Agressões verbais do seu parceiro que talvez você não perceba

5 agressões verbais do seu parceiro que talvez você não perceba

outubro 23, 2017 em Psicologia 375 Compartilhados
Agressões verbais no relacionamento

“A violência é o último refúgio do incompetente”. Essas sábias palavras são do famoso escritor Isaac Asimov. Infelizmente, muitos desses incompetentes conquistaram uma enorme capacidade de proferir agressões verbais não tão perceptíveis e, portanto, muito perigosas.

Além disso, se existe uma esfera em que as agressões verbais são muito perigosas, é na vida em casal. Às vezes o amor nos faz justificar atitudes e palavras completamente injustificáveis. No entanto, em alguns casos, elas são tão imperceptíveis ou comuns que nem sequer as identificamos. Vamos nos aprofundar nesse assunto.

Tipos de agressões verbais pouco perceptíveis

Decifrar as intenções da outra pessoa em um relacionamento não é coisa simples. Na verdade, por mais confiantes que estivermos, sempre vai existir a possibilidade de estarmos errados porque ninguém pode afirmar com firmeza o que o outro pensa. Dessa maneira, haverá muitas agressões verbais escondidas nas palavras e nos gestos que não vão parecer uma agressão à primeira vista. A seguir, explicaremos algumas delas.

Brincadeiras sobre a família

Não é incomum uma das partes do casal ridicularizar o outro membro do relacionamento ao criticar sua família ou sua origem. Sobretudo se a pessoa vier de lugares humildes, rurais ou se seus pais tiverem poucos recursos financeiros. No entanto, a crítica e a queixa não são exclusivas desses perfil.

“A pobreza é a pior forma de violência.”
-Mahatma Gandhi-

Agressões verbais no relacionamento de casal

Esse tipo de agressão pode ser muito ofensiva. Sem justificativa nem fundamento algum, pode levar a criar um estigma que pode ser usado oportunamente e aparecer durante um momento de raiva, em uma reunião social ou em momentos muito inadequados.

Falar dos atrativos corporais de outras pessoas

Falar dos atrativos corporais de outras pessoas não tem por que ser uma agressão por si só. No entanto, quando repetida ao longo do tempo, de forma que tenha a intenção de minar a autoestima do parceiro ou da parceira, se transforma em uma agressão verbal significativa.

Achar outras pessoas atraentes não é o problema, mas falar disso continuamente e comparar seu parceiro ou sua parceira com outras pessoas é. Inclusive, isso pode acarretar complexos e um sentimento de inferioridade pelo tratamento recebido.

Caricaturar a outra pessoa

Muitas vezes fazemos um retrato verbal do nosso companheiro ou da nossa companheira em forma de humor e caricatura. Às vezes agimos como se fôssemos capazes de ler a mente do outro, expressando que o conhecemos melhor do que ele mesmo.

O que acontece é que esse tipo de comportamento pode se repetir tantas vezes ao longo tempo que pode acabar se transformando em ridicularização. Assim, acabaria por afetar tanto o companheiro ou a companheira que sua autoestima se reduziria ao ponto de a pessoa confundir seu verdadeiro “eu” com o “eu” que expressamos.

A chantagem emocional

A chantagem emocional é outra agressão verbal que frequentemente passa despercebida, mas que provoca grandes feridas através da culpa. Essa forma de se comunicar é muito sutil, pois a pessoa que a exerce faz a outra acreditar que é ela quem faz de tudo para que a relação funcione e seja bem-sucedida.

Manipulação no relacionamento

Assim, todos os discursos de chantagem emocional costumam estar voltados a demonstrar o esforço que o manipulador realiza para que tudo funcione e dê certo. Dessa maneira, a vítima acaba acreditando que é culpada pelo que aconteceu e que, se não fosse pelo seu companheiro, tudo seria um verdadeiro desastre.

Gaslighting

O gaslighting é uma forma de abuso psicológico que recebe esse nome por causa de um filme famoso. Nesse caso, a agressão verbal visa fazer o parceiro ou a parceira duvidar das suas próprias capacidades mentais, sua percepção e sua memória.

Através de mentiras e manipulações, é criado um enorme mal-estar psicológico na outra pessoa, fomentando sua insegurança e desvalorização.

No entanto, é muito complicado identificar essa situação. Por isso, os psicólogos recomendam ouvir uma terceira opinião de alguém de fora do relacionamento. Caso contrário, pode provocar problemas realmente graves.

“Muito trabalho e muito sangue seriam evitados se abríssemos nossos corações.”
-Chief Joseph-

Assim, por mais que esse tipo de agressão verbal possa parecer muito óbvia e conhecida, nem sempre é fácil reconhecê-la, especialmente se formos o alvo dela. Por isso, devemos prestar atenção nos nossos relacionamentos e, sobretudo, na forma de nos comunicar que estabelecemos neles a fim de prevenir situações de mal-estar, conflitos ou términos com base em uma comunicação adequada.

Recomendados para você