Soniloquia, quando falo dormindo

· dezembro 1, 2017

Já lhe disseram que você fala dormindo? A soniloquia é uma alteração do sono que faz com que a pessoa que sofre dessa doença fale enquanto dorme. Curiosamente, é muito mais frequente do que pensamos, mesmo que nem todas as pessoas manifestem a doença da mesma maneira. Algumas emitem sons ininteligíveis, outras são capazes de dizer palavras soltas…

No entanto, há uma dúvida e também um medo que costuma surgir na mente de todas as pessoas que sofrem de soniloquia. Esse medo está relacionado à descoberta de segredos que elas não querem revelar. Mas será que uma pessoa com soniloquia consegue manter uma conversa coerente com alguém? É possível obter informações que conscientemente essa pessoa nunca revelaria?

A soniloquia pode ocorrer várias vezes durante o sono, apesar de sua duração geralmente ser curta.

O que realmente é a soniloquia?

A soniloquia é uma parassonia (distúrbio do sono) que costuma aparecer em pessoas mais jovens. Embora também possa aparecer se você sofre de estresse ou ansiedade, se você estiver com febre ou se sofrer de transtornos do humor. A razão dessa alteração do sono tem a ver com o desajuste de determinadas áreas cerebrais durante a ativação e a inibição das mesmas.

Diferentes áreas do cérebro são ativadas e inibidas à medida que vamos passando pelas diferentes fases do sono, que são 5 no total: adormecimento (fase 1), sono leve (fase 2), sono profundo (fases 3 e 4) e REM (Rapid Eye Moviment “Movimento Rápido dos Olhos” – fase 5). É nesse última fase que pode aparecer a soniloquia, embora também possa estar presente nas fases 3 e 4.

Como o cérebro age durante o sono?

A maneira como a soniloquia se manifesta é diferente dependendo da pessoa. Algumas pessoas podem gritar de repente, assustando quem estiver dormindo. Outras podem começar um monólogo de extensão considerável, mas difícil de interpretar e, às vezes, também podem manifestar emoções.

Falar durante o sono não é algo grave, é completamente inofensivo.

No entanto, podemos manter uma conversa coerente com uma pessoa que sofre desse distúrbio do sono? A resposta é “depende”. Há pessoas que são capazes de falar realizando pequenos monólogos. Outras parecem que estão em uma conversa com outra pessoa que as responde na própria mente. Nesses últimos casos, podemos tentar fazer alguma pergunta à pessoa. No entanto, será que ela vai responder ao que perguntarmos?

Os problemas relacionais que a soniloquia provoca

Muitas pessoas que sofrem dessa parassomia podem sofrer provocações das pessoas com quem convivem. Elas podem fazer essas pessoas se questionarem sobre se durante a noite perguntaram algo e a pessoa respondeu com sinceridade, deixando à mostra seus segredos mais profundos. No entanto, se a pessoa insistir em saber o que for perguntado e respondido, com certeza não vai obter resposta alguma.

Isso acontece porque as frases, as palavras ou os monólogos que produzem, em geral, não costumam responder a nenhuma estimulação do exterior. São produto do inconsciente e talvez de algum sonho que estejam tendo no momento. Mesmo se fizermos uma pergunta para alguém com soniloquia e ela responder, o mais provável é que essa resposta seja incoerente e fora de contexto.

Vamos analisar um exemplo. Uma mulher está dormindo na sala e uma amiga está por perto. De repente, parece que ela murmura alguma coisa e sua amiga pergunta “o que?”. A primeira volta a falar, agora um pouco mais alto. A amiga se aproxima, faz a mesma pergunta de novo e escuta com uma voz pouco audível “trilha sonora”. Por mais que a amiga pergunte o que é isso, é muito provável que não vá obter resposta à sua pergunta.

Mulher sonhando preocupada

Esse caso é muito esclarecedor, pois as pessoas que estão em contato com alguém que tem soniloquia costumam perguntar repetidamente a mesma coisa devido à escassa articulação das palavras e o difícil entendimento. Além disso, quem já passou por essa situação costuma dizer que a resposta mais comum da pessoa que sofre dessa alteração do sono é se virar e continuar dormindo.

Um dos problemas da soniloquia pode surgir quando, por exemplo, em um relacionamento a pessoa que sofre da doença pronuncia algum nome ou alguma frase completa que pode ser mal interpretada. O que disser não precisa significar nada. Na verdade, é muito provável que não tenha um sentido real. No entanto, pode provocar determinados problemas no relacionamento devido a esse mal-entendido.

Em outras situações, os gritos, os choros ou qualquer outra emoção expressada por essas pessoas podem impedir que os outros ao seu redor consigam dormir tranquilamente e podem fazer com que, inclusive, se assustem durante o sono. Para melhorar isso, são recomendados exercícios de relaxamento e descanso adequado, já que esses episódios não costumam ser comuns. Na verdade, quando ocorrem, costumam ter uma duração média de um ou dois minutos.

50% das crianças falam quando estão dormindo. No entanto, a porcentagem que corresponde aos adultos é de apenas 5%.

Homem sofrendo de insônia

Você sofre desse distúrbio do sono? Você conhece alguém que sofre? Se sim, agora você já sabe muito mais sobre esse comportamento. Isso vai permitir compreender melhor a situação, além de ajudar você a deixar de se preocupar caso alguém insinue que você revela seus segredos enquanto dorme.