Tempos de um casal: o meu, o seu e o nosso - A Mente é Maravilhosa

Os 3 tempos de um casal: o meu, o seu e o nosso

Maio 13, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Tempos de um casal: o meu, o seu e o nosso

Uma das chaves para um relacionamento funcionar é o respeito mútuo. Há muitas maneiras e oportunidades de mostrar ao outro que entendemos, compartilhamos e aceitamos os seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Mas, talvez o que mais represente essa compreensão são os tempos do casal: o seu, o meu e o nosso.

Muitas vezes, por causa da monotonia, da chegada dos filhos, da falta de tempo ou por puro egoísmo, esquecemos do que necessitamos e optamos pelo “usual”: o abc da vida cotidiana. Somos absorvidos pela correria, pelas obrigações e pela rotina. Dessa forma, esquecemos de dedicar um tempo para o outro. No entanto, é preciso escapar desse círculo vicioso e fortalecer as bases do nosso relacionamento amoroso. Vejamos quais são os 3 tempos de um casal.

O bem-estar de um relacionamento está baseado na harmonia dos 3 tempos de um casal.
Compartilhar

Os diferentes tempos de um casal

O tempo do seu parceiro

Normalmente, uma das frases mais temidas em um relacionamento é “eu preciso de um tempo”. Se ouvimos isso do nosso parceiro os nossos sinais de alerta são ativados. As perguntas começam: você deixou de me amar? Vai me deixar? Eu o sobrecarreguei? Existe outra pessoa?

Embora seja verdade que, às vezes, algumas semanas separados podem salvar um relacionamento ou até mesmo reinventá-lo, é preciso tomar algumas medidas para evitar essa situação limite. Para não chegar a este ponto, é necessário entender e conhecer a pessoa com quem você está compartilhando a sua vida.

Casal apaixonado

Para conhecer melhor o seu parceiro é preciso que haja diálogo, e algumas perguntas podem ser feitas: o que você faz no seu tempo livre? Você gosta de andar de bicicleta, ler, caminhar, fazer compras? E quando você está estressado, o que faz para liberar toda a sua tensão acumulada? Mas, o mais difícil, normalmente, não é perceber ou conhecer os gostos e necessidades do outro; mas respeitá-los quando eles são diferentes dos nossos. E não boicotar esse espaço, mas deixar que o outro tenha esse tempo e o desfrute da melhor forma.

Se o seu parceiro gosta de sair com os seus amigos e contar piadas, incentive-o a fazê-lo. Não é conveniente que você se irrite, se mostre esquivo ou crie um ambiente pesado. E, claro, não é hora de mostrar ciúmes ou exigir uma escolha entre “eles e você”. O fato de fazer algo diferente não significa que o outro não o ama mais, mas simplesmente que precisa desse espaço.

O seu tempo

Os seus momentos também fazem parte desses 3 tempos do casal. Assim como você deve respeitar a necessidade do outro, também precisa de um tempo individualmente. Não cometa o erro de se privar daqueles momentos que o satisfazem, que o fazem feliz e trazem um profundo bem-estar. Se você não estiver bem, dificilmente conseguirá fazer o seu parceiro feliz.

A rotina pode ser aquele vento, aquele gelo ou aquela chuva que desgasta ou corrói o relacionamento. Se dentro dessa rotina não estão integrados alguns detalhes amorosos que façam a diferença e reforcem os alicerces da relação diante dos obstáculos e da passagem do tempo, é difícil seguir em frente de forma harmoniosa.

Nesse sentido, ao contrário do que é aconselhável, vemos muitas pessoas que, quando iniciam um novo relacionamento, deixam ou esquecem em um canto o seu tradicional círculo de apoio: amigos e familiares. Se quando vocês começaram a namorar, cada um tinha a sua “turma”, o seu trabalho, as suas distrações e os seus momentos de diversão, por que “abrir mão” de tudo isso?

É muito importante integrar a sobrevivência ou o prazer com o parceiro com os aspectos e dimensões pessoais que nos fazem felizes. Você pode desfrutar de tudo e também pode aprender a fazê-lo, caso haja algum obstáculo que faça resistência. A chave está em encontrar o equilíbrio para desenvolvê-los e, a partir daí, contribuir para a evolução do relacionamento.

Vocês decidiram caminhar juntos, mas isto não significa que tenham que fazer tudo juntos. É muito saudável que cada um tenha o seu espaço e seja nutrido pelas suas próprias fontes de energia. Dessa forma, você terá condições de apoiar o seu parceiro, por exemplo, quando ele estiver passando por um momento complicado e precisar de ajuda.

O tempo do casal

Os relacionamentos não são como os cactos que precisam ser regados somente algumas vezes por mês. Se os compararmos com uma planta, deve ser com uma planta muito mais delicada e que precisa de cuidados e atenção com mais frequência. Assim, é necessário cuidar dela todos os dias; caso contrário, se não lhes dermos atenção, elas murcham e podem até morrer.

Casal em paisagem bonita

Na verdade, uma das razões mais comuns pelas quais um relacionamento fracassa é a qualidade do tempo compartilhado. Portanto, o amor, a atenção, os detalhes e as demonstrações de carinho não devem ser uma exceção, mas a diretriz que marca o dia a dia de um casal saudável.

Mas tenha cuidado, porque a quantidade é tão importante quanto a qualidade. É preferível passar pouco tempo juntos e compartilhar bons momentos, boas risadas, conversas interessantes; deixar aflorar esse amor que os une.

O bem-estar de um relacionamento não se baseia em estar “grudado” no outro o tempo todo, mas em encontrar a harmonia nos 3 tempos do casal: o seu, o meu e o nosso. O objetivo será alcançar um equilíbrio no qual vocês se sintam confortáveis. E nada melhor que a comunicação para lançar as bases desse acordo implícito, onde o objetivo é o bem-estar de ambos, não de um só.

Recomendados para você