Autoliderança: a arte de alcançar os seus sonhos

06 Janeiro, 2021
Antes de liderarmos os outros, temos que ter tomado as rédeas das nossas próprias vidas. Orientar nossos pensamentos, emoções e condutas de maneira equilibrada e nossa inteligência direcionada ao bem-estar e objetivos pessoais é uma chave para o sucesso.

A autoliderança é a arte de influenciar positivamente nossos pensamentos e emoções. Imagine direcionar todos os recursos, toda a motivação e energia interna em prol de um objetivo. Falamos de uma capacidade que todos podemos desenvolver, uma ferramenta de sucesso que, acima de tudo, pode fazer com que nos sintamos bem com nós mesmos em cada circunstância.

Vamos admitir: quando escutamos a palavra “liderança”, visualizamos quase de imediato uma personalidade motivando um grupo para que alcancem objetivos específicos. Liderar é, acima de tudo, projetar uma influência interna no mundo externo. No entanto, talvez nós nos esqueçamos de que o primeiro passo deveria ser, antes de mais nada, trabalhar uma boa direção interna.

A palavra “autoliderança” não é necessariamente nova. Ela surgiu pela primeira vez nos anos 80, cunhada por Charles Manz, professor especializado nessa área comportamental pela Universidade de Massachusetts. De lá para cá, começou a crescer e a se consolidar graças a correntes como a inteligência emocional.

Por outro lado, ainda que este conceito seja bastante útil para os ramos empresariais e de recursos humanos, é também um exercício que influencia diretamente a saúde psicológica. Liderar a si mesmo é capitanear nosso destino rumo à felicidade. Estamos diante de uma área do crescimento pessoal que integra dimensões excepcionais para o bem-estar humano.

“Dominar os outros é força. Dominar a si mesmo é o verdadeiro poder.”
-Lao Tse-

Mulher trabalhando em cafeteria

O que é a autoliderança?

O conceito de autoliderança surgiu há mais de quatro décadas por um motivo muito específico. Quando treinávamos ou orientávamos as pessoas sobre liderança, deixávamos de lado o aspecto mais importante de todos. Ninguém é um bom líder se antes não aprofundar seu autoconhecimento, se não dominar a arte da boa gestão emocional e também se não for capaz de direcionar seus comportamentos em favor dos próprios objetivos.

Não se atentar a estes aspectos significa falhar na gestão de grupos humanos. Como orientar ou motivar um grupo de pessoas em prol de objetivos específicos se você não sabe gerir a si mesmo? Sócrates já destacava em sua época que ninguém é um bom professor se não conhece a si mesmo. Ninguém pode influenciar os outros se não for capaz de ser seu próprio guia interior e cotidiano.

Ainda hoje aparecem, com cada vez mais frequência, pesquisas sobre essa forma de autoinfluência. Trabalhos como o realizado na Universidade do Arizona, por exemplo, tentam compreender se essa dimensão varia entre as culturas. Por outro lado, livros como Self-Leadership: how to become a more successful, efficient, and effective leader from the inside out, dos professores Andrew Bryant e Ana Kazan, nos dão as chaves para alcançar este feito.

Autoconhecimento: saber quem sou

Benjamin Franklin destacava que existem três coisas extremamente duras: o aço, o diamante e o autoconhecimento. De fato, poucas tarefas são tão complexas como se aprofundar no próprio universo e saber do que se é feito. Algo assim implica reconhecer suas limitações e vulnerabilidades. Também envolve a exploração de potencialidades e navegar pelas necessidades, vislumbrando quem somos e para onde vamos.

Este é o verdadeiro cerne da autoliderança: conhecer a nós mesmos de forma autêntica, sem fissuras.

Intenção: o que eu quero?

O que você espera da vida? O que espera de si mesmo? A intenção é, acima de tudo, quando nos projetamos em direção a um propósito de vida e trabalhamos em prol dele. Sem um “porquê” não existe um “para quê”, ou seja: sem uma razão, todos os esforços carecem de sentido, e é sempre bom lembrar que as pessoas precisam de significados para orientarem suas visões e energias em direção a algum objetivo.

Autoconsciência: o que acontece no meu interior?

A autoconsciência é uma base indispensável para a autoliderança. Essa dimensão nos permite tomar consciência da nossa relação com o mundo, de como as emoções afetam o nosso humor e, consequentemente, nossas decisões e condutas.

Trabalhar e exercitar uma boa autoconsciência desperta essa capacidade de enxergar nosso interior com sabedoria, sabendo ler, compreender e regular cada processo.

Homem estudando

Autoeficácia: sei meu valor e sei que consigo

Este é um conceito de grande interesse e importância criado pelo psicólogo Albert Bandura. É definido como a percepção que cada um de nós possui sobre nossa habilidade de realizar as coisas de modo correto e eficaz.

A autoliderança precisa desta dimensão para que possamos tomar consciência de que, aconteça o que acontecer, possuímos os recursos para lidar com e solucionar a situação. Quando nos sentimos capazes de manejar os vários desafios que encontramos, isso nos traz segurança, temperança e motivação.

Autogestão: a mente disciplinada

Esta é a habilidade de criar hábitos, rotinas e uma gestão de tempo adequada para atingir os objetivos do dia a dia. É a competência para resolver os problemas de maneira criativa.

É saber reagir diante de cada situação de modo autônomo, sem depender dos outros, sem esperar que os outros nos resgatem a cada situação ou circunstância. Todas essas dimensões fazem parte dessa área de grande importância para a autoliderança: a autogestão.

Concluindo, nos vemos diante de uma ferramenta de grande valor na qual deveríamos, todos, investir tempo e esforço. Pensemos nisso, pois quando temos um senso desenvolvido de quem somos, do que podemos fazer e do que queremos, isso nos permite harmonizar emoções e comportamentos para conquistar nossos sonhos.

“Eu sou o mestre do meu destino, eu sou o capitão da minha alma.”
-William Ernest Henley-

  • Neck, C.P. and Houghton, J.D. (2006), “Two decades of self‐leadership theory and research: Past developments, present trends, and future possibilities”, Journal of Managerial Psychology, Vol. 21 No. 4, pp. 270-295. https://doi.org/10.1108/02683940610663097
  • Stewart, Greg & Courtright, Stephen & Manz, Charles. (2011). Self-Leadership: A Multilevel Review. Journal of Management – J MANAGE. 37. 185-222. 10.1177/0149206310383911.
  • Kaza, Ana (2012) Self-Leadership: how to become a more successful, efficient, and effective leader from the inside out. McGraw-Hill Education