Biografia de Kurt Gödel, o “senhor por quê”

maio 12, 2020
As contribuições de Kurt Gödel para a matemática e a ciência são enormes. Sua teoria da incompletude conseguiu revolucionar as bases da lógica. Ao mesmo tempo, criou as bases para a computação e o desenvolvimento da física quântica.

Hoje, vamos expor uma breve biografia de Kurt Gödel, um dos maiores matemáticos de todos os tempos. Podemos dizer que, graças às suas contribuições, as bases da matemática, como ela era entendida na época, foram intensamente abaladas. Ele não somente provou que havia inconsistências no que se conhecia até então, mas também evidenciou que a lógica tinha limitações significativas.

Esse maravilhoso cientista é, além disso, uma prova de que a razão e o absurdo podem conviver perfeitamente, tanto em uma teoria quanto no próprio ser humano.

Kurt Gödel era um homem absolutamente brilhante, mas também possuía convicções completamente irracionais. Um gênio paranoico dentro do qual a inteligência e a loucura coexistiam de maneira simultânea.

“A vida pode ser miserável por setenta anos e feliz por um milhão de anos: o curto período de miséria pode até mesmo ser necessário para o conjunto”.
-Kurt Gödel-

Em outras palavras, o que Kurt Gödel provou é que nem todas as verdades matemáticas poderiam ser provadas. Ou, como citado em um artigo da BBC: “O que Gödel fez foi usar a matemática para provar que a matemática não podia provar tudo em matemática”. Pode-se deduzir dessa premissa que existem verdades, matemáticas e de outros tipos, que, apesar de serem verdadeiras, não podem ser provadas.

Teoremas matemáticos

Biografia de Kurt Gödel, conhecido como “senhor por quê”

O apelido de “senhor por quê” foi dado pela sua própria família. Gödel sempre mostrou ser uma pessoa marcada por uma curiosidade desmedida em relação ao mundo. Ele queria saber tudo e tinha necessidade de encontrar uma solução para tudo. Por isso, sempre estava fazendo perguntas e, como consequência, ganhou esse famoso apelido.

Gödel nasceu em 28 de abril de 1906 em uma cidade chamada Brünn, que naquela época pertencia ao Império Austro-Húngaro e, mais tarde, passou a fazer parte da Tchecoslováquia. Atualmente, a cidade pertence à República Tcheca. Em todo caso, o tema das nacionalidades foi bastante complicado para ele.

Gödel vinha de uma família alemã e não falava tcheco. Com o fim do Império, da noite para o dia, ele se tornou um cidadão tcheco. Como não se sentia parte dessa nação, decidiu obter a nacionalidade austríaca em 1923. Depois, a Alemanha anexou a Áustria e, portanto, ele passou a ser cidadão alemão. Por fim, após a Segunda Guerra Mundial, Gödel obteve a nacionalidade norte-americana.

A incrível obra de Gödel

Antes de Kurt Gödel, a matemática constituía o terreno da absoluta certeza no panorama científico. Em outras palavras, nesse âmbito habitava o que todo cientista buscava: a verdade. Esse fato parecia inquestionável até que sinais de crise começaram a aparecer.

No começo do século XX, o matemático Georg Cantor havia plantado algumas sementes de dúvida que acabaram sendo alimentadas graças aos paradoxos de Russell.

David Hilbert, um famoso matemático, se propôs a restituir a antiga fama da matemática e provar que os fundamentos da sua ciência eram tão sólidos quanto o que se considerava anteriormente. Ele fez um esforço significativo até que surgiu a tese de um jovem chamado Kurt Gödel, conseguindo provar exatamente o contrário.

Kurt Gödel tinha se formado com louvor na Universidade de Viena, com uma tese de apenas 11 páginas nas quais defendeu sua teoria da incompletude. Utilizando a matemática, ele conseguiu evidenciar que sempre haverá, pelo menos, uma proposição que não pode ser demonstrada, mesmo que seja verdadeira.

Em 1936, um de seus professores foi assassinado por um nazista. Em consequência desse acontecimento, Gödel sofreu um colapso nervoso que o levou a passar por tratamentos em várias instituições psiquiátricas.

Fórmulas matemáticas escritas na lousa

Uma obra extensa

Em 1938, Kurt Gödel se casou com Adele Nimbursky, uma ex-bailarina seis anos mais velha que ele e com quem permaneceu até a sua morte.

No ano seguinte, como havia a possibilidade de ele ser chamado para prestar serviço militar aos nazistas, o casal decidiu fugir para os Estados Unidos, pegando o cansativo trem Transiberiano. Chegaram a Princeton, onde Gödel continuou seu trabalho.

Sua amizade com Albert Einstein foi proverbial. Os dois eram vistos frequentemente no campus em passeios vespertinos e conversando incessantemente.

Gödel também era um grande estudioso da filosofia, e tanto seus conhecimentos matemáticos quanto seus questionamentos filosóficos o levaram a postular “a demonstração ontológica de Gödel”.  Essa ideia consiste, em poucas palavras, em uma tentativa de provar a existência de Deus.

Ao analisar a biografia de Kurt Gödel, vemos que, durante grande parte da sua vida, ele foi assediado por pensamentos paranoicos e estados depressivos. Não era fácil se dar conta de que todas as verdades eram questionáveis, até essa verdade.

Ele tinha a convicção de que alguém queria envenená-lo e, por esse motivo, aceitava comer apenas o que sua esposa preparava. No entanto, ela ficou doente e passou seis meses no hospital. Durante esse período, o grande gênio morreu de fome.

Alonso, E. (2007). Sócrates en Viena: una biografía intelectual de Kurt Gödel. Editorial Montesinos.