acadêmicos e administrativos importantes.

A seguir, faremos um tour por sua vida e nos aprofundaremos em algumas de suas contribuições mais importantes no campo da psicologia social.

Primeiros anos da biografia de Serge Moscovici

Moscovici nasceu na cidade romena de Bráila em 14 de junho de 1925. Sua família era judia, então ele sofreu desde muito cedo com a discriminação antissemita.

Em 1938 ele foi expulso da escola em Bucareste por uma lei contra os judeus. Essa situação o levou a ingressar no Partido Comunista Romeno, considerado ilegal em 1939.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Serge Moscovici foi enviado a um campo de concentração. Ele ficou lá até ser libertado pelo Exército Vermelho em 1944.

Durante esses anos, aprendeu francês sozinho e leu muitas obras filosóficas de autores como René Descartes e Baruch Spinoza.

Campo de concentração

Após sua libertação, não ficou de braços cruzados. Nos últimos anos da Segunda Guerra Mundial, ele conheceu Isidore Isou, fundador do lirismo, com quem fundou a revista Da, focada em críticas literárias e artísticas. Infelizmente, ela foi censurada rapidamente.

Ao ver como os soviéticos se apoderavam de seu país, ajudou vários residentes sionistas a atravessarem a fronteira romena, razão pela qual foi julgado em 1947.

Depois de vencer o julgamento, ele decidiu deixar seu país natal para trás. Emigrou e chegou à França um ano depois, passando primeiro pela Hungria, Áustria e Itália.

Lá, graças a uma fundação para refugiados, conseguiu estudar Psicologia em La Sorbonne. Também estudou epistemologia e história da ciência.

Tour acadêmico

Sua tese em psicologia foi sobre a imagem que alguns membros da sociedade francesa tinham sobre a psicanálise nos anos 50. Seu orientador foi o psicanalista Daniel Lagache. Também foi discípulo do historiador e filósofo da ciência Alexandre Koyré.

Graças aos resultados de sua tese em psicologia, ele publicou seu primeiro livro A Psicanálise, Sua Imagem e Seu Público, texto em que apresentou pela primeira vez sua teoria sobre as representações sociais.

Essa nova teoria atingiu sua maturidade nos anos 80-90, com especial difusão e recepção na Europa e na América Latina.

Na década de 1960, ele foi convidado para ir aos Estados Unidos e lecionar no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Princeton. Também trabalhou na Universidade de Stanford e na Universidade de Yale, antes de retornar a Paris para se dedicar exclusivamente ao ensino.

Além disso, ele foi diretor do Laboratório Europeu de Psicologia Social, do qual foi um dos cofundadores em 1975. Também era membro da Academia Europeia de Ciências e Artes, além de membro da Academia de Ciências Russa e membro honorário da Academia de Ciências Húngara.

É preciso esclarecer que Serge Moscovici não era apenas um grande teórico, mas também colocou suas ideias em prática. Foi um militante defensor da ecologia e chegou a se apresentar como prefeito de Paris em 1960.

Ao longo de sua vida, ele apoiou movimentos de esquerda, assim como muitos intelectuais de sua geração.

Contribuições mais importantes da biografia de Serge Moscovici

Embora sua contribuição teórica mais importante sejam as representações sociais, as contribuições de Serge Moscovici não devem ser simplificadas. Entre elas, destaca-se a teoria das minorias ativas, que lida com a poderosa influência das minorias.

Tal teoria defende a tese de que a influência da maioria está supervalorizada. Porque se a maioria fosse tão poderosa dentro de uma sociedade, todos pensaríamos da mesma maneira.

Por essa razão, Moscovici contradiz o senso comum e propõe que todos os movimentos sociais foram iniciados por individualidades ou pequenos grupos. Portanto, a invenção e as mudanças sociais são realizadas por minorias.

Vários bonecos de madeira

Além disso, as pesquisas sobre inovação, conversão e crenças são guias para muitos estudiosos atuais de psicologia e ciências sociais.

Portanto, pode-se dizer que Serge Moscovici tem contribuições importantes em várias disciplinas, como antropologia, sociologia, matemática e epistemologia.

Serge Moscovici se preocupou em entender os fenômenos tanto sociais quanto psicológicos do mundo ocidental contemporâneo. Para isso, teve uma vida intensa e uma grande produção acadêmica que segue influenciando as novas gerações de psicólogos e cientistas sociais em todo o mundo.

  • Moscovici, S. (1979). La representación social: un concepto perdido. El Psicoanálisis, su imagen y su público2, 27-44.
  • Moscovici, S. (1996). Psicología de las minorías activas. Ediciones Morata.
  • Moscovici, S. (2002). Psicología social (Vol. 1). Anthropos Editorial.