A Teoria do Cisne Negro de Nassim Taleb

Vivemos na era do inesperado. Chegamos a um ponto em que ninguém sabe o que vai acontecer amanhã, uma realidade que pode ser traduzida na metáfora do cisne negro enunciada por Tassim Taleb, que analisamos a seguir.
A Teoria do Cisne Negro de Nassim Taleb

Última atualização: 17 Junho, 2021

A pandemia. O Brexit. A crise social nos Estados Unidos. Os atentados terroristas. O impacto da tecnologia em nossas vidas. A teoria do Cisne Negro de Nassim Taleb define muitos desses fenômenos que, sem dúvida, alteraram nosso equilíbrio pessoal, psicológico, econômico e político. De fato, são várias as pessoas que enfatizam que vivemos em uma era marcada por essa metáfora.

É evidente que vivemos em uma época marcada pelo imprevisível. Embora seja verdade que as crises são uma constante no passar do tempo e na existência pessoal de cada um de nós, nunca estamos preparados para a sua chegada. Elas nos surpreendem e nos desestabilizam, e são algo de que ninguém gosta.

Se há algo a que os seres humanos tendem a se apegar, é a estabilidade. O cérebro não é bem receptivo a mudanças, incertezas e tudo que tenha algo de inesperado. Talvez seja por isso que tendemos a estabelecer uma rotina na qual tomamos como certo que a estabilidade de hoje continuará amanhã. Raramente deixamos espaço para o caos, para a possibilidade de um desastre, para o surgimento de uma mudança brusca.

Figuras como Nassim Taleb nos encorajam a tomar consciência disso. O inesperado sempre está por perto, e devemos estar preparados para isso.

Nassim Taleb

Em que consiste a Teoria do Cisne Negro de Nassim Taleb?

Ao ler o termo “Cisne Negro”, é possível que você pense no filme homônimo de 2010 estrelado por Natalie Portman. No entanto, qualquer especialista em riscos econômicos está bem familiarizado com essa metáfora.

A teoria do Cisne Negro foi apresentada pelo ensaísta libanês Nassim Nicholas Taleb em seu livro A Lógica do Cisne Negro: O Impacto do Altamente Improvável, publicado em 2008. A essência de sua formulação é simples: o mundo pode ser muito afetado por eventos raros e difíceis de prever. As implicações da sua proposta estão voltadas para o mundo do mercado financeiro e dos investimentos.

No entanto, desde a publicação da sua obra, sua teoria parece se aplicar a muitos outros campos, dado seu impacto e utilidade. Porque se há algo que não podemos negar é que o dia a dia é marcado por acontecimentos inesperados para os quais nem sempre temos recursos de enfrentamento, tanto nos cenários públicos quanto nas esferas mais privadas e pessoais.

A seguir, analisamos os componentes que definem a teoria do Cisne Negro de Nassim Taleb.

São eventos com baixa probabilidade de ocorrência

É claro que muitas das coisas que aconteceram estavam dentro do possível. No entanto, (quase) ninguém as previu. No mínimo, a elas era atribuída apenas uma probabilidade muito baixa de ocorrência, e ainda menos de imediatismo.

Nassim Nicholas Taleb formulou esta teoria com base na experiência que os exploradores do século XVII tiveram ao chegar à Austrália. Até então, presumia-se que todos os cisnes na natureza eram brancos. Porém, ao chegarem ao país da Oceania, descobriram a existência de cisnes negros.

Hoje, todos nós sabemos da existência dos cisnes negros, mas não imaginamos que algum dia veremos um. O mesmo acontece com adversidades, crises e desastres. Presumimos que podem acontecer, mas não amanhã ou depois de amanhã.

Estes eventos, segundo Nassim Taleb, têm um grande impacto

Quando aparece um cisne negro, tudo muda. Seu surgimento abala quase todos os cenários, sejam eles sociais, econômicos, políticos e até culturais. Muitas vezes somos surpreendidos, sem recursos e sem uma clara capacidade de resposta e enfrentamento.

Previsibilidade retrospectiva: depois que acontece, “todos sabiam que iria acontecer”

Este fato é notável e bem conhecido por muitos de nós. Uma vez ocorrido este evento, esta crise, esta situação inquietante e imprevista, não faltam vozes de especialistas dando provas de que este evento era iminente. Pior ainda, eles afirmam que tudo poderia ter sido evitado. É quando começamos a atribuir responsabilidades.

Você conhece a teoria do Cisne Negro?

Em tempos complexos, mentes preparadas: os cisnes negros sempre estiveram presentes

Os epidemiologistas vêm alertando sobre o surgimento de novas pandemias há muitos anos, portanto, a comunidade científica não vive a crise atual sob a teoria do Cisne Negro. O mesmo acontece com eventos como o Brexit, o aumento do terrorismo ou a forma como as tecnologias estão mudando nossas vidas.

É verdade que existem eventos que se desenrolam de maneiras completamente imprevisíveis, acontecimentos que não se enquadram em nenhum cálculo de probabilidades. No entanto, existem realidades que, longe de serem altamente improváveis, deixam pistas no dia a dia que mostram a sua probabilidade de ocorrência.

Embora seja verdade que muitas das coisas que aconteceram nos últimos tempos (e que vão acontecer) não podiam ser evitadas, devemos estar preparados para lidar com elas.

Assim, devemos nos preparar mentalmente e aceitar que o mundo é imprevisível para enfrentar um pouco melhor as adversidades. Esse processo não é fácil. No entanto, é um mecanismo que todos nós podemos implementar.

Pode interessar a você...
A aleatoriedade na vida, a necessidade de aceitar o inesperado
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
A aleatoriedade na vida, a necessidade de aceitar o inesperado

A vida é governada por muitas variáveis, ​​e uma delas é a aleatoriedade. No entanto, é difícil aceitar o inesperado e assumir as mudanças.



  • Taleb, Nassim (2011) El cisne negro. El impacto de lo altamente improbable. Madrid: Paidós