Transtorno de personalidade antissocial: o desprezo pelos outros

· outubro 26, 2018

A característica essencial do transtorno de personalidade antissocial é um padrão geral de desprezo pelos direitos dos outros. Além disso, esse desrespeito pelos direitos dos outros tende a fazer com que não tenham nenhum escrúpulo em violá-los quando são um obstáculo aos seus interesses.

Esse padrão de desprezo geralmente começa na infância ou no início da adolescência, e continua até a idade adulta. O distúrbio também tem sido chamado de psicopatia, sociopatia ou transtorno de personalidade dissocial.

Além disso, a mentira e a manipulação são características centrais do transtorno de personalidade antissocial.

Como o transtorno de personalidade antissocial é diagnosticado?

Para uma pessoa ser diagnosticada com transtorno de personalidade antissocial, deve atender a determinados critérios. O primeiro é que deve ter completado 18 anos.

Portanto, alguém com menos de 18 anos, apesar de todos os indícios apontarem para isso, não pode ser diagnosticado com esse transtorno. Além disso, a pessoa também deve ter um histórico de alguns sintomas de transtorno de comportamento antes dos 15 anos.

O que entendemos por transtorno de comportamento? O transtorno de comportamento envolve um padrão repetitivo e persistente de comportamento em que são violados os direitos básicos dos demais ou as principais normas ou regras sociais adequadas para a idade da pessoa.

Os comportamentos característicos do transtorno de comportamento são agrupados em quatro categorias. Estas quatro categorias são a agressão contra pessoas e animais, a destruição da propriedade, as fraudes ou os furtos e a violação grave das normas.

Pessoa antissocial
Descobrimos que, com exceção da intervenção, o padrão de comportamento antissocial não cede. Pelo contrário, esse padrão continua até a idade adulta. Essas pessoas não se ajustam às normas sociais ou jurídicas.

De fato, essas pessoas podem reincidir em atos que sejam motivo para detenção. Exemplos desses atos são destruir uma propriedade, o assédio a outras pessoas, roubar ou participar de atividades ilegais.

O desprezo pelos outros e a agressividade são características de pessoas antissociais

As pessoas com transtorno de personalidade antissocial desprezam os desejos, direitos ou sentimentos dos outros. Eles são mentirosos e manipuladores. Fazem isso para obter benefício pessoal ou por mero prazer (por exemplo, para obter dinheiro, sexo ou poder).

A mentira repetida é também uma característica das pessoas antissociais. Assim, eles podem mentir repetidamente, usar um pseudônimo, enganar os outros ou simular uma doença. O padrão de impulsividade é manifestado pela incapacidade de planejar o futuro.

As decisões são tomadas sem pensar, dependendo do momento. Não há premeditação em tais decisões e há mudanças repentinas de cargos de empregos, residência ou relacionamentos.

As pessoas com transtorno de personalidade antissocial tendem a ser irritáveis ​​e agressivas. Além disso, elas podem se envolver em brigas ou cometer atos de violência física (isso inclui os maus-tratos no casal ou dos filhos).

Essas pessoas também não mostram muitos escrúpulos quando se trata de comprometer a segurança dos outros. Isso se reflete em seu comportamento, por exemplo, ao dirigir, porque circulam em velocidade maior do que a permitida, dirigem embriagadas e geralmente estão envolvidas em vários acidentes.

Eles podem realizar atividades de alto risco com consequências muito prejudiciais. Assim, podem manter relações sexuais sem proteção ou consumir substâncias ilegais. Também podem ser negligentes no cuidado de seus filhos, de forma que podem expô-los a situações perigosas.

Pessoas com transtorno de personalidade antissocial são extremamente irresponsáveis

Esse alto grau de irresponsabilidade pode se manifestar, por exemplo, no ambiente de trabalho. Desta forma, eles permanecem desempregados por longos períodos de tempo, apesar de terem a oportunidade de trabalhar.

Também se manifesta pelo abandono de vários empregos sem um plano realista para conseguir outro trabalho. Da mesma forma, pode haver um padrão de faltas no trabalho que não pode ser explicado por uma doença própria ou de um membro da família.

A falta de responsabilidade financeira é refletida em atos como o não pagamento de dívidas ou o fato de não suprirem as necessidades básicas dos filhos ou de outras pessoas sob sua responsabilidade.

Transtorno de personalidade antissocial

Da mesma forma, pessoas com transtorno de personalidade antissocial não demonstram remorso pelas consequências de suas ações (Rosenblum, 2011). Podem se mostrar indiferentes ou justificar de maneira superficial os danos, os maus-tratos ou os roubos às pessoas (por exemplo, “a vida é difícil”, “os perdedores merecem perder”, etc.).

Essas pessoas podem culpar as vítimas por serem ingênuas, por estarem desamparadas ou por merecerem seu destino. Por exemplo, podem dizer que “ele mereceu mesmo assim” ou “teria acontecido de qualquer maneira”.

Como vemos, o transtorno de personalidade antissocial é um transtorno com sérias repercussões para as vidas daqueles que o sofrem e daqueles que os cercam.

Trata-se de um transtorno de personalidade de difícil tratamento, que costuma começar na infância ou adolescência através de um transtorno de comportamento.