Aprender a apreciar os bons momentos da vida

setembro 13, 2019
Todos nós convivemos com alguma incerteza sobre o futuro e o peso do passado, mas a única coisa que temos à nossa disposição é o agora. Assim, limitar o nosso modo de vida ao que foi ou será poderá nos levar a um humor negativo.

Estar e viver no presente traz benefícios incríveis. No entanto, aproveitar os bons momentos da vida continua sendo uma tarefa difícil.

Vemos isso nos pacientes que vão aos consultórios psicológicos, quando apresentam a ansiedade como protagonista de suas vidas, ou falam sobre como a tristeza foi integrada à sua sombra.

Além disso, também detectamos esta dificuldade em hábitos comuns e compartilhados. Você já percebeu isso? Que tal aprender a apreciar os bons momentos da vida?

Lembramos com nostalgia do passado, aqueles momentos em que ríamos tanto que ‘a barriga doía’, e outros que gostaríamos que fossem eternos. Imaginamos e fazemos mil planos para o amanhã, esperando que sejam perfeitos e únicos, o que também exige uma árdua preparação.

Assim, gastamos tempo lembrando e imaginando, imersos na lembrança do que já aconteceu.

Mulher triste pensando no passado

A angústia do passado

Temos que reconhecer que todos nós já nos prendemos ao passado alguma vez na vida. Não tem problema, afinal somos seres humanos e, como tal, nos definimos a partir das nossas memórias.

Enquanto vivemos, é tentador voltar ao passado quando não encontramos estímulos de sensações positivas no presente. Assim, nos agarramos aos bons tempos (as boas lembranças), como se fossem o nosso tesouro mais precioso.

O problema aparece quando o desejo de permanecer no passado acaba obstruindo o nosso crescimento. Dessa forma, travamos uma batalha que potencialmente prejudicará a nossa saúde psicológica, especialmente quando revivemos o passado de maneira obsessiva.

Assim, há lembranças que despertam em nós emoções que geram um grande desconforto. Falamos sobre a tristeza e a culpa, que minam a nossa atitude, principalmente se não soubermos como gerenciá-las.

” Você não fez porque não teve condições de fazê-lo. Tudo o que você fez no passado é perfeito de acordo com o nível de consciência que você tinha na época. Se você pode vê-lo de maneira diferente agora, celebre a sua tomada de consciência, mas não dê ao ego o prazer de controlá-lo com a sua arma mais poderosa: a culpa”.
– Alejandra Baldrich –

A incerteza de um futuro por construir

Todos nós já experimentamos esse ciclo mental. Os pensamentos seguem um após o outro continuamente, e isso provoca uma preocupação excessiva pelo futuro.

Esse hábito, generalizado na sociedade atual e enquadrado no estilo de vida predominante, condena a nossa mente a gastar recursos em um estado de alerta contínuo.

O futuro assusta, e o medo nasce inspirado no desenho imaginário das “ameaças mais terríveis”. Falamos de uma estratégia que, como espécie, usamos frequentemente para sobreviver.

No entanto, essa estratégia falha quando somos incapazes de gerar um certo grau de tolerância à incerteza ou usar a antecipação para desenvolver estratégias de prevenção e reduzir a ansiedade.

“A verdadeira generosidade para com o futuro reside em viver o presente”.
– Albert Camus –

Aqui e agora: o nosso cenário de ação

A única realidade que podemos modificar com o comportamento é o hoje. É onde a vida acontece, é o que acontece agora enquanto você está lendo estas linhas. Só podemos aproveitar cada momento que vivenciamos, porque no final a vida é composta disso, de pequenos momentos.

Quando viajamos para o passado e o futuro, é importante usarmos a nossa capacidade de reconhecer objetivamente os obstáculos que nos levam a eles.

Portanto, é essencial aprender a desligar as nossas emoções da situação e identificar novos caminhos para continuar avançando. Uma das chaves para conseguir isso é se colocar no tempo presente e aproveitar os bons momentos da vida.

Sabemos que é muito mais fácil falar do que fazer, mas com a prática todos nós podemos incorporar esse comportamento ao nosso repertório. O primeiro passo pode ser abraçar a ideia de que não há problema em ter mudanças em nosso caminho.

A vida é feita de mudanças e evolução e, a partir do momento presente, construiremos o futuro.

“O passado já foi, o que você espera não chegou, mas o presente é seu”.
– Provérbio árabe –

Mulher aproveitando os bons momentos

Francisco Alcaide, em seus livros e palestras sobre liderança e administração, fala claramente sobre como podemos gerenciar as nossas emoções e ter o controle das nossas vidas:

E para você que está lendo este artigo, eu digo que você está onde precisa estar… para aproveitar os bons momentos da vida.

Apreciar os bons momentos da vida

Frequentemente, precisamos parar a inércia do nosso foco de atenção e redirecionar os seus saltos. Parar essa agitação, ou pelo menos o diálogo interno pernicioso ao qual podemos estar acostumados, é fundamental.

Somente a partir dessa postura poderemos adotar uma perspectiva que nos permitirá mergulhar de cabeça no momento presente.

Para isso, podemos recorrer ao mindfulness. É uma técnica que ajuda a tomar consciência plena do momento presente. Isso nos dará a calma necessária para responder, e não apenas reagir, às circunstâncias que surgem.

Nós temos apenas que parar para pensar em cada um dos momentos que compõem a nossa vida, e se olharmos de perto, os melhores são aqueles tingidos pelo acaso. Não os procuramos, mas os encontramos enquanto vivíamos, no aqui e agora.