9 sintomas raros de ansiedade que muitas vezes passam despercebidos

Os sintomas e sinais de ansiedade são bem definidos; no entanto, alguns deles podem passar despercebidos. Se você quer saber quais são, continue lendo!
9 sintomas raros de ansiedade que muitas vezes passam despercebidos

Última atualização: 21 maio, 2022

Alguns sintomas raros de ansiedade muitas vezes passam despercebidos. Em certas circunstâncias, a ansiedade pode ser considerada normal; no entanto, ela pode se tornar um problema de saúde mental quando se torna frequente, avassaladora e provoca um sofrimento clínico significativo.

Os sintomas de ansiedade mais conhecidos e comuns são nervosismo, sensação de perigo iminente, insônia, aumento na frequência cardíaca, tremores, sudorese, respiração acelerada e excesso de preocupação. No entanto, existem outros sinais menos usuais, que por serem raros podem passar despercebidos. Vejamos quais são eles:

1. Gosto amargo ou metálico na boca

Um dos sintomas raros de ansiedade é um gosto metálico persistente na boca. A ciência ainda não sabe ao certo a causa desse fenômeno, mas acredita-se ele que seja devido ao ressecamento e à redução dos níveis de saliva na boca como resultado da ativação fisiológica da ansiedade.

Em 2017, um estudo descobriu que a ansiedade diminui a secreção de saliva e causa xerostomia (ressecamento em condições normais de salivação).

Essas alterações no paladar também podem ser consequência da ativação de substâncias químicas que o corpo libera em resposta a uma situação ameaçadora. Por exemplo, a norepinefrina é conhecida por alterar temporariamente os receptores gustativos na boca.

2. Problemas estomacais

A ansiedade está ligada a problemas na digestão. De fato, distúrbios funcionais do sistema digestivo, como a síndrome do intestino irritável, são frequentemente associados a distúrbios como ansiedade, depressão e transtorno de estresse pós-traumático. Em uma investigação verificou-se que as pessoas com esta síndrome apresentam níveis mais elevados de ansiedade, depressão e angústia.

A ativação fisiológica da ansiedade, associada ao estresse que ela gera, pode afetar a produção e liberação de ácido gástrico, necessário para digerir e decompor os alimentos. A consequência pode ser uma gastropatia hemorrágica ou erosiva, conhecida como gastrite por estresse.

Mulher com dor de estômago por ansiedade.
O cólon irritável às vezes está relacionado a altos níveis de ansiedade.

3. Esquecimento frequente

As preocupações e pensamentos obsessivos típicos da ansiedade podem causar esquecimento, pois a informação não é bem codificada devido à atenção dispersa. Esses esquecimentos também podem ser causados pela má consolidação das informações pela falta de sono ou insônia.

A falta de concentração é outro sintoma de ansiedade que passa despercebido. Esse sinal é produto do fato de a pessoa estar absorta em suas preocupações e na ruminação de ideias. O foco exclusivo da atenção no objeto da ansiedade interfere na capacidade da pessoa de se concentrar.

4. Pesadelos recorrentes

Os sonhos têm uma ligação profunda com as experiências que uma pessoa ansiosa vive, se refletindo na forma como elas vivenciam a sua relação com o mundo. A sensação recorrente da iminência de uma ameaça pode se transformar em pesadelos, pois essa é a única coisa que está gravitando na vida da pessoa.

Muitas das emoções reprimidas, medos, ansiedades e preocupações que perturbam a pessoa ansiosa são expressas através de pesadelos. Esse tipo de sonho angustiante persiste repetidamente para manter o estado de alerta que a pessoa ativou como resultado da percepção de uma ameaça.

5. Condições da pele

As reações cutâneas podem ser devidas ao aumento nos níveis de cortisol e adrenalina. Descobriu-se que o estresse associado ao cortisol afeta, revela ou até exacerba uma série de distúrbios de pele, incluindo psoríase, dermatite atópica, prurido, alopecia areata, líquen plano, dermatite seborreica, rosácea ou mesmo a urticária.

O ser humano não foi projetado para estar sempre alerta. Esse modo de luta ou fuga provocado pela ansiedade pode ter sérios efeitos negativos no corpo. Além disso, a liberação contínua de produtos químicos para manter esse estado pode afetar a pele.

6. Bocejos repetidos

Outro sintoma raro de ansiedade que passa despercebido é o bocejo. Um estudo da Bournemouth University encontrou uma relação direta entre a frequência de bocejos e a produção de cortisol, o hormônio do estresse que é liberado em situações ameaçadoras.

Quanto mais bocejos, mais cortisol. Isso ocorre porque o cortisol aumenta a temperatura corporal e o bocejo ajuda a reduzi-la.

Esses bocejos também ocorrem como resultado da insônia ou devido aos problemas de sono que a pessoa com ansiedade tem. Por não dormir bem, é normal que ela passe o dia sonolenta, o que ativa ainda mais os bocejos.

7. Pés frios

Uma temperatura fria nas extremidades inferiores é um sintoma pouco identificado com a ansiedade, embora possa estar relacionado a ela.

Esse fenômeno ocorre porque o sangue tende a se acumular nos órgãos do tronco. Quando isso acontece, as extremidades, principalmente os pés, recebem menos sangue e, portanto, sua temperatura cai.

Pés frios.
As pessoas em estado de alerta contínuo podem ter os pés frios sem um motivo aparente.

8. Comportamentos impulsivos

Outro sintoma raro de ansiedade é o comportamento impulsivo. As pessoas ansiosas sentem suas emoções de forma avassaladora, o que as leva a agir de forma estranha.

Assim, esses indivíduos podem acabar dizendo ou fazendo coisas sem pensar. Essas atitudes impulsivas ou compulsivas acabam se tornando uma estratégia de enfrentamento pouco adaptativa para controlar os outros sintomas de ansiedade.

9. Mudanças nos hábitos alimentares

A ansiedade está associada à fome e ao consumo excessivo de alimentos (desinibição), como mostra um estudo publicado na Nature. Os pesquisadores sustentam, em conformidade com o que outras pesquisas vêm mostrando, que o consumo desinibido de alimentos pode ser uma estratégia de enfrentamento para regular as emoções negativas e a ansiedade.

Em outra investigação que buscou testar a relação entre a ansiedade e a ingestão calórica, verificou-se que, nas mulheres, uma maior ansiedade está associada a um maior IMC (índice de massa corporal), maior ingestão calórica, consumo de alimentos ricos em gordura e ativação persistente devido a estímulos alimentares de engorda após uma refeição.

Os sintomas raros de ansiedade podem variar de padrões comportamentais a cognitivos que afetam não apenas como uma pessoa se relaciona com o mundo, mas também como ela se relaciona consigo mesma por meio de hábitos saudáveis de alimentação e sono.

Quais destes sintomas você apresenta quando está ansioso ou ansiosa? Você sabia que eles estão associados à ansiedade?

Pode interessar a você...
Bloqueio mental devido à ansiedade: o que podemos fazer?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Bloqueio mental devido à ansiedade: o que podemos fazer?

O bloqueio mental devido à ansiedade é um fenômeno muito comum, mas às vezes pode nos levar a situações mais complicadas.O que podemos fazer?



  • Gholami, N., Sabzvari, B. H., Razzaghi, A., & Salah, S. (2017). Effect of stress, anxiety and depression on unstimulated salivary flow rate and xerostomia. Journal of dental research, dental clinics, dental prospects11(4), 247.
  • Hussenoeder, F. S., Conrad, I., Engel, C., Zachariae, S., Zeynalova, S., Glaesmer, H., … & Riedel-Heller, S. G. (2021). Analyzing the link between anxiety and eating behavior as a potential pathway to eating-related health outcomes. Scientific Reports11(1), 1-7.
  • Mayer, E. A., Craske, M., & Naliboff, B. D. (2001). Depression, anxiety, and the gastrointestinal system. Journal of Clinical Psychiatry62, 28-37.
  • Megha, R., Farooq, U., & Lopez, P. P. (2021). Stress-induced gastritis. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK499926/
  • Mestre, Z. L., Melhorn, S. J., Askren, M. K., Tyagi, V., Gatenby, J. C., Young, L. L., … & Schur, E. A. (2016). Effects of anxiety on caloric intake and satiety-related brain activation in women and men. Psychosomatic medicine78(4), 454.
  • Reich, A., Wójcik-Maciejewicz, A., & Slominski, A. T. (2010). Stress and the skin. Giornale italiano di dermatologia e venereologia: organo ufficiale, Societa italiana di dermatologia e sifilografia145(2), 213-219.
  • Roohafza, H., Bidaki, E. Z., Hasanzadeh-Keshteli, A., Daghaghzade, H., Afshar, H., & Adibi, P. (2016). Anxiety, depression and distress among irritable bowel syndrome and their subtypes: an epidemiological population based study. Advanced biomedical research5.
  • Smith, M. D., & Maani, C. V. (2021). Norepinephrine. StatPearls. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK537259/
  • Stanborough, R. (2020, 21 de diciembre). ¿Can Anxiety Cause a Metallic Taste in Your Mouth? Healthline. https://www.healthline.com/health/anxiety/metallic-taste-in-mouth-anxiety
  • Thompson, S., & Simonsen, M. (2015). Yawning as a new potential diagnostic marker for neurological diseases. Journal of Neurology & Neuroscience6(3).