Os 4 tipos de abraços e seus benefícios segundo a ciência

Há tipos de abraços que nos encorajam, outros que nos preenchem, outros que nos acalmam e outros que nos sufocam. Qual é a diferença entre eles? Descubra a seguir.
Os 4 tipos de abraços e seus benefícios segundo a ciência

Última atualização: 08 Fevereiro, 2021

Na comunicação humana, a linguagem não verbal fornece mais da metade das informações que recebemos. Nesse contexto, o abraço é um elemento significativo em nossas interações diárias: permite estreitar laços afetivos e expressar muito com muito pouco. Porém, você sabia que existem muitos tipos de abraços diferentes?

Quando ouvimos essa palavra, geralmente uma troca íntima e afetiva vem à mente. No entanto, na verdade, um abraço pode acontecer em contextos muito diferentes e ter significados muito diversos. Em cada caso, os benefícios derivados de abraçar alguém variam. Se você quiser explorar este tópico mais profundamente, continue lendo.

Quais tipos de abraços existem?

Quais tipos de abraços existem?

Abraços amistosos

Os abraços amistosos ​​podem incluir todos aqueles que denotam camaradagem, companheirismo ou simpatia. O contato físico não é excessivamente próximo e o nível de intimidade também não é alto. Desta forma, as emoções que são transmitidas são predominantemente de reconhecimento, apoio ou agrado mútuo.

Geralmente são abraços que incluem algum tipo de componente “agressivo”, como agarrar o outro pelo pescoço ou dar tapinhas nas costas, algo que acontece principalmente entre homens. É também o caso dos chamados “abraços laterais”, que são dados ao passar o braço sobre os ombros do outro enquanto ambos olham na mesma direção.

Abraços afetivos

O abraço é um dos elementos essenciais para expressar afeto fraterno ou amor romântico. Nesse contexto, o contato físico é muito mais próximo, íntimo e intenso. Normalmente, os corpos de ambas as pessoas se unem e as cabeças são colocadas lado a lado. Os braços se agarram com força e a duração da troca é mais longa do que no caso anterior.

Esse tipo de abraço é reservado para os relacionamentos mais significativos e que possuem um componente emocional. Eles transmitem amor, cumplicidade e afeto genuíno. Abraços pelas costas também se enquadram nesta categoria, que, além de todos os itens acima, também denotam um desejo de proteger e cuidar do outro.

Abraços com conotações eróticas

Dada a proximidade física e corporal que ocorre no abraço, esta também faz parte das interações com conotações sexuais que ocorrem entre pessoas que se sentem atraídas uma pela outra. Apesar de os beijos estarem associados ao erotismo e os abraços mais associados ao amor, estes últimos desempenham um papel importante.

Os abraços que ocorrem quando uma pessoa está sentada em uma superfície elevada e a outra em pé são um bom exemplo. São também aqueles que ocorrem quando um membro do casal sustenta o peso do outro com os braços, enquanto este envolve a cintura com as pernas. São contatos muito íntimos que refletem paixão, desejo e até luxúria.

Homem abraçando namorada

Abraços incômodos

Nem todos os tipos de abraços são positivos. Há momentos e circunstâncias em que essa interação ocorre por “educação”, relutância ou desagrado. Por exemplo, ao cumprimentar alguém em quem não confiamos ou ao abraçar uma pessoa por quem nutrimos sentimentos de ressentimento ou raiva.

Nesses abraços, apesar dos corpos estarem unidos na parte superior, da cintura para baixo a distância é considerável. Ou, pelo contrário, uma pessoa recebe o abraço de forma passiva e pouco envolvida enquanto a outra a envolve com os braços.

Benefícios dos diferentes tipos de abraços

Os abraços trazem benefícios claros em nossos relacionamentos interpessoais. Quando encontramos alguém, os abraços nos ajudam a “quebrar o gelo” e iniciar um contato amigável. Se abraçamos um ente querido ou qualquer pessoa importante, esses laços são fortalecidos e a proximidade emocional aumenta. Da mesma forma, os relacionamentos dos casais são altamente enriquecidos por abraços frequentes entre seus membros.

A nível pessoal, dar e receber abraços tem um impacto positivo em nossa saúde. Foi demonstrado, por exemplo, que os abraços são capazes de reduzir a pressão arterial e os batimentos cardíacos (efeito calmante). Eles reduzem o nível de cortisol no corpo e aumentam a secreção de oxitocina, reduzindo o medo e o estresse, enquanto aumentam as sensações agradáveis, a autoestima, a generosidade e o sentimento de pertencimento.

Os abraços são capazes de aliviar a dor, fortalecer o sistema imunológico e até mesmo aumentar as habilidades cognitivas. Resumindo, é um recurso simples, mas extremamente poderoso, disponível para todos. Vamos fazer bom uso disso.


  • Washington, M. D. (2008, 11 febrero). The healing power of hugs. Recuperado 4 de diciembre de 2020, de https://www.academia.edu/8062471/The_Healing_Power_of_Hugs
  • Light, K. C., Grewen, K. M., & Amico, J. A. (2005). More frequent partner hugs and higher oxytocin levels are linked to lower blood pressure and heart rate in premenopausal women. Biological psychology69(1), 5-21.