Dê adeus aos maus hábitos mentais

· junho 2, 2015

Quais são meus padrões constantes de pensamento?
Quais são meus medos?
Quais são meus desejos, frustrações e temores?

Vivemos constantemente preocupados com o que acontecerá, sempre focados em nossos padrões de aprendizado anteriores, para poder nos manifestar em nossa vida presente, influenciando nossas próprias percepções.

O assunto aqui é: Como posso agir no mundo sem que se imponham, em mim, estes padrões de comportamento e de pensamentos do passado, provenientes de nossa mais remota infância?

É simples! Nos tornarmos conscientes desta situação é o primeiro passo para a “reprogramação” do pensamento repetitivo e repressivo que carregamos nos ombros há tantos anos. Não podemos nos esquecer de que temos a capacidade de criar nossa própria realidade e não tem por quê ela ser a mesma do seu pai, da sua mãe, dos seus avós ou antepassados. Cada um possui, em seu mundo particular, sua própria responsabilidade de criar e co-criar seu próprio destino, sua felicidade e seu caminho.

Reprogramar a mente tem a ver com o desafio de entender que nossos pais tentaram nos educar de acordo com o que eles pensavam, sentiam e viviam na vida, de acordo com sua própria experiência, de acordo com suas próprias frustrações, desejos, limitações, decepções, etc.

Agora cabe somente a nós, a cada um de nós, nos tornarmos os responsáveis pelos nossos atos, comportamentos e pensamentos; cada uma dessas atitudes terá, por sua vez, uma grande influência em nosso próprio destino.

Os hábitos mentais somente desaparecem quando são substituídos por outros novos, que se repetem constantemente até que possam se reorganizar, sem consumir grande parte de nossas forças e de nossa atenção.

Provavelmente uma boa saúde e um bom e engrandecedor conhecimento do mundo passe a permitir que nossa percepção vá por novos caminhos, desafiando novos ângulos e curvas; mesmo que estes nos deem medo, justamente por serem desconhecidos. O medo e seu enfrentamento, no final das contas, são somente uma questão de coragem.