Biografia de Louis Pasteur: vida e legado

abril 26, 2020
Louis Pasteur foi um pioneiro na ciência, embora em seus primeiros anos ele estivesse mais inclinado às artes. É um cientista que revolucionou as teorias da época e contribuiu com diversos conhecimentos aplicados em diferentes áreas, como por exemplo, a medicina.

Existem indivíduos que, graças à sua genialidade, conseguem surpreender a humanidade. Independentemente do campo, ao longo da história, encontramos diferentes pessoas que, por várias razões, ousaram inovar mudando a nossa concepção de mundo. Um desses gênios foi Louis Pasteur, e em sua biografia vemos que, com as suas contribuições e inovações, conseguiu se estabelecer como um pioneiro das ciências.

É incrível pensar que contamos com pessoas como ele. Pessoas a quem devemos incontáveis ​​avanços que, ainda hoje, continuam promovendo o nosso progresso. No entanto, seu trabalho, como o de muitos outros gênios, foi bastante controverso em seu início. A novidade e a mudança assustam, parece que elas geram uma certa rejeição e, com o tempo, são reavaliadas. Atualmente, ninguém questiona as contribuições de Pasteur.

Neste artigo, falaremos sobre a biografia de Louis Pasteur, sua vida e suas contribuições para o mundo científico. Junte-se a nós nesta aventura para conhecer as contribuições mais relevantes do homem que foi considerado “um pioneiro da medicina moderna e da microbiologia”.

“Infelizes são os homens que têm todas as ideias claras”.
– Louis Pasteur –

Sobre a vida e a biografia de Louis Pasteur

Louis Pasteur era um químico e bacteriologista de origem francesa. Nasceu em 27 de dezembro de 1822 em Dola (Franche-Comté, França). Na infância, ele parecia mostrar um maior interesse pela arte do que pelos livros e pela ciência, inclinando-se principalmente para a pintura.

Na escola, Pasteur não demonstrava grandes aptidões no campo científico e também não tinha muito interesse pelos estudos. Foi o seu pai que o obrigou a continuar o ensino médio. Pasteur obteve um diploma de bacharel em Letras em 1840 e, posteriormente, obteve o de cientista em 1842. Nesse mesmo ano, ele ingressou na Escola Normal Superior de Paris.

Anos depois, na mesma escola, foi professor de física, embora demonstrasse um profundo interesse pela química. Ele trabalhou como professor de química em Dijon e em Estrasburgo. Nesta última cidade, ele conheceu Marie Laurent, que se tornaria sua esposa em 1949. Como resultado desse casamento, nasceram cinco filhos, dos quais apenas dois sobreviveram. O tifo, infelizmente, acabou com a vida dos outros três. As crianças que sobreviveram foram Jean-Baptiste e Marie Luise.

Como vimos, às vezes os gênios não conseguem se encaixar no sistema educacional e nem sempre é fácil escolher a melhor opção. No caso de Pasteur, nada em sua infância parecia indicar que ele iria optar pela química e, no entanto, atualmente a sua figura está profundamente ligada a esse campo.

Estudos moleculares

Quais foram as contribuições científicas de Louis Pasteur?

Louis Pasteur nos deixou um grande legado graças às suas descobertas científicas e ao seu desempenho na educação. Abaixo, detalharemos algumas das suas principais descobertas, contribuições e reconhecimentos:

  • Reitor da faculdade de ciências: foi nomeado reitor da Universidade de Lille em 1854.
  • Instituto Pasteur: fundou o Instituto em 1887 e o dirigiu até a sua morte. O Instituto é um dos pioneiros na prevenção e tratamento de doenças infecciosas e, de seus múltiplos pesquisadores, oito receberam o Prêmio Nobel. Entre as suas contribuições, destaca-se o fato de ele ser o primeiro laboratório a isolar o HIV.
  • Laboratório: dirigiu o laboratório da Escola Normal de Paris desde 1867.
  • Isomeria Óptica: no Instituto Pasteur, ele descobriu que, assim como as nossas mãos não são iguais, mas simétricas, também há cristais quase idênticos, mas com simetria especular. Resolveu o mistério do ácido tartárico que existia em duas formas com composição química idêntica, mas com propriedades diferentes.
  • Pasteurização: Louis Pasteur descobriu que dois micro-organismos estavam envolvidos na fermentação. Tratava-se de duas leveduras: uma produzia álcool e a outra, ácido lático. Posteriormente, ele inovou com um método para eliminar esses micro-organismos. A princípio, a indústria rejeitou as suas ideias, mas ele conseguiu prová-las e elas foram aceitas.
  • Teoria microbiana: Pasteur descobriu que havia uma analogia entre doença e fermentação. Provou que, assim como os micro-organismos causavam a degradação de alguns produtos, poderiam existir alguns que causavam doenças quando invadiam um corpo saudável. Essas teorias o levaram a investigar as doenças contagiosas.
  • Geração espontânea: ele refutou a teoria da geração espontânea, demonstrando que os processos de decomposição e fermentação orgânica são o resultado da ação de organismos vivos. Além disso, demonstrou que os micro-organismos provêm do exterior. Uma descoberta que ele fez através da observação de frascos contendo filtros que impediam o contato com o exterior.

Graças às suas descobertas através da teoria microbiana, ele conseguiu avançar no desenvolvimento de vacinas, fundamentais até os dias de hoje. Além disso, a pasteurização é um processo maravilhoso que garante a segurança de vários produtos alimentícios. Pasteur também nos deixou vários antissépticos que deram uma virada radical nos cuidados médicos. As pesquisas de Pasteur contribuíram para a melhoria do mundo na forma como o conhecemos atualmente, e provavelmente continuarão a fazê-lo no futuro.

Instituto Pasteur

O legado de Pasteur

Pasteur dedicou grande parte de sua vida à pesquisa. Foram investigações e descobertas que se refletem em seus escritos e nos de autores posteriores a ele, que escreveram sobre o seu legado e complementaram o seu trabalho. Ainda hoje, Pasteur é citado como um dos maiores cientistas do século XIX. Destacamos os seguintes textos:

  • Estudos sobre o vinho, suas doenças e causas que as provocam. Novos procedimentos para a conservação do envelhecimento (1866):  é um trabalho de Pasteur em que ele fala sobre os métodos que descobriu para eliminar micro-organismos que podem degradar o vinho.
  • Dismetria Molecular: neste texto, Pasteur nos deixa o legado do dimorfismo do ácido tartárico e a ação oposta de cada uma das formas cristalinas que possui.
  • Estudos sobre fermentação (1879/2005): em homenagem às contribuições de Pasteur, o site beerbooks.com reeditou os seus estudos sobre fermentação. Ele o fez conforme a sua primeira versão em inglês “Studies on Fermentation” (1879), incluindo as ilustrações do cientista.
  • Doenças contagiosas: em várias de suas anotações laboratoriais, ele evidenciou seus estudos sobre doenças contagiosas. Em seguida, estudou o problema do bicho-da-seda, da cólera aviária e da contagiosa pleuropneumonia bovina, entre outros.

Alguns textos atuais ainda citam Pasteur, vejamos dois muito recentes:

  • “Reconciliando Pasteur e Darwin para controlar as doenças infecciosas”: este é um artigo científico de Alizon e Méthot (2018), no qual eles sugerem que seguir o fio histórico de Pasteur e Darwin ajudaria a reconciliar microbiologia clínica, ecologia e evolução. Dessa maneira, a patologia poderia ser entendida de maneira interdisciplinar e novas terapias seriam estabelecidas; além disso, expandiria a eficiência dos procedimentos já existentes.
  • “Obrigado Edward. Merci Louis” : trata-se de um artigo de 2016 de Daniel Dimaio para a Revista Científica Plos One. Entre outras coisas, destaca as conquistas de Pasteur, especialmente no que diz respeito às vacinas.

A biografia de Louis Pasteur mostra que ele foi, definitivamente, um pioneiro em sua época, considerado o fundador da microbiologia. É um autor multifacetado que proporcionou importantes avanços no campo científico e médico e nos legou um dos centros de pesquisa mais prestigiados internacionalmente.

Uma vida dedicada à educação, à pesquisa e, definitivamente, à ciência. Um cientista a quem devemos uma incrível melhoria em nossa qualidade de vida; são métodos que ajudam a combater doenças e preservar vários alimentos. Por essas razões, podemos dizer que Louis Pasteur foi um cientista único.

“Estou absolutamente convencido de que a ciência e a paz triunfaram sobre a ignorância e a guerra, de que as nações se unirão, não para destruir, mas para edificar; e de que o futuro pertence àqueles que fizeram muito pelo bem da humanidade”.
– Louis Pasteur –

Alizon S, Méthot P-O (2018) Reconciling Pasteur and Darwin to control infectious diseases. PLoS Biol 16(1): e2003815. https://doi.org/10.1371/journal.pbio.2003815

DiMaio D (2016) Thank You, Edward. Merci, Louis. PLoS Pathog 12(1): e1005320. https://doi.org/10.1371/journal.ppat.1005320