Wishdar: decidir sobre a sexualidade dos outros de acordo com seus próprios desejos

Mesmo que alguém já tenha confirmado sua orientação sexual, existem aqueles que a questionam nas redes sociais. Isto é o que acontece com Shawn Mendes, Tom Cruise e Cristiano Ronaldo.
Wishdar: decidir sobre a sexualidade dos outros de acordo com seus próprios desejos

Última atualização: 04 janeiro, 2022

Vivemos em uma época em que todo comportamento e reação – especialmente se ocorre nas mídias sociais – é imediatamente rotulado. O epíteto que percorre nossos dias atuais por algumas semanas não poderia ser mais chamativo. Referimo-nos a “whisdar”, anglicismo que define o desejo de decidir sobre a sexualidade de outra pessoa.

A popularidade dessa palavra deriva da recente separação de um casal conhecido no mundo musical. Shawn Mendes e Camila Cabello são duas das celebridades mais admiradas pela geração Z. O fim do relacionamento reativou comentários sobre querer que Mendes finalmente revelasse que ele é, de fato, gay.

A obsessão pela sexualidade de uma figura pública não é algo novo, mas nos últimos anos está se tornando problemática. Também polêmico porque Shawn Mendes já reiterou em inúmeras ocasiões que, embora não tivesse nenhum problema em ser ou explicar que é gay, na realidade não é.

Porém, o universo LGBTQ + no Twitter e outras redes sociais insiste nesse desejo, postando memes, vídeos, hashtags etc. Um desejo que também pode ser revertido naqueles fãs heterossexuais que, por exemplo, anseiam que Matt Bomer mude de orientação sexual.

No passado, havia um desespero silenciado por  ter referências homossexuais. Esperava-se que algum ator ou atriz revelasse que eles eram gays. Agora, existe a necessidade de que as celebridades se adaptem à identidade sexual de cada um.

Tom Cruise representando o termo Wishdar

Wishdar: Eu quero que sua sexualidade corresponda à minha

Muitos questionaram a orientação sexual de Tom Cruise, Cristiano Ronaldo, John Travolta, Hugh Jackman, Oprah Winfrey ou Hilary Clinton. Assim e apesar do fato de alguém ter se dito heterossexual, em alguns casos é comum que outras pessoas questionem.

Esse é um fenômeno frequentemente mediado por um grupo ávido por referências. Além disso, acrescenta-se outro fato: no passado houve várias celebridades que sempre foram acompanhadas de boatos sobre sua sexualidade e que, mais tarde, se tornaram verdade.

Foi o que aconteceu com Rodolfo Valentino e Rock Hudson. Apesar do fato de que ambos celebraram “casamentos de lavanda” (casamentos para encobrir especulações), sua verdadeira orientação sexual foi finalmente descoberta. Hoje, há muitos que acreditam que certas celebridades ainda não ousam sair do armário e que seus relacionamentos são também “laços de lavanda”.

Tirar do armário alguém que nunca esteve no armário, uma forma silenciosa de intimidação

Wishdar é um desejo, uma necessidade: que alguém de quem gostamos tenha nossa identidade sexual. Sentir isso não é um problema. Mas impor essa ideia de forma consistente e torná-la pública, é sim um problema. Isso é o que está acontecendo hoje. Há uma enxurrada constante de mensagens destinadas a questionar a orientação sexual de pessoas famosas.

Essa forma de assédio viola a identidade de uma pessoa, e aquela sequência constante de piadas, memes e insinuações acaba se tornando uma forma de bullying. Tirar alguém que nunca esteve no armário ou vice-versa é uma forma óbvia de agressão. Da mesma forma, há outro fato indiscutível e é que com esse tipo de campanha há danos evidentes para a própria comunidade LGTBQ +.

Wishdar, ou uma forma de também invalidar a identidade de gênero no coletivo LGTBQ +

Milhares de pessoas questionam a identidade de gênero de Shawn Mendes todos os dias. Eles fazem isso sem saber que a pessoa que realmente deseja “sair do armário” terá medo de sofrer o mesmo tipo de assédio. Aquela pessoa que de repente pode parecer e questionar sua orientação.

Nesse contexto, não podemos ignorar as taxas desproporcionais de bullying vividas por jovens LGBTQ +. Assim, estudos como os realizados no College of Saint Benedict e Saint John’s University lembram algo significativo.

Microagressões ao coletivo são uma constante em nossa sociedade. Às vezes, mesmo nas expressões humorísticas, acabamos discriminando ou gerando danos indiretos. A prática de wishdar significa colocar em dúvida através do ridículo e dos memes a identidade de gênero de cada um. E isso também pode surgir como uma forma óbvia de microagressão.

Shawn Mendes, como outras figuras públicas, muitas vezes são rotuladas de anti-gay apenas porque não se enquadram na identidade sexual desejada de um coletivo.

Mulher lendo notícias da Wishdar no celular

O direito de não revelar sua identidade sexual e de sair  do armário no ritmo que cada um desejar

Se há algo evidente e necessário, é que qualquer pessoa LGTBIQ + tem o direito de sair do armário no ritmo que julgar necessário. No entanto, quando falamos sobre celebridades, parece haver uma certa pressão para que os gays tornem isso público quanto antes melhor. Esquecemos que tal processo leva tempo e que existe também outra realidade: a obrigação de não dizê-lo se não for desejado.

É verdade que pessoas públicas podem ser referências valiosas para muitos, mas também haverá aqueles que não querem ser e que querem ser conhecidos apenas pelo seu trabalho. Vivemos em uma sociedade em que existem rótulos sem fim para descrever formas de sentir, amar e identificar-se. Deixemos que cada um encontre o seu (se quiser) e, acima de tudo, devemos parar de impor o nosso.

Pode interessar a você...
10 truques para evitar o vício no celular
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
10 truques para evitar o vício no celular

Quer parar de usar o celular para se concentrar em outras atividades? Apresentamos 10 truques para evitar o vício no celular. Descubra!



  • Platt LF, Lenzen AL. Sexual orientation microaggressions and the experience of sexual minorities. J Homosex. 2013;60(7):1011-34. doi: 10.1080/00918369.2013.774878.
  • Roselli C. E. (2018). Neurobiology of gender identity and sexual orientation. Journal of neuroendocrinology, 30(7), e12562. https://doi.org/10.1111/jne.12562
  • Savic I, Garcia-Falgueras A, Swaab DF. Sexual differentiation of the human brain in relation to gender identity and sexual orientation. Prog Brain Res. 2010;186:41-62. doi: 10.1016/B978-0-444-53630-3.00004-X. PMID: 21094885.
  • Shelton, K., and Delgado-Romero, E. A. (2011). Sexual orientation microaggressions: the experience of lesbian, gay, bisexual, and queer clients in psychotherapy. J. Couns. Psychol. 58, 210–221. doi: 10.1037/a0022251
  • Turner, Anthony (2015). “Generation Z: Technology And Social Interest”. Journal of Individual Psychology. 71 (2): 103–113. doi:10.1353/jip.2015.0021