3 sinais que indicam insegurança no amor

· outubro 12, 2018

Amar alguém significa dar um salto no vazio e compartilhar a parte mais íntima do nosso ser, e é por isso que algumas pessoas sentem uma grande insegurança no amor. Porque amar é confiar, deixar fluir e se abrir para o outro.

A relação tem que ser uma área segura em que você possa se expressar e se mostrar como é, porque se isso não for possível, é provável que o relacionamento acabe envenenado pela insegurança e pelas dúvidas.

Neste artigo, vamos nos concentrar nos sinais de insegurança no amor que as pessoas que já estão em um relacionamento ou que terminaram um relacionamento podem ter (um dos sinais de insegurança no amor é abandonar “o campo de batalha”) . Ou seja, você conhece alguém, gosta muito da pessoa, e começa a aparecer a insegurança, vertigem, o medo de se machucar, e você a abandona antes que o vínculo seja realmente formado.

Em outras palavras, “fugir” quando você está conhecendo alguém é um sinal de insegurança que já é bem conhecido e identificado, tanto por aqueles que o experimentam em sua própria pele quanto por aqueles que o identificaram em seus parceiros. No entanto, existem outros sinais de insegurança no amor que podem passar mais despercebidos e serão detalhados a seguir.

O primeiro sinal de insegurança no amor: controle e ciúmes

Um dos sinais de que existe insegurança no amor é a busca por controle, tanto sobre o relacionamento (as coisas que são feitas juntas) quanto sobre o outro (o que seu parceiro faz ou deixa de fazer). Algumas pessoas têm uma necessidade “básica” de controle muito alta, ou seja, precisam de um alto grau de controle percebido para não se sentirem ameaçadas. Falamos de uma necessidade que, muitas vezes, é passada para o casal.

Em geral, quando uma pessoa busca o controle da outra, é porque se sente insegura. Uma necessidade de um controle aparente muito alto também pode estar ligada a problemas psicológicos, como o transtorno obsessivo-compulsivo.

Desconfiança no relacionamento

Além disso, a insegurança no amor também se manifesta sob a forma de ciúmes. O ciúmes é o sinal de insegurança por excelência; as pessoas que confiam em seu relacionamento e confiam em si mesmas também podem sentir ciúmes, mas sem uma intensidade ou frequência que as domine.

Uma boa maneira de combater o ciúme é eliminar todos os comportamentos que você realiza como resultado do ciúmes, por exemplo, perguntar onde está, a que horas vai chegar e quem viu, ver seus perfis nas redes sociais, etc.

A busca constante de sinais de afeto e carinho: por favor, diga que você me ama

Querer demonstrações de afeto de seu parceiro é um sinal de insegurança. Todos gostamos de receber afeto e carinho, mas outra coisa bem diferente é contar o número de gestos amorosos do parceiro. Há pessoas que realmente “medem” e comparam os gestos de amor que seu parceiro tem com elas e pedem verbalmente ao outro para falar sobre o amor que sente e, se possível, quantificá-lo.

Da mesma forma, aqueles que têm insegurança no amor podem usar expressões do tipo: “você não é tão amoroso/a comigo quanto com seus amigos” ou “quando estamos em casa você não demonstra seu afeto, e quando estamos com as pessoas sim”. Estas frases podem ser um sinal de medo, insegurança e baixa autoestima.

Por outro lado, você deve saber que esses tipos de avaliações e comentários são normais se ocorrerem com pouca frequência, ou seja, se você fizer isso quase nunca ou se não for uma fonte de desconforto. Por outro lado, aqueles que têm segurança em seu relacionamento e em si mesmos entendem que as pessoas passam por estados diferentes e que cada uma delas modifica a abertura para os outros, incluindo o casal.

Um estudo realizado pela Dra. Megan McCarthy na Universidade de Waterloo afirma que quando se tem baixa autoestima, a pessoa tende a silenciar suas necessidades de modo a não perturbar o seu parceiro. O problema é que, na maioria das vezes, isso cria dificuldades para construir um vínculo saudável, já que, a longo prazo, podem surgir reprovações, críticas e um sentimento de desconforto.

O peso do amor em uma relação

Guardar suas opiniões e evitar conflitos

Discutir e discordar de seu parceiro é saudável. De fato, discordâncias e diferenças são necessárias para aprender a conviver com o outro, entendendo que é uma pessoa diferente, com suas características e necessidades.

São muitas as pessoas que tentam evitar qualquer presságio de discussão, entendendo que esse é um sinal de fraqueza no casal. Assim, guardam suas opiniões para manter diálogos que sempre caminham na mesma direção: o que o outro diz.

Este costume que, a curto prazo, pode beneficiar a comunicação, acaba por destruir a pessoa e o próprio casal. Por outro lado, essa falta de espontaneidade, longe de eliminar a insegurança no amor, a aumentará.

O bom é que os três sinais de que falamos não servem apenas para identificar a insegurança, mas também para começar a combatê-la. Afinal, o parceiro é um pilar importante capaz de criar um grande bem-estar quando sentimos que podemos confiar nele (sem fingir, da forma como somos) e capaz de gerar uma grande tensão quando não temos essa confiança.