Tenho ansiedade todos os dias: o que posso fazer?

Cada vez que penso que minha ansiedade se foi, ela simplesmente volta. Angústia, preocupação, batimento cardíaco acelerado, tontura... Por que me sinto assim quase todos os dias?
Tenho ansiedade todos os dias: o que posso fazer?
Valeria Sabater

Escrito e verificado por a psicóloga Valeria Sabater em 15 Novembro, 2021.

Última atualização: 15 Novembro, 2021

“Tenho ansiedade todos os dias, vivo com o caos de pensamentos sempre ameaçadores e com aquela pressão eterna no peito que me impede de respirar.” Muitas pessoas descrevem essa realidade psicofísica exaustiva. É difícil ser produtivo nessas circunstâncias, é difícil manter um relacionamento e até encontrar coragem para se levantar todas as manhãs.

Alguns descrevem esse estado como se alguém repentinamente ligasse um botão. Então, a pessoa vai da calma para a opressão absoluta em um instante. A taquicardia aparece, as emoções são interrompidas e a fábrica de preocupações é acionada. Assim, embora a ansiedade seja um estado físico e mental normal, o problema surge quando ela excede as habilidades de gerenciamento da pessoa.

É como dirigir um carro e, de repente, sentir que a direção não está funcionando. O mundo está se acelerando e o sentimento de angústia e de que “algo terrível vai acontecer” é uma constante. É importante entender que, quando esse estado se torna cotidiano, podemos estar diante de uma condição psicológica mais complexa.

A ansiedade generalizada é uma condição mais estável ao longo do tempo que costuma afetar significativamente a vida da pessoa.

Homem preocupado na praia

Por que tenho ansiedade todos os dias?

A verdade é que todos sentimos uma certa ansiedade no dia a dia. Nosso ritmo de vida inocula em nós, de vez em quando, aquela sensação de falta de ar, de vazio no estômago e de relativa pressão que a maioria de nós conhece. Porém, são experiências que dominamos e que desaparecem quando relaxamos e desfrutamos de momentos de lazer.

Agora, há quem se sinta incapaz de descansar, pensar com clareza e desfrutar de alguma coisa, porque a ansiedade é persistente e deixa tudo opaco. Certos pensamentos se tornam intrusivos e ameaçadores. Muitas vezes sofremos de insônia, o cansaço é uma constante, o amanhã está sempre cheio de ameaças, preocupações com a saúde, preocupações com o trabalho, o futuro, o provável e ainda mais o improvável.

A vida se torna um emaranhado sufocante de angústia, embora a própria pessoa saiba que tudo o que teme é injustificado. Qual é a causa? Por que uma pessoa pode sofrer de ansiedade persistente?

Ansiedade generalizada, tão comum quanto negligenciada

O transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é uma condição psicológica estável ao longo do tempo e, em muitos casos, tem seu início já na adolescência. Não estamos errados se dissermos que essa realidade é o que está por trás da pergunta de por que tenho ansiedade todos os dias.

Esse distúrbio condiciona completamente a vida de quem sofre com ele. O mais complicado é que muitas pessoas sofrem em silêncio sem receber um diagnóstico. Às vezes, essa maneira de pensar e reagir às coisas é considerada um traço de personalidade.

A verdade é que estamos diante de uma doença tão prevalente quanto grave. Pesquisas como as realizadas na University of Sherbrooke, por exemplo, mostram que, em muitos casos, junto com a ansiedade generalizada, a depressão se desenvolve.

Estas são as características que definem este tipo de ansiedade de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5):

  • A evolução do transtorno é flutuante e crônica (às vezes vai embora, mas sempre volta) e piora em momentos de estresse.
  • Surgem preocupações persistentes e difíceis de controlar.
  • Surge junto com outros problemas clínicos, como fobias, depressão e transtornos do pânico.
  • Pessoas com ansiedade generalizada experimentam exaustão quase todos os dias.
  • Perturbações do sono.
  • Problemas de concentração.
  • Ocorrem inúmeras somatizações, como dores de cabeça, tonturas, problemas digestivos, taquicardias, etc.

Em geral, as pessoas que se perguntam “por que tenho ansiedade todos os dias” sofrem, sobretudo, o efeito físico desse transtorno, que faz com que sua qualidade de vida fique muito reduzida.

Pessoas com ansiedade generalizada têm problemas no trabalho, sociais e familiares. Além disso, é comum irem ao médico muitas vezes devido aos sintomas físicos.

Mulher sofrendo de ansiedade

O que fazer diante dessa situação?

“Se tenho ansiedade todos os dias, devo entender que não posso continuar assim.” É necessário buscar ajuda especializada. É preciso entender que essa condição clínica leva, em muitos casos, à depressão maior, e não é conveniente ir a esse extremo.

Da mesma forma, deve-se levar em consideração que essa condição é resultado de múltiplos fatores, incluindo traumas genéticos e também psicológicos.

Portanto, em vez de focar no clássico “por que isso está acontecendo comigo?”, vamos nos concentrar no “o que posso fazer por mim?”. A estratégia mais adequada nesses casos é a psicoterapia e o tratamento farmacológico. Neste último caso, os mais comuns são os antidepressivos e os benzodiazepínicos.

  • No que diz respeito à abordagem psicológica, a mais comum e eficaz é a terapia cognitivo-comportamental. Graças a ela, trabalha-se a interação entre pensamentos, emoções e os comportamentos que reforçam a ansiedade.
  • A terapia de aceitação e compromisso (ACT) também pode ajudar. Permite-nos administrar pensamentos ansiosos, aceitar/compreender as sensações desconfortáveis, a complexidade da vida e, por sua vez, esclarecer nossos valores para nos engajarmos em objetivos e um estilo de vida mais significativo.

Por fim, só se pode levar em conta que cada realidade é única e cada pessoa se beneficiará de um determinado tratamento/abordagem terapêutica. A ansiedade generalizada é uma condição complexa, e precisamos de um grande empenho para compreendê-la, vivê-la e superá-la.

Pode interessar a você...
7 características da ansiedade existencial
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
7 características da ansiedade existencial

Existem várias características da ansiedade existencial com as quais muitos de nós podemos nos identificar em algum momento. Nós os vemos.



  • Haller H, Cramer H, Lauche R, et al. The prevalence and burden of subthreshold generalized anxiety disorder: A systematic review. BMC Psychiatry. 2014;14:128 doi:10.1186/1471-244X-14-128
  • Locke AB, Kirst N, Shultz CG. Diagnosis and management of generalized anxiety disorder and panic disorder in adults. Am Fam Physician. 2015;91(9):617-624.
  • Roberge, P., Normand-Lauzière, F., Raymond, I. et al. Generalized anxiety disorder in primary care: mental health services use and treatment adequacy. BMC Fam Pract 16,146 (2015). https://doi.org/10.1186/s12875-015-0358-y
  • Rubio G, López-Ibor JJ. Generalized anxiety disorder: a 40-year follow-up study. Acta Psychiatr Scand. 2007 May;115(5):372-9. doi: 10.1111/j.1600-0447.2006.00896.x. PMID: 17430415.