A técnica do quebra-cabeça

Na técnica do quebra-cabeça, cada aluno é um elemento essencial e ativo na aprendizagem. Descubra como usá-la e entenda todas as suas vantagens!
A técnica do quebra-cabeça

Última atualização: 21 Novembro, 2021

Em muitas ocasiões, aprender uma matéria gera uma sobrecarga mental no aluno, o que dificulta a assimilação do conteúdo. Assim, o professor não deve ser apenas provedor do conteúdo, mas, sobretudo, facilitador do mesmo. Em última análise, ele deve ser um agente que torna o processo de aprendizagem mais leve e, para isso, é fundamental que saiba gerir o tempo de forma adequada. Nesse âmbito, hoje falaremos sobre a técnica do quebra-cabeça.

A perspectiva sócio-construtivista parte do pressuposto de que a aprendizagem se constrói em diversos aspectos, como a socialização e a cultura. É importante levar em consideração os diferentes aspectos contextuais que promovem a aprendizagem.

Por esse motivo, diferentes formas têm sido propostas para que o aluno aprenda os conteúdos educacionais, além da sua mera exposição. Um exemplo disso é a técnica do quebra-cabeça, que permite que os alunos acessem e aprendam o conteúdo de forma cooperativa.

O que é a técnica do quebra-cabeça?

O método do quebra-cabeça na aula

A técnica do quebra-cabeça é baseada no aprendizado cooperativo. Este tipo de aprendizagem é um modelo educacional que se baseia na organização de atividades coletivas e permite a aprendizagem tanto individualmente quanto em benefício do grupo.

Elliot Aronson criou essa técnica em 1971 com o intuito de promover o aprendizado e a motivação de seus alunos. Eles receberam muitas informações para compartilhar uns com os outros. Cada aluno é uma peça e, para finalizar o quebra-cabeça, eles precisam da peça que os outros colegas possuem.

Esta técnica é especialmente útil em áreas do conhecimento cujos conteúdos são suscetíveis de serem fragmentados. Assim, a informação é dada a cada aluno, tornando-se “um especialista” por parte do conhecimento. Os membros da equipe são responsáveis por aprender as informações correspondentes e ensiná-las, bem como aprender as informações dos demais membros da equipe.

Objetivos da técnica

Os objetivos da técnica são principalmente didáticos, ou seja, que cada aluno assimile as informações que lhe correspondem e também as dos demais. Em geral, esses objetivos são os seguintes:

  • Obter um melhor desempenho acadêmico.
  • Incentivar o trabalho em equipe e colaborativo.
  • Aprender a gerenciar informações, entendendo-as e internalizando-as.
  • Assumir responsabilidades, tomada de decisão e poder de iniciativa.
  • Trabalhar os valores, interesses e motivações.
  • Desenvolver habilidades sociais.
  • O aluno, como parte do quebra-cabeça, é um ser essencial, é parte sujeito e ao mesmo tempo objeto de aprendizagem.

As 10 etapas da técnica do quebra-cabeça

A técnica do quebra-cabeça é fácil de aplicar em sala de aula. Beltrán e Bueno destacam que essa técnica exige que o professor divida o tema a ser trabalhado em tantas partes significativas quantas forem as crianças em cada grupo de trabalho. As etapas são as seguintes:

  • Divida os alunos em grupos de 5 ou 6 pessoas. Os grupos devem ser heterogêneos em gênero, etnia, raça, sexo, etc.
  • Designe um aluno de cada grupo como líder. Inicialmente, o líder deve ser o aluno mais responsável do grupo e, posteriormente, alternar a posição.
  • Divida a lição do dia em 5-6 segmentos.
  • Designe cada aluno para aprender cada segmento.
  • Dê aos alunos um tempo definido para ler seu segmento duas vezes e entendê-lo. Não é necessário memorizá-lo.
  • Os alunos do grupo de especialistas discutem os principais pontos de seu segmento e ensaiam as apresentações que farão para o seu grupo.
  • Novamente, traga os alunos para seu grupo ou equipe de quebra-cabeça.
  • Peça a cada aluno para apresentar seu segmento ao grupo. Incentive outras crianças a fazerem perguntas sobre cada segmento (esclarecimento).
  • O professor percorre cada grupo, observando se a técnica está sendo executada corretamente. Se houver um problema, deve prosseguir para a intervenção. O líder de cada grupo deve envolver todos os membros na tarefa.
  • No final da sessão, é feita uma avaliação do material, para que os alunos percebam que não se trata apenas de uma tarefa lúdica, mas também de qualificação.

Desenvolvimento de habilidades

Professora tirando dúvidas dos alunos

Algumas das habilidades desenvolvidas com esta técnica são as seguintes:

  • Competência de comunicação. Cada aluno deve se esforçar para expressar e comunicar idéias com clareza e garantir que os outros as compreendam.
  • Competências sociais. Essa técnica incentiva o relacionamento interpessoal, a capacidade de se relacionar e trabalhar com um grupo de pessoas.
  • Competência digital. O uso das TIC como um canal de coleta ou troca de informações pode desempenhar um papel interessante nesta técnica.
  • Aprenda a aprender. A responsabilidade de ensinar ao grupo o que foi aprendido estimulará o esforço e a capacidade de aprendizado individual.

Vantagens da técnica

Em comparação com os métodos de ensino tradicionais, a técnica do quebra-cabeça tem as seguintes vantagens:

  • Possui uma curva de aprendizado simples.
  • É divertida, tanto para os professores quanto para os alunos.
  • Pode ser usada com outras estratégias de ensino.
  • Para que seja eficaz, é importante estabelecer uma periodicidade adequada de prática.
  • Considerar cada aluno uma peça imprescindível do quebra-cabeça favorece a integração, a motivação e o envolvimento dos alunos.

Em suma, a união faz a força na aprendizagem de determinados conteúdos. Portanto, a avaliação pedagógica e educacional não deve ser feita exclusivamente de forma individual.

O papel do professor é fundamental, não apenas como provedor de conhecimentos, mas também como guia, mediador da aprendizagem e responsável por buscar a sincronia entre os membros do grupo.

Pode interessar a você...
A educação emocional deve ser ensinada nas escolas?
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A educação emocional deve ser ensinada nas escolas?

A educação emocional é uma resposta às necessidades sociais que não são suficientemente abordadas nos planos acadêmicos comuns.