Melhorar o currículo: não perca estes conselhos e recomendações

Os 7 melhores conselhos para melhorar o currículo

julho 12, 2018 em Psicologia 0 Compartilhados
Como melhorar o currículo

Hoje em dia, encontrar uma vaga de trabalho satisfatória é uma tarefa difícil. A concorrência feroz, os fatores geográficos e as exigências de um mercado de trabalho cada vez mais seletivo podem nos fazer duvidar das nossas capacidades. Recebemos diversas informações e dicas de como melhorar o currículo, mas não sabemos exatamente quais são os passos a seguir.

Em uma sociedade tão preparada como a atual, elaborar um currículo atraente não é simples. Ao nosso redor, observamos que as pessoas vêm utilizando técnicas novas: os vídeos-currículos e os suportes alternativos (como cartolinas coloridas ou desenhos), que são fáceis de encontrar via internet.

Para melhorar o currículo, apesar do que possa parecer à primeira vista, não basta uma aparência bonita. É verdade que é importante atrair o público, mas não podemos decepcionar no conteúdo.

Se a mensagem não for a correta, as cores e toda a parafernália não vão servir para nada.

Existem muitas técnicas concentradas em melhorar o currículo e todas elas podem nos ensinar coisas diferentes. Algumas vão parecer familiares, mas outras serão completamente novas. O importante é saber aproveitá-las para que o mundo inteiro veja do que você é capaz.

Dicas para melhorar o currículo

1. É proibido mentir

Não mentir parece óbvio, mas cada vez é mais comum encontrar currículos falsos. Acrescentar trabalhos que você não realizou, mentir sobre o cargo que teve, ou inclusive inventar que terminou a universidade quando não a finalizou, pode trazer consequências terríveis. Não só é vergonhoso, mas também um sinal de muita incompetência.

Ser sincero não é somente algo digno, também é inteligente. Se seus chefes ou entrevistadores descobrirem que você mentiu sobre algo tão importante, vão começar a desconfiar de você. Ninguém gosta de ter trabalhadores pouco confiáveis na sua empresa, portanto, tente não dar essa impressão.

Entrevista de emprego

2. Aprenda a se diferenciar dos outros

É recomendável que você destaque algo que o diferencia dos outros. Não só no quesito do desenho exterior do currículo (como mencionamos anteriormente), mas também nas suas aptidões. Aprenda um idioma pouco falado, escolha cursos mais específicos, acrescente experiências de voluntariado ou inclua vivências profissionais que possam ser comentadas.

O problema de quase todos os currículos é que eles são muito parecidos. Quanto mais original for a sua trajetória, mais curiosidade você vai despertar no leitor e, como consequência, na pessoa que contrata.

“Escolha um trabalho do qual você goste e não terá que trabalhar um único dia da sua vida”.
– Confúcio –

3. Tamanho adequado

Não deve ser muito extenso, nem muito curto. Um dos aspectos nos quais mais se bate o pé na hora de melhorar o currículo é que a trajetória profissional seja mais curta que os anos trabalhados. Com isso, nos referimos ao fato de que é melhor destacar ter trabalhado muitos anos em uma mesma empresa do que em muitas, para não transmitir uma imagem de instabilidade.

Não inclua muita informação sobre o seu colégio ou universidade, a não ser que os seus méritos sejam valiosos. Todas as trivialidades relacionadas devem ser descartadas, com o objetivo de não parecerem entediantes. A extensão ideal do currículo é entre uma e duas folhas, sendo três considerado um excesso.

4. Não inclua os seus passatempos

Muitas pessoas, na tentativa de parecer acessíveis, incluem muita informação pessoal. Além de ser um erro, dá uma sensação de ser pouco profissional. É recomendável incluir uma apresentação e suas metas, mas só um resumo.

Da mesma forma, tente não utilizar muitas palavras técnicas. O que se busca é um ponto intermediário entre formalidade e proximidade, mas sem chegar a alcançar nenhum dos extremos.

5. Consiga cartas de recomendações

Muitos recrutadores pedem cartas de recomendação. Consegui-las pode ser uma tarefa complicada, ainda mais quando faz muito tempo que não temos contato com antigos professores. No caso deles ainda continuarem como docentes, solicite uma reunião.

O mesmo acontece em relação aos antigos chefes. Nesse caso será mais simples, sempre e quando eles mantiverem o mesmo cargo de trabalho. No entanto, é importante lembrar que nem todas as empresas incluem as cartas de recomendação como um requisito indispensável.

Mulher em entrevista de emprego

6. Redação adequada

Os erros gramaticais e de ortografia são completamente proibidos. Você deve repassar o seu currículo para evitar erros que possam lhe custar uma vaga de emprego.

Apesar desta recomendação parecer absurda, é algo que se analisa bastante. A imagem de um currículo cheio de erros não só indica uma pessoa ignorante, mas também um funcionário preguiçoso.

7. Os voluntariados ganham pontos

Os voluntariados não são obrigatórios, mas são muito recomendáveis. Além de constituírem experiências, são um adicional a favor do seu valor como candidato. Encontre uma causa interessante e faça alguns meses de voluntariado. Você aprenderá muito e poderá decidir ficar por mais tempo.

Qualquer empresa se sente atraída por um trabalhador comprometido com causas sociais. Demonstrar integridade e preocupação com os outros não só melhorará sua trajetória profissional, mas também a sua vida.

O currículo é um aspecto importante na hora de escolher um candidato, mas não é o único. Procure não preencher o currículo com informação irrelevante, acrescentar dados honestos e estar comprometido com causas que valham a pena. Estes são somente alguns dos pontos a serem considerados.

Cada empresa e instituição é diferente, e é necessário estar informado sobre o lugar onde queremos trabalhar e sua trajetória. Conhecer as novidades do setor de atuação também somará pontos a favor; mesmo que isso não possa ser incluído no currículo, poderá ser registrado nas entrevistas.

Recomendados para você