As conexões emocionais: um lugar para o encontro

04 Dezembro, 2020
As conexões emocionais representam a parte mais agradável do nosso mundo relacional. Graças a elas, é possível conhecer o amor, a intimidade, a amizade ou qualquer fio que una duas pessoas em um nível mais profundo. Você gostaria de saber mais sobre isso?

Por que as conexões emocionais são tão importantes para o ser humano? Somos seres sociais. Autônomos e independentes, mas sociais. Pensadores incansáveis, mas emocionais. Precisamos dos outros e dependemos muito deles. A nossa sociedade está organizada dessa forma: confiamos nos médicos para deixar as doenças para trás, nos mecânicos para consertar nossos carros.

Não sabemos e, em muitos casos, nem vamos perder tempo aprendendo. É a confiança de que a sociedade colocará recursos e ferramentas à nossa disposição para facilitar a solução dos nossos problemas. No entanto, nas conexões emocionais, o pacto é um pouco diferente.

É assim porque pagamos ao outro com o mesmo material que recebemos. Tem que ser assim, porque senão a conexão é rompida ou não é criada. Além disso, o mais surpreendente é que jogamos este jogo com muita habilidade desde que éramos pequenos.

O irmão mais velho e o irmão mais novo estão assistindo TV. O garotinho ainda não tem idade para entender o que se passa na tela, mas acompanha o irmão mais velho nas risadas ou expressões de espanto. De alguma forma, genuína e mágica, a maioria de nós nasceu com o programa pré-instalado em nossa gaveta de software inerentemente humano, esperando as condições para acioná-lo. Podem ser desenhos, mas também um passeio de bicicleta ou uma refeição deliciosa.

“As pessoas aprendem tudo o que sabemos sobre as emoções no contexto dos relacionamentos”.
.- Ramon Riera i Alibés –

Irmãos posando para foto

Confiança, intimidade, amor e relacionamentos

As conexões emocionais dão um sentido prático à empatia, o campo de jogo onde essa capacidade de nos colocar no lugar do outro vale a pena. Esta coincidência de frequências na emissão nos permite consolar diante uma perda de uma forma única e individual, embora sejam padrões conhecidos. Nesse caso, o outro se torna um indivíduo particular a quem nos adaptamos, da mesma forma que o outro se adapta a nós.

Estamos falando desse espaço onde se dá a troca emocional mais íntima e profunda, o lugar exato onde muitos casais começam o seu vínculo ou a sua destruição. Longe da conexão emocional, surge o desprezo, a distância, a crítica destrutiva ou a indiferença. Fora dessa bolha, a rotina impõe o seu tédio, enquanto os hábitos, ao invés de gerar segurança, causam uma sensação de sufocamento e vazio.

Por outro lado, é um antídoto para o ódio e um obstáculo ao egoísmo, a criptonita que nem mesmo os deixa crescer. Porque as desavenças ou brigas encontram nesta conexão um espaço para o encontro. Até a diferença se torna um bem valioso para aprender e construir.

No entanto, o que vemos hoje é um grave estado de carência. Por exemplo, atualmente muitas pessoas buscam um parceiro como escolhem uma série: pela capa e pelo resumo.

Todos nós temos acesso a muitas pessoas em nossos telefones. Temos a opção de “fazer compras humanas” enquanto ouvimos a conversa que a nossa família ou os nossos colegas de quarto têm. Em um encontro, pode haver um início dessa conexão, mas também podemos decidir não investir nessa relação porque temos a certeza de que ainda há muitas opções à nossa espera.

Aplicativo de namoro

Estratégias para gerar e cuidar das nossas conexões emocionais

Algumas ideias que podem nos ajudar neste propósito são as seguintes:

  • Tenha paciência: a conexão emocional é como um ensopado: precisa de tempo. Por outro lado, muitas vezes, quando ficamos sem paciência, é porque a nossa ansiedade atingiu um pico de alta intensidade. As mesmas estratégias que podem nos ajudar a manter a calma também nos ajudam a ser mais pacientes.
  • Troque as exigências por solicitações. A liberdade de dar cuida da conexão e evita que as dúvidas ou compromissos estagnem o que deveria ser fluido.
  • Proteja a conexão em momentos de conflito. Na maioria dos casos, para dizer o que você pensa, não é necessário machucar o outro. Faça propostas para melhorar, mas não tente mudá-lo.
  • Antecipe-se: ninguém tem o poder de ler a mente de outra pessoa, mas às vezes temos uma noção do que farão a seguir. Se percebermos que o nosso parceiro teve um dia ruim, poderemos preparar algo que ele goste para o jantar. O fato de mostrar que essa conexão existe é um reforço para a própria conexão.

Cuidar dos bens preciosos, sejam eles cobiçados ou frágeis, geralmente não é uma tarefa fácil. As conexões emocionais, como são dessa mesma natureza, seguem a mesma norma. A boa notícia é que a possibilidade de conhecer pessoas está em nossas mãos ao invés de aceitar as fotos que gostamos e descartar aquelas que não gostamos. Simplificar, neste caso, irá nos enriquecer.

Por que a conexão emocional é tão importante para os humanos? Uma das experiências que mais nos atrai é ter aquela sensação de “sinto que você sente o mesmo que eu”.
– Ramon Riera i Alibés –