Os 4 tipos de budismo

· setembro 24, 2018

O budismo não é classificado como outras religiões, de acordo com hierarquias de poder, cujo topo é colocado na figura de uma pessoa que abriga a sabedoria dos textos sagrados. No entanto, podemos encontrar diferentes escolas, ramificações ou tipos de budismo.

O budismo é tanto uma religião – embora não se enquadre completamente na definição formal do termo – quanto uma doutrina filosófica. O conjunto de tradições, crenças e práticas compõem um comportamento compartilhado entre 200 e 1400 pessoas chamadas de budistas. Assim como outros tipos de práticas orientais, a prática de algumas de suas doutrinas se tornou popular no Ocidente.

O que caracteriza o budismo?

O Budismo, que surgiu na Índia entre os séculos VI e IV a. C., é a quarta religião no mundo em termos de número de seguidores. Alguns lhe atribuem duas ramificações principais: Therevada (ou Escola dos Anciãos) e Mahayana (Bom Caminho), embora estas se diversifiquem e não exista um consenso.

Os diferentes tipos de budismo

Para o budismo, as escrituras budistas, seus textos sagrados, são objeto de estudo. O objetivo consiste em cultivar a sabedoria, praticar a meditação, renunciar às coisas materiais, favorecer a bondade e a compaixão, entre outros.

Existem variantes monásticas das práticas budistas, mas a maioria das pessoas que pertencem a essa religião a praticam de forma menos intensa. Apesar de tudo, os princípios filosóficos do budismo são compartilhados por toda a comunidade.

A compreensão do budismo é holística: os ensinamentos dessa prática estão inter-relacionados e são compostos uns dos outros. Por sua vez, enfatiza-se que esses ensinamentos são apenas um guia para o Dharma (“as coisas como são”, em sânscrito).

Ramificações ou tipos de budismo

A partir dos critérios de classificação, podemos encontrar diferentes formas de praticar o budismo. De acordo com o número de praticantes, os três principais ramos do budismo são mahāyāna, therevāda e vajrayāna. No entanto, quando procuramos outro tipo de classificação, o budismo nos parece muito descentralizado.

É um pouco impreciso falar de “tipos de budismo”, já que as variantes do mesmo coincidem em algum ponto em diversos aspectos, tais como o ponto de partida histórico da doutrina. Os diferentes ensinamentos se aproximam e se afastam de uma maneira que dificulta sua classificação. Considerando este fato, é possível organizar as diferentes crenças de maneira artificial, de acordo com afinidades e diferenças.

1. Budismo tradicional e budismo moderno

A primeira classificação que podemos fazer tem a ver com a origem da prática. Enquanto o budismo tradicional ou original é um conjunto de crenças, tradições e práticas milenares, existem interpretações modernas desse sistema.

2. Budismo original de escolas nikāya

De acordo com essa classificação, existem 19 tipos de budismo, 19 escolas nikāya. Este é o nome pelo qual as primeiras escolas do budismo são designadas. Destes 19, apenas o budismo therevāda sobreviveu. Esta ramificação do budismo identifica como verdadeiros sutras o conteúdo do Canon Pāli, um conjunto de textos sagrados.

No budismo therevāda, a introspecção tem todo o protagonismo. A experiência individual e o raciocínio crítico se opõem nessa introspecção à fé cega, com o objetivo de liberar e alcançar o nirvana.

3. Rama mahāyāna

Se olharmos para a ramificação mahāyāna do budismo, a classificação de seus tipos é diferente. Como já vimos, essa é uma das três principais ramificações desse conjunto de crenças. Ao contrário do budismo therevāda, os ensinamentos são mais um guia do que uma doutrina, com o objetivo de desvendar a verdade, através da crítica e do raciocínio, questionando as teorias do passado.

Nós poderíamos assimilá-la ao método científico. Ele também se afasta do budismo therevāda em relação à aceitação de outros tipos de sutras.

Entre os tipos de budismo mahāyāna se encontra, por exemplo, o budismo zen, que busca a experiência da sabedoria, se afastando do conhecimento teórico e intelectual.

Monges budistas rezando

4. Budismo vajrayāna

Também chamado de “budismo tibetano”, foi desenvolvido na cordilheira do Himalaia e é a principal religião do Butão e da Mongólia. Se olharmos para esse tipo de budismo, encontraremos quatro escolas:

  • Nyingma: esta escola está relacionada com a purificação do corpo, palavra e mente, relativa às divindades e promotora da verdade absoluta.
  • Kagyu: esta escola promovia a transcendência da elaboração conceitual, a simplificação dos fenômenos e a posse do caminho sobre a meditação.
  • Sakya: se baseia no ensinamento Lamdré ou “caminho do fruto”. O principal sistema Dharma desta escola é o “caminho com seu resultado”.
  • Gelug: é uma das principais escolas do budismo no Tibete e pertence ao Dalai Lama. Às vezes é incluída no budismo mahāyāna por compartilhar certos sutras com ele.

Dividido em mais ou menos tipos, o budismo inspirou uma das principais correntes de pensamento que sobrevivem em um mundo que passa cada vez mais rápido, que olha mais para fora e menos para dentro.