Chaves para alcançar a felicidade

· junho 30, 2016

Todas as pessoas procuram algo na vida, certo? Certamente você irá concordar que essa busca é completamente pessoal e individual. À primeira vista, todos procuramos coisas diferentes. No entanto, se formos além do superficial, iremos nos surpreender ao descobrir que todos, por meios distintos e optando por caminhos diferentes (certos ou não), estamos buscando a mesma coisa: a felicidade!

O desafio de cada dia rumo à felicidade

Ser feliz pode ser um desafio emocionante, mas segundo muitos, trata-se de algo muito difícil de alcançar ou pelo menos difícil de reconhecer. Não existe uma receita única para ser feliz; cada um tenta ser ao seu modo e como bem entender. Mas existem certas orientações que podem ser úteis para quem se propõe a cultivar o jardim da sua felicidade pessoal.

Curiosamente, uma das primeiras dicas não é uma afirmação, mas sim uma negação. É isso mesmo, trata-se de aprender a dizer “não”, a colocar limites, algo que parece tão simples, mas que por vezes é bastante complicado. É muito comum aquela crença errônea de que para ser uma “boa pessoa” é preciso dar aos outros tudo o que eles pedem, sem nenhum tipo de limites ou restrições.

Colocar-se ao dispor do outro sem qualquer tipo de interesse é maravilhoso, claro. Mas existe algum limite? Não podemos fazer os outros felizes às custas do nosso sofrimento! Devemos ter como meta pessoal a nossa própria felicidade. Ou seja, primeiro estamos nós e só depois os outros.

Isso parece uma coisa má? Você sente que não é o correto? Considera que isto vai contra os ensinamentos dos nossos pais e da nossa comunidade? É preciso esclarecer que isto não significa ser egoísta, mas sim reconhecer que é impossível fazer outra pessoa feliz se nós não estivermos felizes.

Outra questão importante que pode nos aproximar mais da felicidade é aceitar que não somos seres perfeitos. Na verdade, temos uma insólita imperfeição natural que é maravilhosa, e que representa aquele motor que nos impulsiona a transcender os nossos horizontes pessoais e a socializar, e inclusive a conhecer outros locais e culturas.

Deste modo percebemos a diversidade de costumes e valores e isso nos oferecerá uma perspectiva diferente da vida, e fará com que as nossas lamentações e o nosso mau humor se afastem de nós.

Amigas compartilhando a felicidade

Viver no presente e deixar para trás o peso do passado também é algo muito importante para ter uma vida feliz. Do mesmo modo, deveríamos tentar deixar de lado os comentários mal intencionados das outras pessoas. Lembre-se de que as palavras dos outros apenas têm o valor que nós lhes damos. Infelizmente muitas vezes damos mais valor a essas afirmações, críticas ou opiniões do que aos pequenos detalhes que nos podem dar alegria, como momentos, pessoas, lugares e, é claro, nós mesmos.

A felicidade está em nós e em tudo o que tocamos, vivemos, cheiramos e olhamos. Mesmo com os nossos defeitos, todos nós somos uma expressão de beleza que podemos descobrir e que muitas vezes não é difícil reconhecer em nós próprios. Portanto, não vale a pena exigir tanto dos outros, pois (para sermos sinceros) não podemos também colocar essa exigência em nós.

Não tente procurar alguém para que o faça feliz. Se não encontrarmos aquilo que queremos dentro de nós mesmos, será muito difícil encontrar fora. A felicidade emerge do nosso ser, da nossa preciosa individualidade, e essa felicidade é a que precisamos reconhecer e proteger, muitas vezes de nós próprios. Não tenha medo de ser feliz e siga em frente!