A busca de sentido segundo Viktor Frankl

dezembro 28, 2018

Muitas vezes ficamos tão focados em mudar as nossas circunstâncias que nos esquecemos do enorme poder que temos para aproveitar o presente independentemente do que esteja acontecendo. Um dos maiores expoentes dessa ideia foi o neurologista e psiquiatra austríaco Viktor Frankl e sua busca de sentido.

A partir do relato de suas experiências em um campo de concentração, esse autor explica em seu livro ‘O Homem em Busca de Sentido’ a experiência que o levou a criar a logoterapia, uma psicoterapia que propõe a busca de sentido como a motivação primária de todo ser humano. Viktor Frankl, prisioneiro durante muito tempo, sentiu em seu próprio ser o significado de uma existência vazia.

Agora… Como ele conseguiu aceitar que a vida era digna de ser vivida? Um homem que havia perdido tudo, que havia presenciado a destruição de tudo que valia a pena, um homem que passou fome, frio, violências sem fim… que tantas vezes esteve à beira do precipício e olhou nos olhos do extermínio. Mesmo assim, Frankl conseguiu encontrar um sentido para sua existência.

“Quem tem um ‘para que’ viver, quase sempre encontrará o ‘como'”.
-Nietzche-

Segundo esse psiquiatra, a busca de sentido na vida é, na verdade, a essência da mesma. É enquanto procura esse sentido que o homem se confunde e aspira encontrá-lo em outro ser humano e vivenciar o amor.

Mas quando esse sentido da existência é frustrado, o desejo de poder ou de ter prazeres ocupa o lugar mais importante da motivação dos comportamentos. Dessa forma, a busca da felicidade se converte em um fim por si só, e por isso surge a frustração. A construção do sentido acaba sendo deixada de lado.

Viktor Frankl

Como podemos transformar nossa existência?

A felicidade é obtida como consequência de ter uma meta, e não pela busca direta da mesma. A porta para a felicidade só pode ser aberta pelo lado de fora, e quem tenta derrubá-la pelo lado de dentro acaba se trancando e jogando a chave fora.

O otimismo é uma peça chave dentro da concepção de felicidade de Frankl. Em sua filosofia, a vida aparece como uma oportunidade para a qual devemos dar uma resposta: é necessário buscar a melhor opção para conservá-la e também manter a promessa que fazemos de sobreviver. Nesse sentido, uma vez definido o “porquê”, o foco passa para o “como”.

“Você também acredita que o sentido da vida não é nenhum outro além da paixão, que um dia arrebatará nosso coração, nossa alma e nosso corpo, e que depois arderá para todo o sempre, até a morte, haja o que houver? E que se já tivermos vivido essa paixão, então nossa vida não foi em vão?”.
-Sandor Marai-

O amor é a meta mais alta que um ser humano pode aspirar. Esta fé fundamental permite recuperar todos os esforços, decisões e ações que alguém já realizou ao longo de sua vida. O fundamental para Frankl é que o homem responde às perguntas que a vida faz, mas a vida não responde às perguntas que o homem quer fazer. A felicidade surge quando você mesmo cria essas respostas.

Nesse compromisso, nossos valores têm um papel fundamental. Especialmente importantes são as características ligadas à atitude, criatividade e às experiências, sendo que nesse último caso as experiências amorosas são as que mais se destacam.

Os valores tornam possível uma viagem interior durante a qual surge, por um lado, a fé no futuro e, por outro, a busca de recursos baseados no amor e a busca de um sentido baseado na própria história de vida de cada um.

A relação entre força interior (valores, fé, amor e sentido) e metas futuras é o ímpeto que integra o indivíduo e lhe permite se reconhecer como um ser único e impossível de ser reproduzido.

“A valorização de si mesmo é o ponto de partida para a busca de sentido”
-Viktor Frankl-

Mãos abertas em torno do sol

O que é a atitude interior e como ela nos ajuda na busca de sentido?

A atitude interior perante as circunstâncias que se apresentam externamente é resultado de uma escolha pessoal. É a liberdade para se converter no tipo de pessoa que queremos ser. Estar além das limitações materiais ou físicas é uma das possibilidades que o humano tem, momento no qual o homem conhece a experiência do heroísmo.

Para que as pessoas desenvolvem a melhor atitude interior possível, Frankl falou de uma série de ensinamentos fundamentais. As nove mais importantes lições são as seguintes:

  • Escolha ter esperança. Nem sempre podemos mudar as circunstâncias, mas sempre podemos escolher nossa atitude em qualquer situação que chegue até nós. Quando já não tivermos mais nenhum meio de mudar uma situação, seremos desafiados a mudar nosso próprio interior.
  • Conheça seus porquês. Pergunte a si mesmo: Para que eu estou vivendo? Todos os dias deveríamos nos levantar e perguntar o motivo de estarmos nos levantando, por que estamos aqui. Quem tem um porquê pode tolerar quase qualquer caminho.
  • Aprenda a chorar. As lágrimas não são um sinal de fraqueza, elas vêm de uma alma que não tem medo de quebrar. Não há necessidade de agonizar em lágrimas, porque elas testemunham que um homem teve a maior de todas as coragens, que é a coragem para sofrer.
  • Não se conforme em ser mais um boi no rebanho. O mundo está todo de cabeça para baixo. Em algumas ocasiões, fazer o que todos estão fazendo é, na verdade, uma grande loucura. Uma reação anormal perante uma situação anormal é normal.
  • Viva com sentido. Podemos dar sentido para a vida respondendo às perguntas que ela nos faz. A vida planta em cada pessoa um desafio, e só aquela pessoa pode responder com suas próprias ações. O que cada um espera da existência não importa, o que importa é o que a existência espera dele.
  • Coloque atos de bondade no seu dia. A amabilidade tem um objetivo, as centenas de oportunidades que temos todos os dias de fazer pequenos atos altruístas nos ajudam a preencher a vida com sentido.
  • Veja além dos seus próprios olhos. Encontramos o verdadeiro sentido quando transcendemos nossos próprios limites e necessidades. Quanto mais uma pessoa se esquece dela mesma, ao se doar para a causa de outras pessoas, mais humana ela se torna e mais ela cresce.
  • Sinta a dor dos outros. Sofrer é doloroso, por mais irrelevante que o problema pareça para as outras pessoas. Ter empatia com a dor do outros, inclusive se não é uma tragédia do seu ponto de vista, é muito importante.
  • Podemos mudar mesmo quando a vida está difícil. Podemos criar uma vida significativa e cheia de sentido, amor e propósito em qualquer lugar. Mesmo no cimento uma planta pode encontrar uma brecha para florescer.

“Tenho a minha própria versão do otimismo. Se eu não consigo abrir uma porta, abrirei outra ou eu mesmo farei uma terceira. Algo maravilhoso virá, não importa o quão escuro o hoje está”.
-Rabindranath Tagore-