Teste da Árvore de Karl Koch - A Mente é Maravilhosa

Teste da Árvore de Karl Koch

março 1, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Teste da Árvore de Karl Koch

O Teste da Árvore de Karl Koch é um teste projetivo interessante para analisar nossa personalidade, bem como nosso universo emocional subjacente. Devido à facilidade de sua aplicação, é comum que seja usado em crianças; no entanto, também é uma ferramenta de autoanálise muito divertida para tentarmos nos conhecer um pouco melhor.

O teste da Árvore também é conhecido como o “Teste Baum” e foi desenvolvido na década de 1950 por um psicólogo chamado Charles Koch. Existe há bastante tempo, mas seu uso ainda é comum. Agora, se dissermos que este teste consiste apenas em pedir a uma criança ou a um adulto que desenhe uma árvore com suas raízes, seu tronco e sua copa, é possível que mais de um dos nossos leitores duvide quase instantaneamente da confiabilidade e validade deste instrumento.

As vantagens do Teste da Árvore são que ele pode ser administrado rapidamente a uma grande variedade de pessoas. Ele oferece informações interessantes sobre aspectos emocionais que serão posteriormente comparados com os resultados de outros testes.
Compartilhar

Antes de chegar a esta conclusão, vale a pena ter em mente alguns detalhes. Testes projetivos são um instrumento clínico muito útil. Graças a eles, conseguimos coletar vários dados sobre como nossos pacientes percebem, compreendem e gerenciam seu mundo. Assim, instrumentos como o teste de Rorschach, o teste do homem na chuva ou o teste da Árvore são muito eficazes como testes complementares (não exclusivos) que podemos usar junto com muitos outros.

Por outro lado, e como uma curiosidade simples, deve notar-se que o Dr. Koch escolheu essa figura para projetar seu teste de diagnóstico pelo simbolismo que as árvores têm. Todas as culturas, todos os países têm nas árvores uma referência entre mitológica e totêmica enraizada no ser humano, independentemente da idade. Tentar capturá-las, tentar desenhá-las é quase como libertar as luzes e sombras que carregamos por dentro.

Árvore em cenário de água

O que o teste da árvore de Koch avalia?

Este teste é igual a todo exercício que nos induz a fazer um desenho, escolher uma cor, criar uma figura e posicioná-la em algum lugar em um espaço em branco. Ele oferece pistas sobre o estilo da nossa personalidade, e também indica um estado emocional determinado.

  • Mede também a estabilidade da pessoa, a presença ou ausência de conflitos internos, sua vulnerabilidade e sensibilidade.
  • Por outro lado, certas correntes psicológicas, como a psicanálise, indicam que este teste também revela a estrutura da psique ou o conteúdo do nosso inconsciente.
  • É interessante saber, como revela um estudo recente, que o teste Baum tem sido muito eficaz no diagnóstico de deficiências cognitivas e até mesmo de princípios de demência.

Como se aplica?

O teste da árvore pode ser aplicado a qualquer pessoa a partir dos 5 ou 6 anos de idade. Ele só exige que a pessoa tenha certas habilidades motoras básicas para desenhar.

  • A pessoa recebe uma folha de papel em branco, lápis colorido e borracha.
  • Eles são convidados a desenhar uma árvore, com suas raízes, seu tronco, os galhos, etc.
  • No caso dos pacientes serem crianças de 5 ou 6 anos, pede-se que façam dois desenhos. O primeiro será em estilo livre, “desenhar a árvore que quiser, uma de sua preferência”. Mais tarde, a criança fará um novo desenho, e a árvore será diferente da primeira. Desta forma, teremos dois desenhos para poder melhorar a avaliação.
  • O tempo estimado varia entre 10 minutos e meia hora, mas depende de quanto cada pessoa precisar.

Árvore desenhada por uma criança

Como é analisado o teste da árvore?

Teremos que analisar os diferentes elementos:

Solo

  • Um desenho onde não existe uma linha de solo ou raízes pode indicar falta de estabilidade emocional e pessoal no paciente.
  • As raízes desproporcionais e em forma de raio também podem ser um indicador de problemas, contenção emocional e raiva.

Tronco

  • Tronco muito delicado: está associado a pessoas muito sensíveis e delicadas ou, por outro lado, pode denotar a presença de tensões ou demandas externas que alteram a calma e o bem-estar do paciente.
  • Tronco muito largo: pessoas impulsivas, com alta emotividade e pouca capacidade de autocontrole.
  • Um tronco de proporções normais indica equilíbrio interno.
  • Tronco formado por linhas retas: pessoa certa, com boa capacidade de abstração.
  • Tronco de linhas onduladas: pessoa sociável, doce e que não tem problemas de sociabilidade.
  • Troncos com dilatações, cavidades, pregos, pontas salientes: presença de medos, traumas, emoções contidas, inibição …

A copa

A copa das árvores reflete a interação com o ambiente físico e externo. Enquanto as raízes e o tronco estão mais relacionados ao mundo interior e emocional, os galhos representam outro nível psíquico.

  • Copa pequena: crianças de até 9 anos sempre fazem desenhos pequenos, é normal. Uma copa pequena pode denotar imaturidade relacionada com o mundo das crianças.
  • Copa grande: Pode-se dizer que a pessoa que fez o desenho tem grande fantasia, entusiasmo ou mesmo que possa ter um ponto de narcisismo mais proeminente.
  • Árvore sem copa: pode-se dizer que a pessoa que fez o desenho tem uma falta de desenvolvimento, um possível problema cognitivo.
  • Copa em espiral: pode ser uma pessoa comunicativa, de bom gosto, delicada.
  • Copa em forma de raios ou varas: pessoa teimosa, impulsiva, com alguma raiva ou sentimentos desafiadores.
  • Copa com folhas: pessoa vivaz.
  • Copa com frutas: pessoa com objetivos e desejos para cumprir.

Teste da Árvore de Karl Koch

A esses valores descritos aqui são adicionados muitos mais, como a aparência de outros “acessórios”, como casas, pássaros, colinas … Ou seja, detalhes não exigidos pelo psicólogo que também podem fornecer informações relevantes. Além disso, também é bom levar em conta as cores escolhidas para pintar a árvore, e até mesmo o tamanho das próprias figuras.

Além disso, elementos como galhos cortados, furos ou feridas nos troncos, falta de raízes ou a presença de cores escuras podem atrair nossa atenção. Tudo isso revelaria a presença de possíveis traumas. No entanto, como indicamos no início, o teste da árvore não é usado como o único teste de diagnóstico. Trata-se de uma ferramenta interessante, que junto com algumas outras, pode nos ajudar a reunir informações para dar um diagnóstico final mais preciso.

Recomendados para você