Quadros de visão para atingir metas: o que são?

A mente muitas vezes usa o visual para se motivar, e os quadros de visão se destacam como um recurso atraente. Descubra!
Quadros de visão para atingir metas: o que são?

Última atualização: 27 maio, 2022

Os quadros de visão são usados em muitas empresas para esclarecer ideias, traçar caminhos e atingir metas. Agora, a nível pessoal, esta estratégia pode ser muito edificante e motivadora para refletir, motivar e inspirar-nos no dia a dia. Além disso, não poderia ser mais simples e barato: precisamos apenas de alguns post-its, recortes de revistas, tesouras, marcadores e uma parede ou lousa.

Neste presente em que o tecnológico e o digital orquestram o trabalho e as formas de nos expressarmos, convém recuperar as tarefas do papel e do lápis. Além disso, tudo o que combina o manual com o visual tem um impacto maior no cérebro. Isso torna cada tarefa mais significativa e assume maior poder emocional.

Esses quadros baseados em visualização transcendem nossos sentidos: eles nos convidam a sonhar e planejar. Ativam a imaginação e nos estimulam a traçar metas de forma mais clara, fundamentada e inovadora.

“Tudo que você pode imaginar é real.”

-Pablo Picasso-

placas de visão

O que são quadros de visão?

Quadros de visão são abundantes em muitos ambientes de trabalho. Nós os encontramos até nos filmes. Também nos acostumamos a vê-los em séries policiais, nas quais os protagonistas tentam encontrar conexões entre vítimas, pistas e linhas do tempo. Eles também são usados por escritores para esclarecer enredos e delinear personagens.

Agora, deve-se notar que muitas pessoas falham quando se trata de fazê-los. Não é fácil e para que eles cumpram o propósito para o qual foram desenhados, uma série de estratégias muito básicas devem ser cumpridas. Porque o objetivo dos quadros de visão é esclarecer um objetivo, inspirar ideias, ser capaz de motivar e facilitar o pensamento criativo.

Como tudo na vida, é necessário um plano e uma organização adequada. Da mesma forma, deve-se notar que, a partir da psicologia, os quadros de visão são considerados uma ferramenta terapêutica muito útil.

Pesquisas como as realizadas na Marshall University, na Virgínia, nos Estados Unidos, destacam que na terapia são muito úteis para que os pacientes estabeleçam e visualizem metas.

Quadros de visão não têm nada a ver com a “lei da atração”. Não se trata de visualizar algo para fazer acontecer. O objetivo é estimular a mente a pensar em tarefas e estratégias para alcançar objetivos e sonhos.

Em que situações podemos usá-los?

Quadros de visão se aplicam a muitos cenários, e não apenas ao local de trabalho. O objetivo é fazer uso da visualização para que a pessoa se sinta inspirada e estimulada a pensar em novas ideias e traçar caminhos para atingir seus objetivos pessoais. Portanto, eles podem ser úteis nos seguintes cenários:

  • No campo do desenvolvimento pessoal, para traçar nossos objetivos de vida e o que queremos a curto e longo prazo.
  • Pensar no avanço da nossa carreira profissional.
  • Eles também podem nos ajudar no campo da saúde e bem-estar. Por exemplo, para estabelecer metas para nos melhorarmos nos esportes ou até mesmo quando se trata de melhorar nossa dieta para perder peso ou reduzir o colesterol.
  • Quadros de visão são muito úteis em questões econômicas. Eles nos permitem estabelecer estratégias para economizar e poder, por exemplo, pagar uma viagem.
post-its para quadros de visão

Como fazer quadros de visão?

Ressaltamos mais uma vez que os quadros de visão precisam ser elaborados adequadamente para serem úteis. Porque esta estratégia não consiste apenas em ver um painel com post-its com frases motivadoras e belas fotografias, mas sim estimular a mente. É necessário que favoreça a concentração, a inspiração e a motivação para a realização.

Você tem que levar em conta uma série de orientações muito básicas para prepará-los. São as seguintes:

  • Explore seus valores : o que é importante para você na vida? O que é que lhe dá significado? Como você gostaria que fosse sua vida?
  • Pense no que te motiva no seu dia a dia.
  • Esclareça suas prioridades.
  • Considere o que você quer mudar.
  • Por fim, decida o que você deseja alcançar e o que formará parte do seu quadro.
  • Depois de ter pensado sobre o que você quer alcançar a curto ou longo prazo, procure por imagens coloridas que o representem e cole-as em um painel, lousa ou parede. Esses serão seus objetivos.
  • Agora você tem que refletir sobre aquelas estratégias que vão te levar em direção aos seus objetivos por meio de post-its. Você pode adicionar desenhos ou imagens.
  • Você também pode incluir palavras que o motivem, como “coragem”, ” esperança “, “não vou desistir”, “vou conseguir”, etc.
  • Além disso, lembre-se de colocar o quadro onde você possa vê-lo diariamente.

Quadros de visão também podem incluir citações ou frases que nos movem e nos dão encorajamento e coragem.

Por último, mas não menos importante, há um fato essencial a ser lembrado sobre os quadros de visão: eles podem e devem ser transformados de tempos em tempos, incluindo estratégias para atingir esses objetivos.

A mente deve se sentir inspirada e motivada ao ver essas imagens, esses post-its e frases. O objetivo final é desenvolver caminhos válidos e inovadores para alcançar o nossos objetivos.

Pode interessar a você...
Reuniões consigo mesmo: uma forma de aumentar a produtividade pessoal
A mente é maravilhosa
Leia em A mente é maravilhosa
Reuniões consigo mesmo: uma forma de aumentar a produtividade pessoal

O encontro consigo mesmo é uma técnica que busca repensar a atividade de trabalho que se realiza e a forma como é realizada.



    • Burton, L., & Lent, J. (2016). The use of vision boards as a therapeutic intervention. Journal of Creativity in Mental Health, 11(1), 52-65.
    • Quoidbach, J., Mikolajczak, M., & Gross, J. J. (2015). Positive interventions: An emotion regulation perspective. Psychological bulletin, 141(3), 655. Burton, L., & Lent, J. (2016). The use of vision boards as a therapeutic intervention. Journal of Creativity in Mental Health, 11(1), 52-65.