Adaptação hedonista: por que nunca somos felizes o suficiente?

Nem ganhar na loteria, nem conseguir uma promoção, nem encontrar um parceiro o fará tão feliz quanto pensa. Descubra como a adaptação hedonista está relacionada à sua felicidade.
Adaptação hedonista: por que nunca somos felizes o suficiente?

Última atualização: 20 junho, 2022

Provavelmente em algum momento da sua vida você já pensou algo como “serei feliz quando tiver um parceiro” ou “quando eu conseguir uma promoção”. Nesses momentos, esse objetivo que você sente que está perdendo parece a chave para o seu completo bem-estar. E, no entanto, quando você o alcança, seu impacto positivo é realmente de curta duração. Por que isso acontece? Bem, na verdade, é devido a um fenômeno conhecido como adaptação hedonista.

É importante saber que não se trata de nenhum tipo de patologia, mas de um mecanismo que atua em todas as pessoas. A capacidade de adaptação é essencial para nossa sobrevivência; porém, se não estivermos alertas, pode levar a uma insatisfação permanente. Nós explicamos o porquê.

O que é adaptação hedonista?

A adaptação hedonista (ou adaptação hedônica) é a tendência dos humanos de retornar ao nível básico de felicidade logo após experimentar qualquer tipo de mudança. Por exemplo, muitas vezes pensamos que ganhando na loteria nossa vida melhoraria exponencialmente e ficaríamos extremamente felizes. Ou, inversamente, que ao sofrer um acidente e perder um membro seríamos profundamente infelizes para sempre.

No entanto, as evidências não suportam esse pensamento. Na realidade, é comum que as pessoas retornem a um nível estável de felicidade com relativa rapidez. Assim, nem a loteria nem o acidente causam mudanças duradouras em seu estado de espírito geral.

Esse processo pode ser muito positivo quando enfrentamos eventos dolorosos, como a perda de um ente querido, um desastre natural ou uma demissão do emprego. E somos capazes de nos recuperar e seguir em frente. No entanto, diante de acontecimentos agradáveis, como um aumento de salário, a compra de um carro novo ou um casamento, a adaptação hedonista faz com que essa felicidade extra desapareça rapidamente.

mulher sorrindo
Após uma mudança positiva, voltamos aos níveis de felicidade que normalmente experimentamos.

Por que esse fenômeno ocorre?

Como podemos ver, a adaptação hedonista desempenha um papel importante. Mas como isso realmente funciona? Existem vários fatores que explicam essa rápida diminuição da felicidade:

Habituação

A principal razão pela qual ocorre a adaptação hedônica é porque nos acostumamos com a presença desse elemento positivo. Embora seja novidade, podemos experimentar essa felicidade extra; no entanto, ao vê-lo, tê-lo e desfrutá-lo todos os dias, seu impacto sobre nós perde força.

É um processo semelhante ao envolvido nos vícios. Com o tempo, nos acostumamos com esses surtos de dopamina e a substância ou evento perde seu potencial de reforço; assim, precisamos cada vez mais sentir essa euforia.

Falta de esforço

Curiosamente, nem todas as mudanças são igualmente influenciadas pela adaptação hedonista. Constatou-se que aquelas que ocorrem circunstancialmente, sem nenhum esforço de nossa parte, têm muito mais probabilidade de perder rapidamente a capacidade de gerar prazer. Por exemplo, comprar uma camisa nova pode nos deixar eufóricos por um tempo, mas esse sentimento logo passará.

No entanto, aquelas mudanças que exigem algum tipo de esforço ou ação, que representam um desafio constante para nós, geralmente nos deixam felizes por mais tempo. Seria o caso, por exemplo, de começar a escrever um livro ou inscrever-se naquele curso que tanto queríamos fazer.

Necessidade de autorrealização

Por outro lado, podemos verificar que, quando finalmente conseguimos o que tanto queríamos, novos objetivos e desejos surgem imediatamente em nós. Pensávamos que receber um aumento nos deixaria felizes, mas agora gostaríamos de ter mais tempo livre. Costumávamos pensar que conseguir um parceiro era tudo o que precisávamos, mas agora que temos um, queremos um carro novo, uma aparência melhor ou uma vida social maior.

Certamente, essa busca constante pelo aprimoramento é natural. Os seres humanos estabelecem metas e objetivos e trabalham para alcançar essas aspirações. É o caminho para a autorrealização e é uma necessidade básica compartilhada por todos.

homem pensando
A adaptação hedonista nos leva ao ponto de felicidade em que costumamos estar.

Como lidar com a adaptação hedonista?

O fato de esse mecanismo existir e ser ativado automaticamente em nós não significa que não possamos fazer nada para minimizar seus efeitos. Algumas opções incluem o seguinte:

  • Tente variar certos parâmetros para que a estimulação não seja sempre a mesma e, assim, evite a habituação. Por exemplo, se você tem um parceiro, evite cair na rotina organizando planos e atividades diferentes, ou tendo conversas enriquecedoras e variadas que vão além do mundano.
  • Tente estabelecer metas e objetivos ativos (como aprender uma nova habilidade), em vez de passivos (como adquirir bens materiais).
  • Pratique a gratidão. Muitas vezes cometemos o erro de pensar tudo o que temos e tudo o que conquistamos como garantido, privando-nos assim de poder sentir o orgulho e o prazer disso todos os dias. Para evitar isso, reserve alguns momentos para enumerar e lembrar as bênçãos que você tem em sua vida e os sucessos que já alcançou.
  • Não condicione sua felicidade à ocorrência de grandes eventos. Aprenda a apreciar as pequenas coisas e construa o seu bem-estar no seu dia-a-dia. Você não precisa esperar essa grande mudança para se sentir bem, trabalhe para ser feliz hoje.

Em suma, lembre-se de que a adaptação hedônica nos leva de volta ao nível de felicidade que costumamos ter. Portanto, nossa melhor opção é elevar esse “ponto fixo” ao qual retornaremos mais cedo ou mais tarde.

Assim, se você já se sentia realizado antes de conseguir aquela nova casa, aquele novo emprego ou seu novo parceiro, quando a adaptação hedônica entrar em vigor, você ainda voltará para um bom lugar.

Pode interessar a você...
O método dos 7C para alcançar os objetivos
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
O método dos 7C para alcançar os objetivos

O método dos 7C é uma ferramenta simples para refletir sobre os eixos que nos ajudam a definir e alcançar objetivos. Saiba mais sobre ele aqui!



  • Brickman, P.Coates, D., & Janoff-Bulman, R. (1978). Lottery winners and accident victims: Is happiness relative? Journal of Personality and Social Psychology, 36917927.
  • Sheldon, Kennon M., and Sonja Lyubomirsky. “The challenge of staying happier: Testing the hedonic adaptation prevention model.” Personality and Social Psychology Bulletin 38.5 (2012): 670-680.