Educação tóxica: 9 sinais que ajudam a identificá-la

9 sinais de uma educação tóxica

20, março 2017 em Psicologia 2060 Compartilhados
9 sinais de uma educação tóxica

A maioria dos pais faz tudo o que é possível para proporcionar a seu filhos uma infância feliz e saudável. Outros fazem o que podem, deixando-se levar pela educação que receberam de seus pais. Ter boas intenções, porém, não o livra, como pai ou mãe, de cometer erros.

Não ter um critério claro para educar seus filhos também não o livra da responsabilidade final que tem com relação a eles. Sem querer, ou intencionalmente – mas ignorando o dano –, os pais podem estar oferecendo uma educação tóxica a seus filhos.

Como saber, porém, se a educação que você está dando a seus filhos é tóxica? Observe e analise as seguintes situações. Se elas acontecem em uma casa, existem muitas possibilidades de um, ou ambos os pais, serem tóxicos para seus filhos.

Indícios de uma educação tóxica

Você é capaz de lhe dar afirmação e segurança?

Algumas pessoas acham que a rigidez e a exigência são os ingredientes mágicos que farão com que seus filhos sejam capazes de cuidar de si mesmos no futuro. Só que os pais que aplicam o “amor rígido” não têm real consciência do impacto que isso pode ter na vida de seus filhos.

Essa forma de “amar” os filhos não é vista por eles como tal. Os filhos exigem AMOR com letras maiúsculas, amor terno. Os pais que não oferecem esse amor a eles não estão dando a segurança e a afirmação de que eles necessitam.  A mão firme não é uma abordagem que serve para criar filhos equilibrados e mentalmente saudáveis.

Você é crítico demais com o seu filho?

Todos os pais criticam de vez em quando. Deixa-se de aprender muitas coisas sem um pouco de crítica. No entanto, uma mãe ou um pai tóxico levam isso ao extremo prejudicial, sendo críticos com tudo o que seus filhos fazem.

Esses pais podem cometer o erro de achar que fazem isso para garantir que seus filhos não cometam erros graves. Infelizmente, a crítica contínua faz com que a criança desenvolva uma dura crítica interna, que pode virar uma insegurança e um limite opressivo quando for adulto.

“Seus filhos demandam, mais que tudo, que você os ame por quem são, não que passe todo o tempo tentando corrigi-los”.
-Bill Ayers-

menino-recebendo-bronca-do-pai

Você exige constantemente a atenção do seu filho?

Os pais tóxicos, constantemente, recorrem a seus filhos como substitutos de seus próprios pais, exigindo sua atenção a todo o momento. Eles podem fazer isso com a ideia de reforçar o vínculo entre eles. No entanto, a exigência constante de atenção dá lugar a uma relação parasitária que requer muito tempo do filho e suga a energia que deveria ser usada para outras coisas, como a aprendizagem de outras habilidades ou a relação com iguais.

Mesmo que seja difícil, os pais devem deixar seus filhos em um espaço para crescer, para aprender, para brincar, para se relacionar com outras pessoas, sem exigir deles uma interação constante para satisfazer suas próprias necessidades.

“Creio que o melhor que podemos fazer por nossos filhos é permitir que façam coisas por si mesmos, que possam ser fortes, que possam experimentar a vida em seus próprios termos, que possam pegar o trem… deixá-los serem melhores pessoas, deixar que eles acreditem mais neles mesmos”.
-C. JoyBell C-

Você usa como justificativa o comportamento tóxico de seus próprios pais?

A maioria dos pais tóxicos cresceram em um ambiente de educação tóxica alimentada por seus próprios pais. Alguns são conscientes disso e do dano que isso causou neles, por isso tentam não reproduzir o modelo herdado de seus pais.

No entanto, muitos justificam o comportamento tóxico com exemplos de seus próprios pais. E mais: acreditam que, se seus pais tinham um comportamento físico ou emocionalmente abusivo com relação a eles, era porque mereciam.

Isso se deve ao fato de que os pais tóxicos têm a habilidade de distorcer qualquer situação para que ela se adapte às suas necessidades, e isso deixa seu filho com duas opções: aceitar que seu pai faz mal a ele ou internalizar toda a culpa. O triste é que, na maioria dos casos, os filhos, inclusive os adultos, escolhem a última opção.

Você não deixa que ele manifeste suas emoções negativas?

Não deixar que um filho manifeste seus sentimentos negativos nem suas necessidades emocionais pode levar à depressão. Também pode fazer com que seja mais difícil para ele administrar adequadamente a negatividade em sua vida adulta.

Os pais que se negam a nutrir as necessidades emocionais de seus filhos e negam, ou criticam, suas emoções negativas estão criando um filho que se sentirá incapaz de expressar o que precisa.

Educar também é ensinar a crescer nos dias ruins, nos quais a frustração ameaça surgir de um momento para o outro. Não é protegê-los da adversidade, é dar-lhes ferramentas para que saibam enfrentá-la e ela não os assuste.

Você coloca seus interesses e necessidades na frente de seus filhos?

Os pais tóxicos costumam acreditar que seus sentimentos devem vir primeiro nos assuntos familiares. Esta forma antiquada de pensar, porém, não ajuda a estabelecer relações positivas. Apesar de os pais terem que tomar a decisão final com relação a tudo, é necessário que levem em conta os sentimentos de cada membro da família.

filho-tapando-os-ouvidos

Neste sentido, os pais tóxicos obrigam constantemente seus filhos a reprimirem os próprios sentimentos e necessidades para acalmá-los. De alguma forma, pretendem, assim, ter uma relação entre iguais, já que, se algo caracteriza uma relação entre pais e filhos, especialmente no início, é a falta de simetria.

Você usa a culpa e as recompensas em forma de presentes ou dinheiro para controlar seus filhos?

A maioria dos filhos já foram culpados, alguma vez, por seus pais, mas as pessoas tóxicas recorrem a esta tática de forma regular. A culpa é uma ferramenta de controle emocional muito efetiva para conseguir seus objetivos, mas muito danosa para as crianças.

Esta atitude dos pais tóxicos costuma vir acompanhada de subornos em forma de dinheiro ou presentes em troca de conseguir o que querem, ou como forma de apaziguar sua própria culpa.

Você se nega a conversar com seu filho quando está bravo com ele?

Pode ser difícil falar com alguém com quem você está bravo, mas negar a palavra a uma criança e aplicar o tratamento do silêncio como uma lição é um comportamento prejudicial e imaturo.

Este tratamento passivo-agressivo machuca em qualquer tipo de relação e faz com que o outro se sinta pressionado a solucionar uma situação pela qual pode não ser responsável, inclusive quando não fez nada ruim ou não sabe o que fez exatamente. O silêncio não conta, não ensina as crianças que precisam aprender.

Você faz do seu filho o responsável pela sua própria felicidade?

Se você acredita que seu filho tem uma papel fundamental em sua própria felicidade, você está criando expectativas pouco realistas sobre seu papel na vida. Nenhuma criança deve ser considerada responsável pela felicidade de seus pais, nem de ninguém.

mãe-olhando-para-a-filha-irritada

Cada um é responsável pela própria felicidade, são nossas decisões que nos aproximam ou nos afastam das pessoas adequadas, que escolhem um objetivo e não outro, ou dão um destino e um significado às casualidades.

 “Assuma a responsabilidade de sua própria felicidade, não espere que as pessoas ou coisas lhe tragam felicidade, ou você pode se decepcionar”.
-Rodolfo Costa-