O que é apropriação cultural?

19 Fevereiro, 2020
Se o conceito de apropriação cultural for analisado em profundidade, veremos que a ideia também abrange a presença de dinâmicas de poder. Ou seja, uma cultura dominante se apropria de elementos de outras culturas que foram sistematicamente oprimidas.
 

A arte é criada com base na transmissão de influências, por misturas de sentimentos e também graças à imitação. O problema está na distinção entre essa maneira de criar e o conceito de cópia, roubo ou plágio. Mas, o que é apropriação cultural?

Nesse ponto, o direito autoral pode ser diluído nas identidades coletivas, dando lugar a tradições que se originaram nas relações de poder, nas quais os fortes geralmente se aproveitam dos fracos. Esse conceito é o que muitos chamam de “apropriação cultural indevida”.

Em torno dessa ideia, ocorreu um número significativo de protestos. Por exemplo, a presença de tatuagens com motivos tribais polinésios se tornou popular, uma questão sobre a qual houve alguma controvérsia. Por outro lado, recentemente, o uso de símbolos ciganos pela cantora Rosalía tem sido motivo de muitas críticas.

Dança cultural

O que é apropriação cultural?

Como mencionamos anteriormente, apropriação cultural é a adoção de instrumentos, imagens e símbolos que provêm de uma cultura que não é própria.

Em torno dessa definição, surgiu uma questão: estamos realmente falando sobre apropriação indevida ou, na maioria dos casos, trata-se de uma homenagem a outras culturas?

 

Se o conceito de apropriação cultural for analisado em maior profundidade, veremos que a ideia também abrange a presença de dinâmicas de poder. Ou seja, uma cultura dominante se apropria de elementos de culturas que foram sistematicamente oprimidas.

Esse conceito é cada vez mais debatido, embora não seja algo novo. A globalização e os avanços tecnológicos nos permitiram acessar uma grande quantidade de informações com apenas um clique. Portanto, embora a apropriação cultural não seja um conceito novo, a sua dimensão global é nova. No entanto, o que distingue apropriação cultural de uma homenagem à cultura?

Os dois pontos principais para responder a essa pergunta são encontrados no consentimento e no compartilhamento de benefícios. Isso ocorre porque a apropriação, especialmente no campo musical, geralmente tem um claro interesse econômico.

Nesse sentido, a apropriação cultural seria usada para designar a exploração pelas indústrias culturais de determinados símbolos exóticos. Essa exploração seria feita sem reconhecer a cultura original de maneira simbólica ou econômica.

Apropriação cultural ou assimilação?

A apropriação cultural indevida é uma questão complicada. Ela tem origem na confluência de todas as nossas histórias e, para analisá-la em profundidade, é necessário entender como funcionam as dinâmicas internacionais de poder.

Em primeiro lugar, faremos referência a outros pontos de vista que foram desenvolvidos sobre o assunto. Ouve-se, por exemplo, que pessoas não ocidentais que usam calças jeans ou indígenas que falam inglês estão de alguma forma se apropriando das culturas dominantes.

 

No entanto, devemos considerar que os grupos marginalizados não têm poder suficiente para decidir se seguem ou não os seus costumes tradicionais. Assim, a assimilação ocorre quando pessoas pertencentes a grupos marginalizados adotam elementos de culturas dominantes para sobreviver.

Exemplos de assimilação cultural

O mundo da música oferece exemplos muito claros de apropriação cultural. A popularização de músicas com raízes afro-americanas por Elvis e o twerk (estilo de dança), que até recentemente eram associados a grupos não brancos de classes mais baixas, são alguns deles.

Vemos inclusive exemplos no budismo, uma religião que tem sido associada à paz por causa dos estereótipos que cercam a meditação.

Assim, a apropriação cultural seria uma maneira de comercializar aspectos que existiam fora das margens do mercado e que foram introduzidos a partir de uma perspectiva ocidental-branca. Mesmo quando isso leva a imagem de um grupo étnico, também é um sinal de quão distantes esses grupos estão dos centros de decisão econômica.

Hena da cultura árabe

Apropriação cultural, um problema real?

Este é um conceito problemático que algumas pessoas negam. Isso ocorre por vários motivos:

 
  • Muitas pessoas argumentam que, embora exista apropriação cultural, isso não é um problema.

O seu argumento se concentra em uma ideia: as culturas estão sempre mudando e não têm limites. Elas fluem e mudam constantemente, passando de uma mão para outra.

  • Para haver apropriação cultural, deve haver elementos culturais que pertencem a poucas pessoas.

A usurpação ocorre quando alguém é privado de desfrutar de algo que costumava fazer pela ação de outra pessoa. No entanto, na apropriação cultural, se populariza algo que antes era usado apenas por um pequeno grupo de pessoas.

Os ativistas podem se tornar possessivos com as culturas, uma pureza que não é característica do ambiente social em que nos desenvolvemos.

 
  • The Guardian, https://www.theguardian.com/commentisfree/2012/may/18/native-americans-cultural-misappropriation
  • Afroféminas, https://afrofeminas.com/2018/11/13/que-hay-de-malo-en-la-apropiacion-cultural-9-respuestas-que-te-muestran-el-dano-que-hace/comment-page-1/
  • El País, https://elpais.com/cultura/2019/06/15/actualidad/1560606045_241833.html