Aprendizagem social e emocional: primordial para a prevenção do bullying

julho 28, 2019
A inteligência emocional deve ser um componente central dos esforços de prevenção do bullying, desde as salas da pré-escola até o ensino médio.

Muitas vezes pais e professores desconhecem a gravidade do bullying e as consequências tão devastadoras que ele pode ter. As pesquisas sugerem que é necessária uma abordagem sistêmica para lidar com as condutas associadas à prevenção do bullying.

A programação da aprendizagem social e emocional (SEL, sigla em inglês para Social and Emotional Learning) pode ser uma forma eficaz de reduzir a probabilidade de bullying.

Isso porque o SEL promove habilidades, comportamentos, atitudes e fatores ambientais que são incompatíveis com o bullying e outras formas de interação negativas entre colegas.

Foi comprovado que a programação da aprendizagem social e emocional constitui um componente eficaz nas intervenções integrais de prevenção do bullying, e também naquelas direcionadas a outros problemas, como o abuso de substâncias.

Os programas SEL também se mostraram eficazes para melhorar as habilidades dos estudantes, reduzir as condutas problemáticas e aumentar o rendimento acadêmico.

“A aprendizagem socioemocional é uma forma estruturada de melhorar uma ampla gama de competências sociais e emocionais dos estudantes e exercer influência sobre o bullying nas escolas a nível individual e entre colegas”.
-Smith e Low (2013)-

Por que os jovens recorrem ao bullying?

Crianças e adolescentes recorrem ao bullying porque esta é uma estratégia com a qual têm a sensação de que vão satisfazer suas necessidades de aceitação social, confiança em si mesmos, respeito e segurança.

Assim, muitas vezes são os próprios colegas que proporcionam o reforço para que a agressão verbal e física se mantenha ao longo do tempo.

Além disso, os estudos revelam que as crianças e os jovens que foram vítimas de perseguição podem recorrer a estratégias similares, aplicando as mesmas condutas em relações nas quais estejam em uma posição dominante (por exemplo, com os irmãos mais novos).

Portanto, o bullying pode se transformar em um círculo vicioso.

Por outro lado, se conseguirmos incentivar crianças e adolescentes a comunicarem desde cedo e de maneira clara o que realmente está acontecendo com eles, a probabilidade de conseguir intervir quando o problema começar será muito maior.

Menina sofrendo bullying na escola

Aprendizagem social e emocional para a prevenção do bullying

As pesquisas indicam que o bullying não consegue prosperar em um ambiente de aprendizagem segura e humanitária caracterizado por:

  • Relações de apoio entre professores e estudantes que fomentam a comunicação aberta e formas positivas de resolver problemas e conflitos.
  • Boas relações de trabalho entre as escolas e as famílias, que incentivam a comunicação bidirecional sobre o crescimento e o desenvolvimento dos alunos.
  • Normas, valores e políticas escolares que enfatizam o respeito pelos outros e o apreço pelas diferenças.

Os estudantes que recebem uma boa educação emocional não apenas demonstram interesse e preocupação pelos outros, mas também estabelecem relações positivas, tomam decisões responsáveis e lidam com situações sociais desafiadoras de maneira construtiva.

A programação da aprendizagem social e emocional tem como finalidade alcançar esses objetivos. De fato, as pesquisas indicam que a mesma é eficaz nesse sentido.

Em comparação com os grupos de controle, os alunos que participam nos programas SEL apresentam conquistas significativas em suas habilidades sociais e emocionais.

Além disso, também mostram níveis mais altos de comportamento pró-social e atitudes mais favoráveis na escola, além outras e melhores conquistas acadêmicas.

Esses resultados permitem garantir que a programação da aprendizagem social e emocional está associada a múltiplos benefícios positivos. Assim, sua implantação e seu desenvolvimento criam condições educativas e sociais que fazem com que o bullying nas escolas seja muito menos provável.

A importância da escola na prevenção do bullying

O bullying e outras formas de crueldade social nas escolas não vão ser erradicados apenas com campanhas contra a intimidação. Para mudar a cultura do bullying e das agressões, as escolas devem implementar ensinamentos que ofereçam uma alternativa.

A prevenção do bullying nas escolas começa ao incentivar os estudantes a falar sobre seus sentimentos em um idioma que seja seguro e útil.

O desenvolvimento das habilidades sociais não se origina em conversas ou reuniões ocasionais, nem mesmo depois de um caso de bullying escolar ganhar atenção midiática. A educação social e emocional deve ser algo cotidiano, aprendido no dia a dia.

A prevenção do bullying

As pesquisas demonstram que os programas atuais para a prevenção do bullying não estão funcionando. A maioria é ineficaz porque aborda os sintomas do bullying, não as causas subjacentes, que provavelmente incluem a falta de inteligência emocional, assim como habilidades para compreender, comunicar e regular os sentimentos.

A inteligência emocional deve ser um componente central dos esforços de prevenção do bullying, desde as salas da pré-escola até o ensino médio. No entanto, o desenvolvimento da inteligência emocional costuma estar ausente nas estratégias contra o bullying nas escolas.

O que crianças e jovens necessitam é educação em inteligência emocional. Isso ajudará a evitar que tentem agredir seus colegas como uma forma de liberação emocional.

Para os momentos em que a intimidação é inevitável, ajudará tanto as vítimas quanto os espectadores a desenvolver as habilidades de que necessitam para controlar o medo e a ansiedade, comunicar suas necessidades e obter apoio.

O lado positivo disso tudo é que a inteligência emocional pode ser ensinada, assim como a matemática ou a leitura. Ela pode ser facilmente integrada ao plano de estudos acadêmico e pode transformar o clima escolar positivamente.