Biografia de Agatha Christie, a dama do crime

As obras de Agatha Christie estão entre as mais lidas da história e foram traduzidas com muito sucesso para mais de 100 idiomas. Até o momento, nenhum outro escritor de literatura policial alcançou o sucesso ou a fama que ela conquistou.
Biografia de Agatha Christie, a dama do crime

Última atualização: 24 Abril, 2021

Hoje vamos falar sobre a biografia de Agatha Christie, conhecida como a dama do crime, ou a dama do mistério, porque nenhum escritor se destacou no gênero policial como ela. Depois da Bíblia e das obras de William Shakespeare, seus livros são os mais vendidos de todo o planeta, em todos os tempos.

Um exemplo disso é seu romance “O Assassinato de Roger Ackroyd“, que foi escolhido como o melhor romance de crime da história por 600 escritores em 2013. Como se isso fosse pouco, sua peça de teatro, A Ratoeira, é apresentada ininterruptamente desde 1952, um recorde mundial.

“Os melhores crimes para meus romances me surgiram enquanto lavava louça. Lavar a louça transforma qualquer pessoa em um maníaco homicida de primeira”.
– Agatha Christie –

Dizem que Agatha Christie entreteve os leitores do mundo mais do que qualquer outro escritor da sua geração. O que torna sua obra tão fascinante? É uma combinação de psicologia e mistério, tratada de forma primorosa. Esta escritora sempre dá ao leitor ferramentas para decifrar o culpado de um crime, além de surpreender com seus finais.

Agatha Christie jovem

A infância feliz da biografia de Agatha Christie

Agatha Christie nasceu em 15 de setembro de 1890 em Wallingfor, no sudeste da Inglaterra. Sua mãe era de origem irlandesa e seu pai havia nascido nos Estados Unidos. Sua família era de classe média-alta, de visão liberal e apaixonada pelos assuntos intelectuais. Agatha teve dois irmãos e sua infância foi feliz.

Ela tinha certeza de que sua mãe, Clara, tinha poderes extrassensoriais e habilidades psíquicas. A família lhe garantiu uma educação totalmente particular. Agatha aprendeu a ler aos 4 anos e logo se tornou uma leitora voraz. Era uma criança tímida e solitária, que preferia a atividade intelectual.

Agatha Christie disse em uma de suas autobiografias que sua infância terminou aos 11 anos de idade, quando seu pai morreu. Isso representou um baque muito grande para a família, que também teve as finanças comprometidas. Pouco depois, começou a estudar na escola local e depois foi estudar em Paris.

O início na literatura

Em 1910 Agatha Christie foi passar uma temporada no Cairo, pois sua mãe tinha algumas doenças e o clima dessa cidade era bom para ela. A princípio, o contato com o Egito não gerou um impacto positivo nela, mas alguns anos depois tudo mudou.

Ao voltar para a Inglaterra, ela escreveu suas primeiras peças literárias. Na verdade, ela não acreditava que esta era a sua vocação, e escrevia por puro prazer. Mesmo assim, tentou publicar suas histórias, mas sem sucesso.

Nessa época, ela conheceu Archibald Christie em um casamento. Ele era um aviador da Força Aérea Real. Os dois se apaixonaram e uma eventual transferência precipitou um casamento entre eles. Mais tarde, a Primeira Guerra Mundial começou e “Archie” foi enviado para lutar na França. Enquanto isso, Agatha Christie se candidatou e se tornou enfermeira voluntária.

Durante seu período como voluntária, nasceram seus primeiros romances. Eles alcançaram um sucesso relativamente amplo naquela época. De fato, vários jornais importantes em todo o mundo fizeram comentários elogiando suas histórias.

Um estranho desaparecimento na biografia de Agatha Christie

Com o fim da guerra, os Christie se mudaram para Londres, onde o casal teve uma filha. Entretanto, Archibald pediu o divórcio de Agatha, pois tinha se apaixonado pela sua secretária. Isso levou a um estranho episódio na vida da escritora.

Agatha desapareceu da noite para o dia. Seu carro foi encontrado abandonado em um lugar solitário. A partir daí, a história se tornou um escândalo de alcance mundial. O Ministro do Interior da Inglaterra, assim como figuras importantes e o público começaram a procurar por ela, sem sucesso.

Ela foi encontrada 11 dias depois, em um pequeno hotel onde fez check-in usando o nome da amante de seu marido. Aparentemente, ela não se lembrava de nada e não sabia como havia chegado ali. Muitas pessoas acharam que aquele foi um episódio calculado para acabar com a imagem pública do seu ex-marido.

Agatha Christie idosa

Um importante legado

Agatha Christie fez tratamento psiquiátrico e psicológico por algum tempo. Sua obra e sua fama continuaram crescendo. No final dos anos 20, conheceu Max Mallowan, um arqueólogo de destaque com quem se casou pouco depois. Diferentemente de seu primeiro casamento, este foi estável e feliz até o fim da sua vida.

O contato com a arqueologia deu uma guinada na obra de Agatha Christie. Suas obras começaram a mostrar uma inclinação para o tema da egiptologia e das escavações arqueológicas, o que foi uma excelente contribuição. Foi assim que ela se consagrou. Em 1972 ela foi nomeada “Dama-Comendadora” pela Rainha Elizabeth II da Inglaterra.

Agatha Christie morreu aos 85 anos, de causas naturais. Ela deixou sua única filha e um neto, que se tornou o dono dos direitos autorais das suas obras – que chegaram ao cinema, à televisão e ao teatro. As novas gerações continuam lendo essa magnífica escritora.

Pode interessar a você...
7 frases famosas de Agatha Christie
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
7 frases famosas de Agatha Christie

As frases de Agatha Christie são um reflexo da mulher inteligente e astuta que ela era. Esta romancista criou um mundo fantástico com seus personag...



  • Alamán, R. C., & Montero, R. (1998). Entrevista con Rosa Montero. En torno a la biografía de la mujer:” Historias de mujeres”. Inti, 147-156.