2 exercícios para desenvolver a inteligência emocional

· novembro 3, 2018

Até mais ou menos o meio do século passado, era comum pensar que as pessoas eram inteligentes se conseguiam resolver problemas lógicos e analíticos rapidamente. Não se falava em desenvolver a inteligência emocional. Em 1964, no entanto, Michael Beldoch introduziu outra perspectiva.

Essa nova perspectiva foi baseada na sensibilidade e na comunicação emocional: a inteligência emocional. A partir do surgimento desse conceito, o tema avançou de forma notável e ganhou grande relevância.

Essa relevância se deu principalmente no meio da psicologia e do conhecimento psicológico – ainda que possa ser estudado e aplicado a muitas outras áreas do conhecimento. Agora, o que é inteligência emocional exatamente?

A inteligência emocional é a capacidade de gerir o mundo emocional, tanto em relação a nós mesmos quanto em relação aos demais. Por isso, começa com a consciência de si e, em um segundo momento, envolve a consciência social e supõe entender que muitos dos nossos comportamentos e decisões se baseiam em aspectos emocionais.

Além disso, a inteligência emocional pode ser aprendida se contarmos com as ferramentas adequadas. Nesse artigo, você encontrará dois exercícios para desenvolver a inteligência emocional.

A inteligência emocional representa 80% do sucesso na vida”.
-Daniel Goleman-

Quais são os benefícios de gerir as emoções?

As emoções têm um papel fundamental na nossa vida: são responsáveis por muitas das nossas decisões e principalmente por como nós nos sentimos em um determinado momento. Felizes, tristes, angustiados, animados, motivados…

Ainda que sejamos animais racionais, as emoções podem chegar a determinar grande parte dos nossos comportamentos e atitudes. Além disso, as emoções nos ajudam a continuar vivos, afinal somos animais sociais.

As emoções são responsáveis pelo bom funcionamento das relações interpessoais, devido às quais conseguimos assegurar nossa sobrevivência. A inteligência emocional é uma ferramenta que permite a organização em grupos e que fomenta o correto funcionamento das estruturas sociais.

Amigas rindo e se divertindo

Agora, não é sempre que conseguimos ou sabemos como gerir as emoções, principalmente se elas estão relacionadas com situações difíceis como a perda de um ente querido. No entanto, as pessoas com altos níveis de inteligência emocional serão capazes de aceitar e tratar as emoções negativas da melhor forma possível.

Isso envolve ser consciente das emoções, aceitá-las e criar uma responsabilidade ao lidar com elas. Essas são as habilidades fundamentais para alcançar o bem-estar.

Por essa razão, é muito importante se educar em relação às emoções desde a infância. Dessa forma, será mais fácil adquirir destrezas para manejar os diferente estados emocionais que podemos experimentar, reduzir aqueles que geram mal-estar e aumentar o leque de emoções positivas.

Além disso, entender a natureza das emoções nos ajudará, por um lado, a entender a nós mesmos e também a aceitar com maior tranquilidade o que sentimos. Por outro lado, ajudará a identificar as emoções nos demais, melhorando dessa forma o nosso vínculo com eles.

Exercícios para desenvolver a inteligência emocional

Em algumas ocasiões, as emoções podem interferir no nosso dia a dia, no trabalho ou nas relações com os demais. Por isso, conhecer alguns exercícios para desenvolver a inteligência emocional pode ser de grande ajuda. A seguir, você encontrará dois exercícios muito eficazes para esse objetivo.

1. Exercício de autocontrole

Querer varrer os sentimentos para baixo do tapete ou se deixar levar totalmente pelas emoções não são comportamentos muito recomendáveis. Essa atitude pode nos levar a reagir de forma bastante exagerada ou causar um mal-estar muito profundo por tudo que acabamos guardando dentro de nós.

Para que isso não aconteça, devemos exercitar o nosso autocontrole. O primeiro passo que devemos dar para isso é identificar a emoções que estamos sentindo, para a seguir saber como proceder. No caso da raiva, por exemplo, devemos identificar o quanto antes o motivo de estarmos nos sentindo assim.

Estamos com raiva com outra pessoa pelo que ela fez? Ou, pelo contrário, nossos sentimentos estão surgindo porque tivemos um dia ruim? Foi um evento específico? Ou vários pequenos acontecimentos?

Entender o porquê das nossas emoções normalmente ajuda a lidar com elas e mudá-las. Além disso, é importante refletir sobre o porquê de estarmos sentindo alguma coisa. Frequentemente, a resposta a esta pergunta nos revelará sua função ou a necessidade escondida que nos fez chegar até ali.

O próximo passo seria aceitar essa emoção em vez de rejeitá-la. Ou seja, observar sem julgar e depois se aprofundar no entendimento sobre o que ela está tentando nos dizer. Claro que, se ela foi muito intensa, podemos ter que tomar medidas mais drásticas.

Às vezes precisamos nos afastar daquilo que está provocando a emoção, ou pelo menos deixar o gatilho um pouco de lado por alguns momentos. No entanto, precisamos entendê-la primeiro.

Depois de fazer esse exercício de afastamento, nem que seja temporário, podemos fazer algum exercício de respiração, de relaxamento ou de meditação para nos acalmar e fazer com que a intensidade da emoção diminua.

Seja qual for o caso, esse exercício de autocontrole nos ajudará a parar um pouco, avaliar o caminho que estamos seguindo e refletir. Isso sempre fará com que a intensidade emocional diminua.

Identificar como estamos nos sentindo, qual é a função da emoção e para que ela pode nos servir é um dos melhores exercícios para desenvolver a inteligência emocional.

Mulher feliz de olhos fechados

2. Potencializar as emoções positivas

As emoções positivas determinam nosso bem-estar emocional. Uma pessoa motivada, otimista e entusiasmada terá um progresso superior ao de alguém com sentimentos de desânimo, desilusão e apatia.

Por isso, é muito importante identificarmos os pensamentos que provocam emoções negativas e que fazem com que nos sintamos mal de forma contínua, para que possamos nos afastar deles.

Para alcançar esse objetivo, podemos fazer um registro das nossas emoções positivas e agregar algumas à lista. Logo, podemos escrever ao lado das emoções quais atividades, situações ou pessoas podem estar associadas a cada uma delas.

Ler a lista no começo do dia e pensar em quais dessas atividades podemos fazer é um caminho para ter mais emoções positivas diárias.

Outro exercício para desenvolver a inteligência emocional pode ser identificar as emoções positivas que queremos aumentar e pensar em diferentes circunstâncias que podem gerá-las. Dessa forma, poderemos nos contagiar com essas sensações.

Ou simplesmente podemos pensar nos pequenos detalhes que nos rodeiam no dia a dia e que nos fazem um pouco mais felizes. Eles existem! Só precisamos reparar.

Como podemos ver, a inteligência emocional é um pilar fundamental em nossas vidas, que podemos desenvolver se nos propusermos a isso. Conseguir o sucesso nessa empreitada é um processo complexo, mas é possível.

Não desanime no caminho. Precisamos de um certo tempo para apreciar os efeitos dos exercícios para desenvolver a inteligência emocional. Quanto antes você começar, mais rápido verá os resultados.