Sou mulher, basta com o preconceito de gênero

Sou mulher, basta com o preconceito de gênero

junho 25, 2016 em Curiosidades 2 Compartilhados
Preconceito de gênero

Este artigo não pretende ser uma defesa fervorosa a favor da mulherde tal modo que algum cavalheiro possa se sentir ofendido. Se assim fosse já estaríamos entrando em um preconceito.

Assim como existem preconceitos sobre as mulheres, existem aqueles sobre os homens. Por isso, não nos interessa que estas palavras sejam o início de um debate de gêneros no qual alguém possa se sentir desprotegido ou, pelo contrário, excessivamente protegido diante do outro.

Na verdade, poderíamos dedicar outro artigo falando sobre os preconceitos de gêneros que existem sobre os homens e que, felizmente, muitos se encarregam de desmentir com suas atitudes e seu comportamento. Por isso, o que queremos é somente fazer uma reflexão aberta sobre o assunto.

Reflexões sobre o preconceito de gênero sobre as mulheres

Talvez existam preconceitos mais certos do que outros, também deixamos isso a sua escolha. A seguir, mostramos alguns dos preconceitos de gênero mais frequentes. Na reflexão está a resposta deste e de outros tantos temas.

1. A mulher sofre quando passa dos 40 anos e já não se sente desejada como antes 

Realmente é assim? Talvez em muitos casos isso ocorra. É verdade que a mulher vem sendo educada durante séculos para estar sempre jovem e bela. Mas, por que não dizemos chega? Uma mulher madura tem mil qualidades, tem a experiência de vida, e nós mesmas temos que gritar isso para o mundo com nossa atitude.

Preconceito de gênero

2. A mulher tem que dar mais para se sentir igual a um homem no trabalho 

Isso depende muito do país e felizmente em muitos lugares está informação já está obsoleta. Existem países nos quais é valorizada a capacidade da pessoa, independentemente de ser uma mulher ou um homem. Ainda falta muito para avançar, mas muito já foi percorrido.

3. A mulher sempre trabalha mais em casa do que o homem 

Talvez os mais jovens estejam adotando uma nova atitude com respeito a este assunto. Antigamente era definitivamente assim, pois era o único trabalho ao qual a mulher realmente podia ter acesso; cuidar da casa e de sua famíliaCom a incorporação da mulher no mercado de trabalho, parece que as coisas pouco a pouco vão mudando.

Mesmo que ainda falte muito para se avançar com relação a este tópico, cada vez é mais frequente ver ou escutar que alguns homens estejam se ocupando das tarefas de casa. Os homens estão mais conscientes de que quando ambos trabalham na rua, as tarefas devem ser repartidas igualmente.

Preconceito de gênero

4. Se uma mulher vive sua sexualidade com liberdade, não é considerada da mesma forma que o homem

Isso é algo que continua acontecendo, mas também depende do país. As mulheres nórdicas, por exemplo, desfrutam de sua sexualidade com liberdade há décadas, enquanto em outros países como Espanha, por exemplo, isso é algo que não acontece. E que papel os mais jovens têm nesse assunto?

Como indica o título “Sou mulher, basta com o preconceito de gênero” é somente para as situações que seguem existindo, que seguem perpetuando e que de modo algum podem se generalizar, porque, entre outros fatores, talvez o mais importante seja o lugar do planeta no qual nos encontramos. Uma mulher nórdica possivelmente entende a liberdade sexual de uma forma muito diferente da latina.

Sou mulher… então, chega com o preconceito de gênero?

Então, existem diferenças de gênero? Continuam existindo? Talvez sim, mas não devemos generalizar, nem exagerar. Com nossa atitude no trabalho, como educamos nossos filhos, com os comentários que fazemos… podemos mudar nosso ambiente, o pedacinho de mundo que nos rodeia.

E você, o que pensa? O que existe por trás dos preconceitos de gênero? Continuam ou não existindo? Dependem de quais fatores? As diferenças entre homens e mulheres continuam a existir?

Imagens cortesia de Yang Liu.

Recomendados para você