Erich Neumann, a biografia do discípulo mais brilhante de Jung

janeiro 5, 2020
Um dos aspectos mais notáveis da obra de Erich Neumann foi a contribuição do conceito da Grande Mãe como um arquétipo fundamental da psique humana. Em sua época, reinava a visão masculina do desenvolvimento humano.

Nesse artigo, vamos apresentar uma breve biografia de Erich Neumann, um psicanalista de origem alemã que se tornou, com o passar do tempo, o discípulo de maior destaque de Carl Jung.

Ainda que tenha se afastado dos postulados clássicos da psicologia analítica de Jung em relação a alguns pontos, em muitos aspectos ele deu continuidade a sua tese e seus conceitos, alguns dos quais ampliou e aprofundou.

Um dos aspectos mais importantes da biografia de Erich Neumann é que ele se adiantou em relação a outros teóricos no que diz respeito ao conceito e à importância da figura da mãe no processo de desenvolvimento das pessoas. Na sua época, a figura do pai ocupava o centro de interesse dos psicanalistas junguianos e freudianos.

“Toda mulher é, como todo ventre, o ventre primordial da Grande Mãe, onde tudo se origina, a barriga do inconsciente. Ela ameaça o ego com o perigo da autodestruição, da perda, em outras palavras, da morte e da castração”.
-Erich Neumann-

Erich Neumann deixou um trabalho valioso no qual ele combina alguns postulados de Freud com o grosso da teoria de Jung. Ele usou algumas contribuições da psicologia de Freud e as conjugou com a vertente junguiana que aproximava todos esses fenômenos do inconsciente coletivo e da mitologia.

A biografia de Erich Neumann e o método da amplificação

Erich Neumann nasceu em Berlim no dia 23 de janeiro de 1905. Depois, se tornou cidadão de Israel. Ele vinha de uma família judia. Estudou medicina e filosofia, áreas que, em um determinado momento, o fizeram se aproximar de Carl Jung. Logo, ele começou a frequentar o círculo social desse grande psicanalista.

Em suas obras, Neumann aplica rigorosamente o método de amplificação proposto pela psicologia analítica de Jung. O método tem relação com o processo mediante o qual as imagens inconscientes ou oníricas se associam com símbolos universais, presentes na mitologia, na religião, nas ideias místicas, etc.

Ou seja, os conteúdos inconscientes individuais devem ser associados a essas referências universais para que possam ser interpretados adequadamente. Em outras palavras, o processo de análise de uma pessoa busca a presença de conteúdos universais nesse indivíduo em particular. É isso que permite interpretar seus sintomas.

Para Neumann, o referencial central desses conteúdos universais é mitologia. Tanto é assim que o próprio Jung reconheceu que a obra de seu discípulo Erich Neumann era muito mais ampla que a sua própria nesse aspecto em particular.

Carl Jung

A Grande Mãe

O nome de Erich Neumann ganhou notoriedade principalmente por uma das suas grandes contribuições: o complexo da Grande Mãe. Ele partiu da ideia de que em todas as culturas existe um mito relacionado a uma mãe grandiosa, muitas vezes representada como a mãe terra. Essas deusas são inclusive anteriores à aparição dos deuses masculinos.

Neumann descreveu a Grande Mãe como um arquétipo. Ela corresponde à dimensão do feminino e se configura de três maneiras: a mãe boa, a mãe má e a combinação de ambas. Essas configurações correspondem, por sua vez, à mãe boa, à mãe terrível e à grande mãe.

A primeira tem elementos positivos do masculino e do feminino. A segunda, elementos negativos de ambos os polos. A terceira, elementos positivos e negativos dos dois sexos.

O importante dessa concepção é que dá ao feminino um papel fundamental na psique humana. Isso é bastante notável para uma época na qual o centro de interesse era o complexo de Édipo e a inveja do pênis. Até o próprio Jung tinha uma visão mais masculina do desenvolvimento psíquico.

Desenho de uma mulher

O círculo de Eranos

Erich Neumann, além de ser discípulo de Jung, também fez parte do Círculo de Eranos, uma organização de caráter multidisciplinar. Intelectuais de destaque se reuniam nessa organização uma vez por ano. Cada encontro tinha uma duração de oito dias, durante os quais conviviam juntos e apresentavam suas ideias sobre um tema em um ambiente amigável.

Cada um dos presentes tratava de alguma temática por algumas horas. Em seguida, os outros apresentavam feedbacks em relação ao que havia sido exposto, o que chamavam de banquete de ideias. Não pretendiam entrar em acordo, mas sim criar uma espécie de caleidoscópio colorido, onde pudessem ser observadas todas as perspectivas.

Neumann foi um dos membros mais influentes do Círculo de Eranos. Quase todas as suas ideias teóricas passaram pela triagem dessas apresentações e discussões coletivas.

Nos últimos anos de sua vida, ele viveu em Tel Aviv. Lá, faleceu no dia 5 de novembro de 1960. Suas obras mais conhecidas são As origens e história da consciência, A grande mãe, Uma fenomenologia das criações femininas do inconsciente e Psicologia profunda e nova ética: uma nova avaliação do comportamento humano à luz da psicologia moderna.

Fernández, M. Á. C. (1996). La mujer en algunas literaturas occidentales: una aproximación bibliográfica. Scriptura, (12), 215-252.