As mentes bem conservadas dos "superagers"

29 Setembro, 2020
Você já ouviu falar dos superagers? Esses idosos cuja memória está intacta parecem ter o segredo contra o envelhecimento cognitivo. Continue lendo para saber mais.

À medida que envelhecemos, nossas capacidades cognitivas começam a se deteriorar. As habilidades de raciocínio, memória e velocidade de processamento, que atingem seu máximo desempenho na idade adulta, são afetadas com a idade. No entanto, existe um grupo da população idosa que apresenta um desempenho superior em relação a outras pessoas da sua idade. Essas pessoas são chamadas de superagers”.

Esse nome é dado a pessoas com 80 anos ou mais cuja memória é tão boa quanto a de pessoas 25 ou 30 anos mais jovens. Isso tem gerado um grande interesse na comunidade científica, principalmente porque essas pessoas são ativas e não apresentam sinais de cansaço. Assim, existe a possibilidade de que elas tenham uma constituição genética diferente.

Existe um grupo da população idosa que apresenta um desempenho superior em relação a outras pessoas de sua idade. Essas pessoas são chamadas de "superagers"

Por que os superagers são especiais?

Em geral, os superagers são especiais porque têm habilidades mais altas do que o normal para a sua idade. Alguns especialistas os separam em duas categorias: superagers físicos e superagers cognitivos. As pessoas do primeiro grupo têm uma capacidade aeróbica fantástica. Já as pessoas do segundo grupo têm uma excelente memória, comparável à dos jovens.

Da mesma forma, é mais ou menos claro que as pessoas de ambos os grupos são mais resilientes diante das adversidades da vida. Pesquisadores até estudaram se suas características de personalidade incluem ser mais extrovertidos e menos neuróticos. Isso significaria que elas enfrentam os desafios de uma forma diferente. Talvez elas até se inclinem para atividades que aumentem suas capacidades cerebrais, como exercícios físicos ou outras atividades estimulantes.

Não se sabe exatamente por que apenas alguns idosos apresentam essas características. O que está claro é que pesquisadores de todo o mundo estão tentando descobrir mais sobre isso para poder ajudar os adultos que não as apresentam. Inclusive, eles já encontraram resultados sobre o que os diferencia e, portanto, por que atingiram este nível de cognição.

Um tipo de cérebro diferente

Os pesquisadores estão focados em estudar o cérebro dessas pessoas. Uma das descobertas que eles fizeram está relacionada à proteína beta-amilóide. Essa proteína, naturalmente presente no cérebro, pode acabar se acumulando em placas, que são um ponto-chave na doença de Alzheimer.

Eles observaram uma maior presença de beta-amilóide e até de placas nos superagers. No entanto, suas capacidades cognitivas e de memória estavam intactas apesar dessa presença elevada.

Além disso, parece que esses “super-idosos” têm mais neurônios von Economo do que a média de seus pares. Esses neurônios são um tipo especial de célula que, aparentemente, serviu para atender às demandas de um cérebro maior durante a evolução. Ao longo de seu desenvolvimento, eles se tornaram um centro de emoção, sensibilidade e inteligência emocional.

Os pesquisadores encontraram mais neurônios desse tipo em três regiões cerebrais dos superagers:

  • Córtex fronto-insular.
  • Pré-frontal dorsolateral.
  • Cingulado anterior (esse é mais espesso nos superagers e está relacionado às funções executivas, à empatia e à comunicação).
Grupo de idosos se divertindo

Aspecto social

Se considerarmos as características cerebrais que os diferenciam, seria de se esperar que também apresentassem um comportamento social diferente. Nesse sentido, um estudo da Universidade de Chicago comparou um grupo de superagers com um grupo de seus pares em termos de personalidade, bem-estar e memória.

Os pesquisadores observaram níveis semelhantes de bem-estar em ambos os grupos. No entanto, os superagers pontuaram mais alto na escala de relacionamentos positivos. Em outras palavras, eles apresentaram uma maior satisfação e qualidade em seus relacionamentos. Essa descoberta se ajusta ao maior desenvolvimento dos neurônios von Economo e do córtex cingulado anterior, estabelecendo-se como um ponto-chave na preservação de suas mentes.

Além disso, um amplo campo de pesquisa vem confirmando que atividades sociais e interações positivas são muito benéficas para a saúde cognitiva. Não apenas por causa da importância do apoio social, mas porque, quando interagimos com outras pessoas, ativamos todo o cérebro e aprimoramos algumas habilidades cognitivas. Entre elas, a memória, a atenção e a tomada de decisões.

Então, como podemos nos tornar superagers? Isso ainda não está claro. Inclusive, foram observadas diferenças genéticas nesse grupo mais conservado. No entanto, se considerarmos suas características, mais uma vez a natureza e as pesquisas nos lembram que o segredo para ser saudável é se manter física, mental e socialmente ativo.