Vidas destruídas - A Mente é Maravilhosa

Vidas destruídas

17, outubro 2015 em Emoções 0 Compartilhados
Vidas destruídas

“Vamos vender você ao melhor licitador e você fará exatamente o que ele quiser que você faça. Não importa quem você é, de quem é filho ou filha, pai ou mãe, irmão ou irmã… Você e o seu corpo são, a partir de agora, fantoches do mal e com você faremos o que quisermos. Será devastador para você mas eu ficarei rico, isso é o que me importa. A partir de agora você está sob o meu comando.

Nem sequer vou lhe apresentar ao seu novo dono, você vai obedecer e ponto. Se eu quiser que você fique nu, ficará nu; se quiser obrigar você a ter relações sexuais, você as terá; se quiser que você trabalhe no campo ou em qualquer outro lugar, você o fará; e sem reclamar, porque é a única forma de você obter uma porção de sopa que o mantenha com vida.

O melhor para você é não pensar, porque você não tem escapatória e chegará a ponto de sentir que nasceu para ser humilhado. Para alguns dos seus compradores importará a cor da sua pele, para outros a cor do seu cabelo, para outros a sua constituição física, o seu sexo e/ou a sua idade. De qualquer forma, lhe roubaremos a sua identidade, você já não é ninguém, apenas uma mercadoria. Diga adeus à sua liberdade.

Talvez você não conheça outra vida, e desde a sua infância vá de mercado em mercado, preso por olhos que o observam como se tivesse um código de barras.  Desde que o capturamos você já deve ter observado que são muitos os que, como você, estão nesta condição e são de diferentes tamanhos, ordem e condição. Na variedade está o gosto dos nossos clientes.

Observe bem estas pessoas porque é provável que amanhã algum de vocês já não esteja mais aqui. Observe-as bem porque agora vou lhe explicar o que os que sobreviverem podem esperar…

A metade será violentada e torturada, os outros os aterrorizarão com as ameaças mais cruéis e os trancarão em pequenos cômodos com o objetivo de feri-los; além disso trabalharão de sol a sol, todos os dias da semana, nas condições mais duras que possam imaginar. Não sonhem com o descanso porque não foi feito para vocês.

É provável que vocês sejam feridos, que amputem partes dos seus corpos, que os batam com dureza e que vocês queiram se suicidar. Não terão cuidados médicos de nenhum tipo, não seria rentável; além disso, nós queremos ganhar dinheiro, dá na mesma que as suas vidas estejam em jogo.

Viverão com o terror que supõe cada minuto desta vida. Serão fantoches mutilados, bonecos quebrados pelo trato, a escravidão que nunca foi abolida. Vivemos do mal que fazemos e não pagamos impostos.

Eu sentencio a sua vida ao sofrimento, a não ser livre, a ser torturado e explorado, e procuro que a sua prisão seja perpétua. Temos duros inimigos, às vezes nos fragilizam e você consegue se libertar, mas ainda somos muito fortes.”

E agora nos dirigimos a você, que lê estas palavras. Queremos lhe dizer que também podem transformá-lo a partir do mal no seu fantoche. Seus irmãos, filhos, amigos, você mesmo e o resto da sua família podem ser vítimas do trato de seres humanos. Na verdade, ser martirizado por este horror é algo aleatório, e hoje são 27 milhões as pessoas que o sofrem cada dia na sua própria pele.

Chamemos a prostituição, a escravidão trabalhista e a exploração sexual pelo seu nome, e sejamos conscientes desta realidade. Elevemos as nossas vozes pelas nossas gargantas afogadas, pelos nossos corpos estragados, pelas nossas vidas destruídas, e por nossas almas atormentadas. Lutemos de fora, de onde temos recursos para fazê-lo, e protejamos os mais vulneráveis a serem capturados pelas máfias e os demônios que lucram com vidas.

Imagem cortesia de Larissa Kulik

Recomendados para você