Galeno, a biografia de um médico brilhante

28 Setembro, 2020
Galeno é reconhecido por uma curiosidade que transformou em valiosa pesquisa. Numa época em que faltavam quase por completo meios diagnósticos e conhecimentos em biologia, ele conseguiu estabelecer ideias e princípios que articulariam a prática médica durante séculos.

A biografia de Galeno está tão intimamente ligada à história da medicina que todos os médicos hoje, de alguma forma, reconhecem o seu nome. Depois de Hipócrates, ele é considerado o mais famoso representante do campo da saúde na antiguidade. As suas contribuições foram decisivas para as ciências médicas como são conhecidas hoje.

Os conceitos de Galeno guiaram a medicina por mais de mil anos. Os seus estudos sobre o corpo humano estabeleceram as bases para toda a anatomia. Entre as suas muitas contribuições está a descoberta de que não circulava ar nas veias, mas sangue. Além disso, também foi responsável pela descrição das válvulas do coração, as funções dos rins e da bexiga e algumas noções básicas do cérebro.

Galeno também foi um dos primeiros a testemunhar e descrever uma epidemia. Ele foi uma testemunha da linha de frente da peste Antonina, também conhecida como “a peste de Galeno”. Ela dividiu a história do mundo antigo em duas partes e, embora os médicos nunca a tenham compreendido totalmente, deixaram dados importantes sobre ela.

“O hábito é uma segunda natureza”.
– Galeno –

Sistema circulatório

Galeno era um predestinado?

Ele nasceu no ano 129 ou 130 da nossa era, em Pérgamo, uma cidade que estava sob o domínio grego e que hoje faz parte da Turquia. Este médico nasceu no seio de uma família rica e aristocrática. O seu pai era Aelius Nicon, um próspero arquiteto e proprietário de terras. Pouco se sabe sobre a sua mãe, exceto que ela tinha um temperamento difícil.

Os pais de Galeno deram ao filho uma educação sólida. Diz-se que seu pai sonhou uma noite com Asclépio, o deus da medicina. Nesse sonho, o próprio deus disse a ele que seu filho deveria estudar medicina. Por esse motivo ou por outro, o pai o incentivou a seguir essa profissão.

Galeno inicialmente estudou no Aesculapion em Pérgamo, que era uma espécie de templo de cura. Ali, o conhecimento médico da época se combinava com as crenças religiosas. Mais tarde, o futuro médico foi estudar em Esmirna e Corinto, onde conheceu a obra de Hipócrates, que influenciou decisivamente a sua formação.

Um médico proeminente

Mais tarde, Galeno foi para Alexandria, que naquela época era a verdadeira Meca do conhecimento. Lá ele completou sua formação, principalmente em anatomia e fisiologia. Naquela metrópole, era possível dissecar cadáveres e isso lhe permitiu compreender melhor o funcionamento do corpo humano.

Ele voltou para a sua cidade natal quando seu pai morreu. Lá, ele se tornou médico na escola de gladiadores e isso lhe permitiu se familiarizar com golpes e feridas. Ele esteve neste trabalho por cerca de quatro anos, enquanto crescia a sua reputação de curador eficaz.

No ano 162 ele foi morar em Roma, a “capital do mundo” na época. O seu prestígio cresceu, a ponto de se tornar médico pessoal de vários imperadores: Marco Aurélio, Cômodo e Sétimo Severo. A estadia em Roma lhe permitiu dar rédea solta ao seu papel de pesquisador. Acredita-se que, nessa época, ele tenha escrito cerca de 400 obras, das quais apenas 150 foram preservadas.

Marco Aurélio

Uma marca definitiva na biografia de Galeno

Em Roma, as dissecações eram proibidas, então Galeno teve que fazer as suas pesquisas com animais, às vezes vivos, às vezes mortos. Isso, no mínimo, possibilitou que ele entendesse o funcionamento básico dos rins e da medula espinhal. Infelizmente, grande parte de sua obra foi queimada em um incêndio em 171.

A sua obra principal foi o Methodo medendi ou Sobre a Arte de Curar, um tratado que vigorou por 15 séculos. O trabalho desse médico também é considerado a base essencial da farmacopeia. Uma de suas grandes virtudes é ter sido um experimentador consagrado, isto é, um homem da ciência que procurava evidências para construir o conhecimento a partir das suas pesquisas.

Sua biografia mostra que Galeno também estava convencido de que o conhecimento médico não poderia surgir ou ser exercido se não fosse acompanhado por uma ética profunda. Ele acreditava que a medicina era, antes de tudo, uma arte filantrópica, que o médico devia ser virtuoso e disciplinado, e que acima de tudo, devia se caracterizar pela sua temperança.

Antes de morrer, este famoso médico voltou para a sua terra natal, Pérgamo, onde morreu por volta do ano 216. Sem Galeno, nem a medicina nem a química farmacêutica teriam avançado tão rapidamente em seus conhecimentos.

Rodríguez, R. M. M., & Ballester, L. G. (1982). El dolor en la teoría y práctica médicas de Galeno. Dynamis: Acta Hispanica ad Medicinae Scientiarumque Historiam Illustrandam, 2, 3-24.