Você conhece as suas fraquezas?

· agosto 12, 2015

Como seres humanos, estamos cheios de virtudes, mas também de defeitos. Todos nós temos nossas próprias fraquezas, mas será que elas também são as fraquezas do inimigo? Muitas vezes, o caminho para alcançar nossas metas “escurece”, já que, às vezes, faz com que nos sintamos aflitos, decepcionados com nós mesmos e um pouco fracassados. Em última instância, pode-se dizer que as fraquezas entorpecem nosso desenvolvimento como as “pessoas em crescimento” que desejamos ser.

A seguir, apresentamos alguns passos necessários para aprender a conhecer a si mesmo, sendo capaz de ver o quadro completo que você é. Ou seja, visualizando aquelas áreas que lhe agradam, mas também aprendendo a descobrir aquelas outras zonas “obscuras” que todos nós temos:

Não pensar que você está livre de fraquezas

Pensar em si mesmo como um ser quase perfeito e livre de fraquezas é um grande erro. No entanto, muitos se veem assim. Isso tem a ver com a capacidade de perceber esse fenômeno. Você já se perguntou como aqueles que estão ao seu lado levam as coisas?  Como a humanidade cataloga aqueles que acreditam ser livres de culpa, defeitos e fraquezas? Com essa atitude você só vai  elevar seu ego, mas suas probabilidades de melhorar algo – que pode estar prejudicando tanto a você mesmo quanto aos demais – vai diminuir.

Reconhecer nossas fraquezas já é um lucro

Essa parte do processo é um pouco dura para nós. Analisar com honestidade quais são suas fraquezas e como elas influenciam sua vida de forma negativa é bem difícil. Mas só o fato de reconhecê-las já é muito bom. Como essas fraquezas afetam a sua vida? Elas repercutem de forma negativa sobre as pessoas mais próximas de você, ou as que você mais gosta? Se este for seu caso e quiser reverter a situação, faça o necessário para analisar tudo com calma.

Admitir que talvez você precise de ajuda

Nem sempre é suficiente reconhecer as fraquezas, estar consciente e querer uma transformação em nossas vidas. Muitas pessoas caem no precipício de suas emoções desequilibradas, uma vez ou outra, devido à falta de vontade, mas outras vezes, por não contar com uma orientação precisa. Muitos têm as “melhores intenções” de realizar uma mudança em suas vidas, mas não conseguem dar o próximo passo. É aqui que torna-se necessária uma mão amiga, um mentor. Talvez uma pessoa próxima da sua família possa lhe orientar. Em outros casos, no entanto, pode ser preciso obter assistência profissional.

Traçar seu próprio plano

Pode ser que você se sinta bem, mesmo sabendo quais são suas fraquezas e como elas afetam sua vida. Pode ser que você não esteja interessado em nenhuma mudança. Ou talvez você deseje, lá no fundo do seu coração, dar uma reviravolta em sua vida. Se este for o caso, a chave está em trabalhar em função dessas fraquezas.

Não seja demasiado exigente consigo mesmo. Comece realizando tarefas simples. Um bom conselho é envolver um amigo sempre que puder. Comente seus propósitos com alguém da sua confiança; dessa forma há um nível de compromisso crescendo em torno dessa atividade.

Lembre-se de que as fraquezas, às vezes, nos impedem de tomar decisões precisas. É necessário que você se sinta capaz de se sobrepor a elas, mas também é importante embarcar em uma mudança de cada vez, ou seja, em um só grande projeto. Agora que você está mais focado, já pensou bem, sabe como controlar, só falta dar o primeiro passo…

Créditos da imagem: Hartwig HKD