Transtornos do ritmo circadiano: você tem algum deles?

Você tem algum desses transtornos do ritmo circadiano?

junho 11, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Transtornos do ritmo circadiano

Você não sabe o que são transtornos do ritmo circadiano do sono – vigília? Não se preocupe, neste post nós explicamos. Certamente você já sofreu de insônia alguma vez, pois é algo comum na população.

Há momentos em que temos problemas para dormir. Você vai para a cama e só consegue dar voltas, mas não consegue pegar no sono. Outras vezes acordou antes do que gostaria e não conseguiu voltar a dormir. Nestes casos, falamos de insônia.

Isto pode ocorrer devido a uma série de razões. Na maioria das vezes é um produto de maus hábitos de higiene do sono (dormir assistindo TV, tomar estimulantes pouco antes de dormir…) Outras vezes isso pode ser devido ao estresse e a altos níveis de ativação do sistema nervoso.

No entanto, os transtornos do ritmo circadiano são caracterizados precisamente por interrupções do ritmo circadiano. O ritmo circadiano é o nome dado ao “relógio interno do corpo”, que regula o ciclo de 24 horas de processos biológicos em animais e plantas.

O que são os ritmos circadianos?

Ritmos circadianos são ritmos biológicos intrínsecos de natureza periódica que se manifestam com um intervalo de 24 horas. Eles são baseados na rotação diária da Terra ao redor do Sol (ciclo dia-noite). Esse termo vem da palavra latina “circa”, que significa “ao redor”, e “Dian” significa “dia”. Então, seu significado é “por todo o dia”. Nos mamíferos, o ritmo circadiano mais importante é o ciclo de vigília-sono.

Os ritmos circadiano não são encontrados apenas em humanos. Praticamente todas as formas de vida, incluindo plantas, moscas, peixes e bactérias, têm ritmos circadianos. Os processos envolvidos com o sono natural funcionam em ritmos circadianos. Como seres humanos, somos projetados para ter um ciclo natural de sono que está em consonância com o ciclo do dia-noite. Então, podemos dormir durante a noite e estar acordados durante o dia.

Os ritmos circadianos são importantes não só para determinar os padrões de sono e alimentação de animais. Eles também são fundamentais para a atividade de todos os eixos hormonais, regeneração celular e atividade cerebral, entre outros.

Mulher com sono

Nosso relógio biológico

Vários investigadores chegaram à conclusão de que deve haver uma estrutura no organismo que é responsável por estabelecer o nosso ritmos circadianos.

Na verdade, essa estrutura existe e é chamada núcleo supraquiasmático. O núcleo supraquiasmático é encontrado na região do hipotálamo do cérebro. Está localizada bem atrás dos seus olhos. Esta região é a encarregada de dormir à noite e acordar durante o dia.

Os transtornos do ritmo circadiano

Se você dormir ou acordar algumas horas antes, este não costuma ser um problema. Entretanto, pode se transformar em um problema quando você é incapaz de acordar ou não consegue permanecer acordado durante sua jornada de trabalho.

Assim, o calendário do seu sono se torna um problema e você pode ser diagnosticado com a presença de transtornos do ritmo circadiano.

Critérios de diagnóstico

Para diagnosticar um transtorno no ritmo circadiano, alguns requisitos ou conjuntos de sintomas precisam ser apresentados:

A. Padrão contínuo ou recorrente da interrupção do sono. Um padrão que se deve a uma alteração no sistema circadiano ou a um alinhamento defeituoso entre o ritmo circadiano endógeno e a sincronização de sono-vigília necessária. Uma necessidade que vai de acordo com o ambiente físico do indivíduo ou a programação social ou profissional do mesmo.

B. A interrupção do sono causa sonolência excessiva ou insônia, ou ambos.

C. A alteração no sono causa desconforto clinicamente significativo ou deterioração no âmbito social, de trabalho, ou outras áreas importantes em que a pessoa tem um papel ativo.

Mulher com insônia, sem conseguir dormir

Que tipos de transtornos do ritmo circadiano existem?

Existem vários tipos de distúrbios do ritmo circadiano de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM 5):

  • Fases atrasadas do sono.
  • Fases avançadas do sono.
  • Sono-vigília irregular.
  • Sono-vigília não ajustado em 24 horas.
  • Associados a turnos de trabalho.
  • Não especificado.

Fases atrasadas do sono

É baseado principalmente em um histórico de atraso no período de sono principal (geralmente mais de duas horas) em relação ao tempo desejado para dormir e acordar. Isso causa sintomas de insônia e sonolência excessiva.

Quando podem ajustar sua própria programação, as pessoas com este problema apresentam uma qualidade e duração do sono normais para sua idade. Os sintomas incluem insônia no início do sono, dificuldade para acordar de manhã e sonolência excessiva no início do dia.

Os sintomas geralmente começam na adolescência ou no início da idade adulta. Eles podem persistir por vários meses ou até anos antes do diagnóstico ser estabelecido. A gravidade pode diminuir com a idade, e os sintomas vão frequentemente reaparecendo. Uma mudança na escola ou no horário de trabalho que requer acordar mais cedo tende a tornar a situação pior.

Mulher com insônia

Fases avançadas do sono

Caracteriza-se por tempos do sono-vigília diversas horas antes dos tempos pretendidos ou convencionais. O diagnóstico é baseado principalmente no histórico do avanço do período de sono principal (geralmente mais de duas horas) com relação ao tempo desejado para dormir e para levantar.

Isso causa sintomas de despertar precocemente e sonolência diurna excessiva. Quando podem ajustar sua própria programação, as pessoas com tipo de fases avançadas do sono têm uma qualidade e duração normais do sono para sua idade. Este transtorno pode ser documentado com o especificador “familiar”. Costuma haver um histórico familiar de fases avançadas do sono neste tipo de alteração.

O início do distúrbio geralmente ocorre no final da idade adulta. O curso é persistente e dura mais de 3 meses.

Sono-vigília irregular

O tipo de sono-vigília irregular é baseado principalmente no histórico dos sintomas da insônia durante a noite (período normal do sono) e da sonolência excessiva (sonecas) durante o dia. Este tipo é caracterizado pela ausência de um ritmo circadiano reconhecível do sono-vigília. Não há nenhum período de sono principal e o sono é fragmentado em pelo menos três períodos ao longo das 24 horas.

Sono-vigília não ajustado em 24 horas

O diagnóstico deste tipo é baseado principalmente em um histórico dos sintomas da insônia ou da sonolência excessiva relacionada à sincronização anormal entre o ciclo luz-escuridão de 24 horas e o ritmo circadiano endógeno. Pessoas com este transtorno têm períodos de insônia, sonolência excessiva, ou ambos, alternando com curtos períodos sem sintomas.

Este tipo é mais freqüente entre os cegos e as pessoas com distúrbios de visão. A razão é que eles têm menos percepção de luz. Em pessoas com visão, há também um aumento na duração do sono.

Homem com sono no trabalho

Associados a turnos de trabalho

Neste tipo há a presença do histórico de antecedentes de trabalho fora da programação diária normal das 8:00 às 18:00 (especialmente à noite) em uma base regular.

São relevantes os sintomas persistentes de sonolência excessiva no trabalho e o sono alterado em casa. Os sintomas desaparecem quando a pessoa retorna para uma rotina de trabalho diário. Por outro lado, as pessoas que viajam para diferentes fusos horários muitas vezes podem ter efeitos semelhantes.

Se você apresenta qualquer um desses tipos de transtornos do ritmo circadiano, recomendamos que volte a estabelecer hábitos “normais” de sono o quanto antes. Se isso parece complicado ou se você não consegue sozinho, então é aconselhável ir a um psicólogo para lidar com o seu problema.

Referências bibliográficas:

  • Associação Americana de Psiquiatria (2014). Manual de diagnóstico e estatística de transtornos mentais (DSM-5), 5º Ed. Madrid: Editoria Médica Panamericana.
Recomendados para você