Até que o desgosto nos separe!

· julho 27, 2018

Quando começamos um relacionamento, o normal é nos sentirmos cheios de sonhos e de alegria, como se uma força sobrenatural nos empurrasse e nos fizesse subir ao céu. Se tudo segue bem e se decidimos formalizar as coisas, chegamos à oficialização do relacionamento, que em muitos casos ocorre por meio do casamento. O que talvez muitos não saibam é que, daí em diante, a frase “até que a morte nos separe” pode ser substituída por “até que o desgosto nos separe”.

O que às vezes não é fácil de explicar é como é possível passar de 0 a 100 em apenas alguns meses ou apenas alguns anos? O que acontece no relacionamento para não sermos capazes de suportar as manias e os defeitos do outro? É a convivência? A falta de intimidade? O fim da paixão?

Como passamos da paixão ao desgosto?

A decepção é uma das razões pelas quais a paixão pode ser substituída pelo desgosto. Quando um casal acabou de ir morar junto, tudo é emocionante e alegre. No entanto, é necessário levar em consideração o “outro lado”: o lado que vocês ainda não tiveram a oportunidade de ver um sobre o outro.

Casal discutindo a relação

Na hora de dividir as tarefas e gastos da casa, é comum que surjam pequenos conflitosAinda que o desejável seja poder solucioná-los de forma amistosa, é provável que o que você enxerga no outro o decepcione. 

Outro motivo é a indiferença. Fruto de uma convivência prolongada e pouco amigável, podemos chegar a desenvolver um sentimento de apatia, desgosto e rejeição pelo outro. É esse o momento em que tudo que o outro faz parece estar errado. Vocês discutem por bobagens e não permitem nenhum “mas”. Até que chega o dia em que “tanto faz”. Você se resigna e vive infeliz.

Cuidado com o tédio e a rotina

A rotina do dia a dia, a falta de entusiasmo e espontaneidade, a ausência de surpresas e novos interesses, bases frágeis… são muitas as causas do tédio. Apesar disso, assim como para discutir são necessárias duas pessoas, para se entediar em casal também há uma origem nos dois personagens do relacionamento.

Se é você quem sente o desgosto ou não sente vontade de sair, faça o outro saber. Pode ser que isso não apenas sirva para desabafar, mas também pode ajudar seu parceiro a saber como ajudá-lo. Igualmente, se o que vocês fazem como casal sempre se transforma em rotina, é possível que o desgosto apareça.

Por exemplo, se normalmente vocês vão ao cinema na sexta-feira, há duas forma de enxergar essa saída: como uma atividade para sair da rotina e se divertir juntos, ou como uma obrigação previsível e carente de qualquer animação. Melhor que seja a primeira opção, não?

Como chegamos ao “até que o desgosto nos separe?”

A desconfiança, o ciúme, a insegurança, o sentimento de inferioridade ou a falta de honestidade. Estas são algumas das atitudes que tendemos a adotar quando nos sentimos incômodos em um relacionamento. Todas elas podem levar ao fim da relação. Por isso, se você quer que seu relacionamento dure por muito tempo, empenhe-se para melhorar a comunicação entre vocês.

Outro erro muito comum que acaba com o casal, além da comunicação da qual falaremos melhor a seguir, é a falta de apoio. Frequentemente, quando temos um problema e decidimos contar ao outro, damos um passo para trás por estarmos convencidos de que ele não nos entenderá. É pior ainda quando contamos e não nos sentimos amparados, protegidos ou entendidos pelo outro. Para evitar isso, faça da empatia a sua companheira de vida.

Por outro lado, a falta de tempo é outro dos grandes inimigos do relacionamento saudável. É importante tirar alguns minutos do dia para conversar com o seu parceiro, dedicar uma carícia ou um contato visual que realmente encha o outro de energia. O estresse e as longas horas de trabalho costumam ser fatores de risco.

Casal tendo briga

A comunicação é a solução

Como você pode ver, ter um relacionamento saudável e estável não é uma tarefa simples e requer um esforço consciente por parte dos dois.

Hoje em dia a falta de comunicação no relacionamento é a origem do seu fracasso. Se algo o incomoda no outro – por exemplo, se ele nunca joga a roupa suja no cesto ou se não leva o lixo para fora – o melhor é falar. Não com inclinação para discutir, mas sim manifestando seu sentimento e pensamento em relação a estas atitudes. Além disso, o sucesso não está apenas em apontar as coisas negativas que seu parceiro faz. O mais importante é o amor. Por isso, comunique também as partes positivas: não se esqueça de destacar aquilo que ele faz e que você gosta.

O silêncio não se ouve, mas preenche tudo.

Casal se abraçando

Tornando o outro consciente do que o incomoda, talvez você possa mudar aqueles costumes que prejudicam a relação. Se isso não acontecer, não leve para o lado pessoal, simplesmente entenda que ninguém é perfeito. Assim como o seu companheiro, você certamente também tem as suas extravagâncias.

Pelo contrário, se você optar por se calar, não só estará omitindo informação que pode enriquecer os laços entre vocês, mas também vai permitir que seu mal-estar interno cresça cada dia mais. No fim, ele explodirá por qualquer outra razão. Lembre-se: comunicar é viver.