Os 3 tipos de incerteza com os quais devemos lidar

Os diferentes tipos de incerteza colocam as pessoas em situações diante das quais não há controle e nem mesmo a possibilidade de ter alguma previsibilidade.
Os 3 tipos de incerteza com os quais devemos lidar

Última atualização: 03 Julho, 2021

O psicólogo Paul K. J. Han definiu três tipos de incerteza: por probabilidade, por ambiguidade e por complexidade. Esta é uma contribuição interessante, já que quase sempre falamos de incerteza, mas as formas que ela assume em certas circunstâncias não são especificadas.

Cada um dos tipos de incerteza está relacionado à fonte ou causa desse estado. É claro que a incerteza nem sempre obedece ao mesmo fator. Em geral, trata-se de uma condição em que não há certezas sobre o desenvolvimento ou consequências de algo, mas essa falta de conhecimento pode ser por motivos diversos.

Todos os tipos de incerteza são uma parte inevitável da vida de qualquer pessoa. Apesar de essa falta de certeza poder causar preocupação ou até ansiedade, a realidade é que ela está presente em quase tudo o que fazemos, mesmo que às vezes tenhamos a ilusão de que não está. Veremos cada uma das modalidades com mais detalhes a seguir.

“Não procure agora as respostas que você não consegue entender porque não está preparado para vivê-las. A chave é viver tudo. Viva as perguntas. Talvez um dia você encontre a resposta, aos poucos e sem se dar conta”.
-Rainer Maria Rilke-

1. Por probabilidade, um dos tipos de incerteza

O primeiro dos tipos de incerteza é o que se denomina “por probabilidade”. Tem a ver com aquelas situações em que não é possível considerar o nível de risco de uma situação ou de uma decisão. Isso se deve, em geral, ao fato de que muitas variáveis ​​atuam ao mesmo tempo e é impossível prever consequências e resultados.

Um exemplo desse tipo de incerteza pode ser uma doença grave. Existem informações sobre a patologia e até um prognóstico geral para ela, mas não há certezas quanto à forma como o organismo poderia reagir a um tratamento. A forma como a doença irá evoluir também não é definitiva.

O mais comum é que, nessas circunstâncias, as pessoas se deixem levar pelo viés otimista. Costuma-se supor que os possíveis efeitos negativos não aparecerão, embora não haja bases reais para afirmar isso. Em situações como essa, também é importante considerar possíveis cenários negativos.

2. Por ambiguidade

O segundo tipo de incerteza, de acordo com Paul K. J. Han, é devido à ambiguidade. Corresponde aos casos em que existem dúvidas sobre o desenvolvimento ou o efeito de uma situação ou decisão por falta de informação confiável a este respeito. Aquela que existe é incompleta, confusa ou não totalmente confiável.

Uma situação típica neste caso poderia ser o uso de um medicamento experimental. Não há certeza da sua eficácia, nem informações totalmente confirmadas sobre seus possíveis efeitos colaterais. Portanto, embora haja uma estimativa de risco, ela pode variar significativamente em algum ponto.

Em tal situação, o ideal é investigar o máximo possível e tentar reunir o máximo de informações disponíveis, de fontes diversas e confiáveis. Embora a lacuna de informações não seja totalmente coberta, é possível, até certo ponto, reduzir a margem de incerteza e tomar uma decisão mais responsável. Também é importante calcular o risco e pesar o benefício. Um risco muito alto ou um benefício muito baixo inclinam a balança para a abstenção de fazer algo.

3. Por complexidade

O terceiro e último dos tipos de incerteza é por complexidade. Nestes casos, surge um problema de difícil compreensão por se tratar de uma situação nova ou inusitada, diante da qual não temos muita experiência. É a mais intensa sensação de incerteza, pois revela muitas vulnerabilidades.

Um exemplo comum pode ser um computador que quebra. De repente, ele para de funcionar e as tentativas de consertá-lo não têm sucesso. Outro exemplo ilustrativo é o da crise de 2020. Uma situação tão nova deixou todo o mundo perplexo, e por vários meses não houve um rumo claro a seguir.

Diante desse tipo de incerteza, é importante manter a calma, antes de mais nada. Afastar-se emocionalmente desse tipo de situação é muito apropriado para vê-la em perspectiva e começar a elucidar o que está acontecendo. É preciso também se acostumar com a ideia de que a solução não será imediata e de que é importante fazer pesquisas e coletar dados a esse respeito.

Todos os tipos de incerteza causam um certo grau de preocupação porque os seres humanos são dados a “ir pelo lado seguro”, embora isso realmente não exista. Uma perspectiva inteligente é aceitar a inevitabilidade do incerto e aprender a lidar com ele.

Pode interessar a você...
A incerteza, essa assassina silenciosa
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
A incerteza, essa assassina silenciosa

A incerteza está relacionada com a necessidade de saber o que vai acontecer a seguir, para podermos antecipar, controlar, e não sermos pegos despre...



  • Vázquez, M. L., & Smarandache, F. (2018). Neutrosofía: Nuevos avances en el tratamiento de la incertidumbre. Infinite Study.