O vento não pode ser impedido, mas podemos construir moinhos

O vento não pode ser impedido, mas podemos construir moinhos

16, fevereiro 2017 em Emoções 794 Compartilhados
O vento não pode ser impedido, mas podemos construir moinhos

Como todos sabemos, existem certos moinhos que sempre usaram o vento com algum fim específico, como a obtenção de cereais, por exemplo. Eles se caracterizam por aproveitar a direção e a força do vento para produzir força, de tal forma que a energia produzida seja útil.

Metaforicamente, ao longo da nossa vida nos vemos obrigados a construir moinhos que nos ajudem a lidar com o vento, que nem sempre se move como gostaríamos. De fato, muitas vezes queremos detê-lo e não somos capazes: às vezes o vendo bate na nossa cara e nos impede de ver claramente, outras vezes nos empurra até onde não queremos ir.

A adversidade descobre forças antes não percebidas

Quantas vezes você superou um momento complicado? Parece mentira, mas é real: não há tempestade que não tenha fim e não há vento que não cesse em algum momento. Após o redemoinho, a calma chega e é de suma importância o plano que traçamos para sair dele.

“Os obstáculos não têm que ser detidos. Se você der de frente com um muro, não dê a volta ou se renda.

Tente descobrir como escalá-lo, atravessá-lo ou rodeá-lo”.

– Michael Jordan-

mulher-praia

Quando a adversidade se apodera dos dias, temos a sensação de viver em uma constante desgraça que nos impede de alcançar objetivos e sermos felizes. Acontece, por exemplo, nos momentos em que uma doença nos ataca ou nós sofremos um fracasso pessoal, nos enchendo de desesperança, tristeza ou impotência. Ninguém pode escapar de enfrentar uma adversidade alguma vez na vida.

Sabendo que ninguém escapa dela, você precisa saber que todos nós temos um herói dentro de nós, que se fortalece diante dos obstáculos. Este herói é capaz de vislumbrar luzes através das sombras e de encontrar forças que pensávamos não ter.

Lembre-se de que o avião decola contra o vento

Para ver um ponto de esperança entre tanto desnorteamento, é bom aprender primeiramente a separar o obstáculo principal de todos aqueles pequenos inconvenientes que o tornam mais difícil. Uma vez feito isso, será mais simples construir o moinho adequado que nos mantenha em equilíbrio ao soprar contra o vento.

Neste sentido, lembre-se de que o avião decola pior se o vento estiver em sua direção. Os pilotos de avião preferem fazer isso aproveitando a força do vento, pois assim a velocidade e o impulso requerem menos esforço. Assim, localizam o objetivo e usam sua posição adversa ao seu favor.

“Uma desgraça nunca é maravilhosa. É uma lama gelada, um barro negro, uma ferida dolorida que nos obriga a escolher: submeter-se ou se sobrepor.

A resiliência define a força dos que, tendo recebido um golpe, puderam superá-lo”.

– Boris Cyrulnik-

Nós podemos fazer algo parecido se nos valermos da nossa capacidade inata de resiliência. Ou seja, o interior de cada pessoa dispõe de meios para enfrentar um momento ruim e se fortalecer com a sua travessia. Pense que graças aos contratempos negativos desenvolvemos ferramentas e habilidades, ganhando equilíbrio emocional.

A resiliência nos ajuda a sermos positivos e a entender que, se já superamos a dor uma vez, podemos fazer isso novamente. Para isso, é bom que trabalhemos com as emoções negativas e não tentemos ignorá-las diretamentepois também são necessárias.  Não tem problema chorar, fazer isso nos alivia e nos faz reconhecer que o que acontece conosco nos torna humanos.

O herói que há em você

Aconteça o que acontecer, nunca se esqueça do herói do qual falamos antes e que está em você. Esse que se apresenta em forma de coragem e derrota todos os medos. Aquele que não deixa que o vento o arraste pelo chão, mas que levanta e continua.  Pense que você vai sair desta situação, que o frio vai passar, porque está em suas mãos resistir e espantar o medo: normalmente muito desse medo é fantasia.

homem-borboleta

Rodeie-se de outras pessoas que lhe proporcionem o calor do qual você precisa. Essas nas quais você pode segurar firme para superar o baque. Certamente elas não vão te deixar só, você vai se sentir acolhido até que encontre suas próprias forças para criar novas metas. No fim das contas, você vai conhecer a si mesmo como nunca havia feito antes. Você vai se sentir agradecido e saberá que nem mesmo o mais terrível dos ventos pode contra você.

“Não há nada mais admirável e heroico do que tirar valor das desgraças

e reviver com cada golpe que deveria ter nos levado a morte”.

– Louis Antoine Caraccioli-

É nos piores casos que mais aprendemos com os nossos limites. E, realmente, existe a possibilidade de cair diante da adversidade, mas também há uma forma de sair dela. 

Recomendados para você