A relação entre a voz e a personalidade

A voz é aquele lago em que emoções, medos e sonhos se refletem. Ela diz tanto que ultrapassa, em muitos casos, as indicações ou a semântica das palavras que escolhemos para o nosso discurso.
A relação entre a voz e a personalidade
Valeria Sabater

Escrito e verificado por a psicóloga Valeria Sabater em 15 Novembro, 2021.

Última atualização: 15 Novembro, 2021

Às vezes, ao falar ao telefone com um estranho, criamos uma rápida imagem de como essa pessoa é. Saber que a voz reflete pistas da sua personalidade pode ser um pouco perturbador. No entanto, o tom vocal é a música das emoções e o som daqueles murmúrios internos que, muitas vezes, revelamos para os outros.

Existem vozes alegres, que são agradáveis de ouvir. Algumas são inseguras e instáveis. Há vozes confiantes, que se impõem pelo tom e pela forma de articulação. Além disso, há algo evidente: a maioria de nós detesta a nossa própria voz quando a ouve em algum dispositivo. Nós nos reconhecemos mas, ao mesmo tempo, sentimos que alguém mudou a nossa voz.

A voz tem poder, pode nos encantar e assustar, pode fazer com que nos apaixonemos e até mesmo nos incomodar. Raramente ficamos indiferentes ao ouvir alguém falar.

A voz também pode ser o espelho da alma.

A comunicação

O que a sua voz diz sobre a sua personalidade?

A maneira como você fala tem um impacto sobre os outros. A maioria de nós sabe disso e, em muitos contextos, procura cuidar do tom, do volume e até do componente emocional que se acrescenta a cada palavra, expressão e conversa. No entanto, nem todos dão atenção a essa variável.

Existem aqueles que podem causar um claro dano psicológico com a sua forma de falar, expressar e entoar. O simples fato de conhecer alguém que fala gritando já revela nuances importantes do seu jeito de ser. Agressão e narcisismo também estão embutidos na voz. As características vocais revelam muitas pistas sobre a personalidade humana, segundo a ciência.

Vozes profundas com um tom mais baixo: pessoas dominantes

Há uma pesquisa muito recente realizada em conjunto entre as Universidades de Goettingen, Copenhagen e a Universidade de Toronto, no Canadá. Neste trabalho, mais de 2.200 pessoas em 4 países diferentes foram analisadas para descobrir algo surpreendente.

Homens e mulheres com um tom de voz mais baixo, mas profundo, parecem ter uma personalidade mais dominante.

Vozes graves, extroversão, caráter enérgico e maior liberdade sexual

Este fato ainda é curioso. Em seu estudo, a Dra. Julia Stern também aponta para outro fato que pode ser apreciado. Pessoas com um tom de voz mais grave revelaram uma personalidade mais extrovertida, aberta à vivência, à sociabilidade e, especificamente, à busca por relações sexuais.

Amabilidade, equilíbrio na modulação e o tom

A voz reflete pistas da sua personalidade, de como você é e como trata os outros. A amabilidade, por exemplo, é definida pela modulação correta e um tom equilibrado, direto e acolhedor. A pessoa com um caráter amável tem música em sua voz e causa um impacto positivo em quem a escuta.

A voz colorida: extensão vocal e rigidez ou positividade

Entendemos a extensão vocal como o número de diferentes frequências ou notas que podemos emitir em nossa voz. Para usar uma metáfora, existem aqueles que falam apenas em preto e branco (vocalidade restrita) e aqueles que são capazes de usar mais cores.

Se essa extensão vocal for de amplo espectro, tendemos a nos deparar com uma personalidade dinâmica, feliz e positiva… No entanto, aquelas definidas por uma tonalidade mais acinzentada, mais restrita e com menos frequências vocais denotam um caráter rígido, contido, elusivo..

A voz reflete pistas sobre a sua personalidade e as suas emoções

A voz reflete pistas sobre a sua personalidade e, como tal, é comum que você use sempre o mesmo tom, a mesma extensão vocal. Você pode ser daqueles que falam rápido porque são mais inquietos e nervosos, ou daqueles que se definem por aquela serenidade lenta em que as palavras se juntam de forma afinada.

Em outras palavras, todos nós nos definimos pelo nosso próprio estilo quando se trata de comunicação. No entanto, há outro fato. Sua voz também é o espelho das suas emoções. Nela, seus medos vacilam. Nela, o volume da felicidade aumenta repentinamente. Ela também pode ser abrandada pelo efeito daquela tristeza que diminui tudo, até a própria voz.

Casal conversando em casa

Aprenda a usar a sua voz para cativar as pessoas

Saber se comunicar não significa apenas saber transmitir uma mensagem. As habilidades de comunicação devem, por sua vez, integrar um bom comando vocal. É assim que alcançamos melhor o nosso público, além de convencer, cativar e causar um impacto positivo. Se o olhar é o espelho da alma, a voz não fica muito atrás; na verdade, é o canal onde se evidencia o bom tratamento e também o correto manejo emocional.

Você não precisa ter uma “voz de rádio” para causar uma boa impressão. Na verdade, o mais importante é construir a confiança. Trabalhos de pesquisa, como os realizados pelo Dr. Phil McAleer, professor de psicologia da Universidade de Glasgow, apontam algo relevante: levamos apenas 390 milissegundos para formar uma ideia sobre a personalidade de alguém.

A voz é um dos nossos baluartes mais poderosos e, se pudermos demonstrar confiança, teremos tudo. Sentir que podemos confiar em alguém é a cola social mais significativa que existe.

Pode interessar a você...
A personalidade é herdada? Saiba o que a ciência tem a dizer sobre isso
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
A personalidade é herdada? Saiba o que a ciência tem a dizer sobre isso

A personalidade é herdada, mas isso só ocorre com alguns traços e características. O ambiente e as nossas experiências também são muito importantes...



  • Belin P, Boehme B, McAleer P (2017) The sound of trustworthiness: Acoustic-based modulation of perceived voice personality. PLoS ONE 12(10): e0185651. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0185651
  • Ernest Kramer. (1964) Personality Stereotypes in Voice: A Reconsideration of the Data. The Journal of Social Psychology 62:2, pages 247-251.
  • Julia Stern, Christoph Schild, Benedict C. Jones, Lisa M. DeBruine (2021) Do voices carry valid information about a speaker’s personality? Journal of Research in Personality. Volume 92, June 2021, 104092