Quando você aceita as suas polaridades, se torna mais você mesmo

Quando você aceita e incorpora as suas polaridades, se torna mais você mesmo

agosto 20, 2017 em Psicologia 732 Compartilhados
Quando você aceita as suas polaridades, se torna mais você mesmo

Quando você aceita e incorpora as suas polaridades, se torna mais você mesmo. Você se torna genuíno e autêntico. Entra no caminho que sempre conduz à sua essência mais pura. Um caminho que sempre nasce em você e volta para você.

Mas, o que entendemos por polaridade? As polaridades fazem referência aos extremos de um mesmo todo. Extremos que são opostos entre si. Se um lado é luz, o outro é sombra. Se um lado é passividade, o outro é ação. Quando um é claro, o outro é escuro. Portanto, estamos falando dos extremos que existem em um mesmo todo.

No aspecto psicológico podemos encontrar exemplos destas polaridades nos seguintes pares: Tristeza-Alegria, Euforia-Tranquilidade, Extroversão-Introversão, Feminilidade-Masculinidade… certamente você já entendeu a que me refiro e inclusive pode completar a sua lista. Além disso, é provável que tenha vivido dentro de você cada um destes opostos. Quem nunca se sentiu triste e alegre? Quem nunca esteve eufórico apesar de ser, em geral, tranquilo?

Embora a cultura abrigue parte das suas polaridades, elas continuam estando em você

As polaridades falam da vida em toda a sua extensão. Elas falam do que a vida É e do que a vida DÁ. Você procura a luz? Darei a você também a escuridão. Poder ver estas polaridades e como o fato de estarmos em um extremo ou outro nos influencia faz parte do nosso crescimento pessoal.

A cultura, as normas sociais, a herança familiar, os mandamentos disfarçados, silenciam e maltratam um lado do todo, um extremo dessa dupla. Silencia um lado da polaridade. Amputa a nossa essência, muitas vezes sem deixá-la crescer. Como um broto de erva que luta por sair, mas é sempre cortado. A energia que usa querendo sair é totalmente amputada pela ferramenta que a corta.

As polaridades de cada um

Duas polaridades

Contudo… a energia continua ali. E se não sai de forma natural, sairá de outras formas menos sadias e mais violentas. Isto é o que acontece com nossas polaridades. Quantas vezes você já surpreendeu a si mesmo ao se ver agressivo e ofensivo, quando talvez a imagem que você tem de si mesmo é de uma pessoa tranquila e paciente. Quantas vezes você já se surpreendeu ao se ver tranquilo e sossegado, quando você se considera alguém nervoso e facilmente irritável pelo seu entorno?

Identificar-se somente com uma parte da polaridade é negar a autenticidade

Essa é a sua autenticidade. Você é ambos os extremos. Você é agressividade e delicadeza, é tranquilidade e nervosismo. É luz e sombra… Normalmente nos posicionamos em um extremo do todo negando com total convicção a existência do outro extremo. “Eu sou muito tranquilo, nunca me irrito!” “Eu sou muito independente e não preciso de ajuda”.

É nessa hora em que negamos parte da nossa natureza que criticamos duramente o outro. Se não sou capaz de aceitar o que eu repudio de mim e o que a sociedade me leva a repudiar, o verei e o repudiarei nos outros também. Mas… não em mim, porque isso “não sou eu”. “Porque eu sou muito tranquilo e nunca me irrito”. Contudo, quando vejo que outros o fazem, o meu ser ferve e explode.

Nós nos identificamos com aquelas partes das quais nos orgulhamos ou com aquelas partes que a cultura na qual vivemos estimula. Ser homem e “ser feminino” (o que a sociedade considera ser feminino) às vezes é visto como uma coisa estranha em certas culturas. Contudo, em outras é uma coisa totalmente normal e natural.

Se nos apropriarmos do que negamos, já não o projetaremos para fora

Uma vez que reconhecemos nossos extremos, podemos aceitar a nós mesmos. Quando nos aceitamos, paramos de projetar no outro aquilo que não gostamos de nós mesmos, inclusive quando existe conseguimos entendê-lo sem julgá-lo. O contemplaremos com tranquilidade e sem nos sentirmos perturbados, já que não estaremos projetando o que não gostamos de nós mesmos, simplesmente o estaremos contemplando.

“Você não enxerga o que você é, mas sim a sua sombra.”
-Rabindranath Tagore-

A mulher e suas polaridades

Trabalhe para a sua autenticidade, para incorporar as suas polaridades. Quanto mais você se aceitar, menos irá rejeitar o outro. Quanto menos preconceitos você tiver, mais livre será. Quanto mais se aceitar, mais poderá trabalhar consigo mesmo a partir do carinho para melhorar, eliminando a necessidade de projetar o que você não gosta nos outros.

Recomendados para você