Zolpidem: características e efeitos colaterais - A Mente é Maravilhosa

Zolpidem: características e efeitos colaterais

março 7, 2018 em Psicologia 189 Compartilhados
Zolpidem: características e efeitos colaterais

O zolpidem, também conhecido como Stilnox, Noctiden ou Stilram, é utilizado para os transtornos pontuais do sono, como a insônia. Trata-se de um hipnótico não benzodiazepínico de ação rápida, o que faz com que este fármaco seja um recurso útil para os pacientes que têm problemas para adormecer ou para aqueles que acordam frequentemente durante a noite.

É possível que muitos de nossos leitores estejam familiarizados com este princípio ativo incluído nos nomes comerciais mencionados acima. O Zolpidem é, sem dúvida, um dos medicamentos mais prescritos para insônia a curto prazo, limitando a sua administração a um ou dois dias e um máximo de um mês, incluindo a própria retirada do fármaco.

O Zolpidem é um sedativo, um hipnótico que melhora o nosso descanso e a insônia ocasional.
Compartilhar

É também um recurso químico que a força aérea dos Estados Unidos costuma utilizar para facilitar o descanso noturno de muitos pilotos depois de uma missão. Ele é eficaz, rápido e não deixa uma “ressaca” excessiva de sintomas no dia seguinte, como podem deixar, por exemplo, os benzodiazepínicos clássicos, como o Lormetazepam.

Mas o fato de que o Zolpidem não seja uma benzodiazepina como tal e não possua efeitos relaxantes musculares não significa que estamos lidando com uma droga inofensiva. Estamos diante de um princípio ativo com alto potencial de vício no caso de uso prolongado. Vamos ver mais dados a seguir.

Fórmula do Zolpidem

Zolpidem: para que serve?

O Zolpidem, como já dissemos anteriormente, é receitado para tratar a insônia a curto prazo. Seu mecanismo de ação é semelhante ao dos benzodiazepínicos, atua sobre o ácido gama-aminobutírico (GABA), mas com a diferença de que, em termos de moléculas, são dois compostos diferentes, e o Zolpidem também não tem efeito a nível medular.

  • Da mesma forma, é interessante saber que este fármaco é dos que mais respeitam a arquitetura do sono e suas fases, tanto a REM como a não REM. Tudo isso contribui para um descanso profundo e sem interrupções.
  • Por outro lado, também é importante destacar que o Zolpidem costuma ser prescrito para pacientes que sofrem de síndrome das pernas inquietas. Geralmente é muito eficaz, por exemplo, em idosos, pois facilita o descanso, reduz o movimento dos membros sem que sofram muitos efeitos colaterais.

O Zolpidem faz parte do que é conhecido como fármacos Z, como o Zopiclona ou o Zaleplon, todos eles análogos de benzodiazepinas e também utilizados para o tratamento da insônia.

Como se deve tomar o Zolpidem?

Este fármaco, assim como qualquer outro, deve ser receitado por um médico. Os especialistas irão avaliar a recomendação ou não deste hipnótico, assim como a duração do tratamento. Como mencionamos no início, estamos diante de um recurso químico que melhorará a qualidade do sono, mas cuja administração deve ocorrer entre os dois dias e as quatro semanas.

Seu efeito é rápido, então é recomendável que a pessoa esteja preparada para um descanso que durará entre 7 e 8 horas seguidas. Portanto, durante esse período não poderemos dirigir nem realizar qualquer outra atividade que requer nossa atenção. Além disso, no caso de acordar 2 ou 3 horas depois de tomar o fármaco, o paciente apresentará dificuldades de coordenação, um estado de alerta baixo, problemas de memória e muita fadiga.

Medicamentos comprimidos

Efeitos colaterais do Zolpidem

Os chamados fármacos Z são eficazes, e o Zolpidem é um dos mais receitados. No entanto, e isso é importante recordar, ele apresenta um elevado potencial viciante se for usado com frequência. Sua tolerância é muito elevada, ele é metabolizado muito rapidamente no fígado e, como também é um sedativo hipnótico, é extremamente importante ter atenção a quais outros fármacos ou substâncias estamos tomando para que eles não interajam entre si.

Caso o Zolpidem seja consumido regularmente, podemos experimentar os seguintes efeitos colaterais:

  • Amnésia anterógrada.
  • Sonolência.
  • Alucinações visuais.
  • Boca seca.
  • Problemas de coordenação.
  • Problemas intestinais (diarreia ou prisão de ventre).
  • Tremores nos membros.
  • Zumbidos nos ouvidos.
  • Dores nas articulações.
  • Sangramento menstrual intenso.
  • Dor de cabeça.
  • Sonambulismo.

Assim, é importante assinalar que os idosos são mais sensíveis aos efeitos dos hipnóticos, por isso, é necessário que eles sigam ao pé da letra as indicações dos especialistas sobre sua administração. Se o tratamento com Zolpidem for prolongado mais do que recomendado, os idosos apresentam maior risco de queda e efeitos cognitivos adversos.

Mulher com insônia

Além disso, o uso do Zolpidem reduz as nossas capacidades de condução e também aumenta o perigo de sofrer acidentes de trânsito. Não é algo casual, a maioria dos hipnóticos reduz a nossa capacidade de reação e coordenação, portanto, e mais uma vez, lembre-se de não exceder os dias programados, que nunca deverão ir além das 4 semanas.

Para concluir, basta ressaltar que este fármaco pode interagir com outros medicamentos, substâncias e mesmo com suplementos vitamínicos, sejam eles de origem natural ou não. Devemos seguir sempre as indicações dos médicos e estar alertas para possíveis efeitos colaterais não esperados, para que possamos informar imediatamente os especialistas.

Recomendados para você