Amor com final feliz - A Mente é Maravilhosa

Amor com final feliz

Carolina Diamond agosto 4, 2016 em Emoções 0 Compartilhados

A vida era assim, uma coisa estranha. Faltava algo para ser feliz. Tentei relembrar minha vida antes da sua chegada, mas não consegui. Tudo agora tem seu desenho, seu cheiro, sua cor.

Você não me deu respostas, mas foi a resposta para os meus questionamentos tão profundos. Lembro-me de todas as vezes em que, inutilmente, eu procurava um canto para me esconder calada, pensando em como você seria. Sim, eu já sabia que em algum momento da minha vida, você iria aparecer, e foi assim…

Então você chegou, não trouxe quase nada, veio com um sorriso sereno, algumas ideias revolucionárias, muitos sonhos e entrou para o meu mundo. Foi de repente. Era uma manhã de janeiro, sol, alegria e no meio das cores do verão eu vi o seu sorriso, tocava uma música, mas eu nem lembro qual era, de repente tudo ficou em câmera lenta, seu sorriso, a música parou, as cores ficaram mais fortes e eu sorri dentro do peito.

E quando você sentiu meu olhar, veio como uma atração magnética até mim. O verão passou deixando marcado um forte sentimento entre nós, e então você ficou. Começamos uma linda história; foram sonhos, devaneios, um mundo de possibilidades e uma louca vontade juvenil de acontecer com a vida a todo instante.

Nos embalamos com as folhas caídas do outono, você me abraça e a vida faz mais sentido, me aquece o corpo e a alma com seu amor que não sufoca, mas transborda cada parte do meu ser em luz e felicidade.

Feliz com amor

Foram muitas xícaras de café, algumas taças de vinho, muitas anotações de um futuro de cores vibrantes e coração apaixonado. Tudo parecia estranho, nunca foi tão fácil estar feliz.

Dava até um medo de tão bom que era. O medo gosta de aterrorizar quem o sente, mas então chegou o inverno, tudo ficou sem cor e muito mais frio, não havia folhas secas, a nudez das árvores, do corpo e da alma deixavam o sentimento confuso de: o que estou fazendo aqui? E eu me perdi. Percebi que não era possível um relacionamento assim, precisamos de problemas, e isso eu sei fazer muito bem.

Consigo achar agulhas em palheiros e chifres em cavalos. Então minha infantilidade cansou o seu amor; foi um vai e vem sem fim. Um disse que não disse que não acabava mais, e nós nos esgotamos. Eu ciumenta, você indiferente, foi a gota que faltava para encher e transbordar o balde.

Você foi embora com o fim do inverno. Meu coração parecia ter secado. Sem flores, nada de cores, nem som de alegria, e o amor que não se fazia notar em nada. Uma nova temporada começa sempre que algo termina. E na primavera o jardim estava florido.

Me encantei, me apaixonei, senti novamente uma leve batida de vida no meu peito. Senti uma emoção estonteante e o sol encontrou meu rosto e me arrancou um sorriso: Tudo é lembrança – eu pensei.

As flores me devolveram para mim, olhei para aquela aquarela de Deus e me animei. E então, no jardim de flores eu consegui ouvir alguns passos que eu conhecia tão bem: você voltou. Floresceu na minha vida como a primavera no jardim.

E tentamos mais uma vez. Eu rindo à toa, você com o olhar distante, uma noite fresca de primavera, duas taças de vinho embriagando dois corações apaixonados e libertando duas almas acorrentadas em suas particularidades. A primavera foi como o verão. Me devolveu a alegria. A felicidade se tornou constante e a gente sorria sem motivo, bobamente sorridentes para qualquer coisa que passasse.

Chegou nosso verão. Você estava distante, mas eu não percebi.

Estava ocupada demais sendo feliz e não me dei conta de que você já não estava aqui

De vez em quando você pousava, mas na maior parte do tempo estava voando em outros jardins de carnaval colorido, de música mais alegre que tocava seu coração, então você sorriu e não foi aquele riso com o qual eu já havia me acostumado, foi um sorriso de quem está partindo.

Eu não podia fazer nada, a não ser permitir que você partisse. E você foi. Levou sua felicidade para outro canto e deixou comigo, mais uma vez, a dor das lembranças que não servem para nada, não posso tocar, não posso viver, não posso nem sentir porque dói demais.

Eu tentei me levantar, mas me faltou tudo, vontade, esperança, sonhos. Esperei o carnaval chegar e ele chegou, me fantasiei de felicidade. Um sorriso de verdade brotou no meu rosto. Uma lágrima sincera caiu de um lado e nessa noite eu não fui colombina, o Pierrot me caiu melhor.

No carnaval todo mundo é obrigado a ser feliz, e eu fui; me refiz pela metade e hoje, sem ressaca de carnaval, sem tristeza no coração, sem mágoa e sem desamor, eu acordei. Meus olhos atentos logo enxergaram no reflexo da janela uma imagem que há muito tempo eu desconhecia, meus olhos estavam me devolvendo para mim.

História de amor com final feliz

Você me roubava e isso não era ruim, eu gostava da sensação de te pertencer e me encontrar nos seus olhos, mas essa sensação de agora, de me sentir devolvida, essa sensação era indescritível. Corri para o espelho para enxergar melhor, para confirmar mesmo, e pela fresta da janela eu vi um botão de flor. Estava longe da primavera, mas estava perto de me desabrochar, e nesse dia eu entendi meu amor. Nesse dia começou uma nova e feliz história de amor, a história do meu amor!

Carolina Diamond

Carol Daimond Instagram: @questaodesersite Fanpage: Questão de Ser http://www.questaodesersite.wordpress.com

Ver perfil »
Recomendados para você