Biografia de Ludwig Wittgenstein e os limites do pensamento

abril 11, 2020
Se você conhece a obra de Ludwig Wittgenstein, vai se interessar em saber que a sua vida foi ainda mais impressionante do que poderíamos imaginar.

Conheça a biografia de Ludwig Wittgenstein, um filósofo prussiano que se destacou por seus estudos sobre a linguagem. Hoje em dia, ele é considerado um dos filósofos mais influentes do século XX. Ainda que seu pensamento tenha ganhado muito destaque, sua vida pessoa não é menos impressionante. As vivências e voltas que o filósofo deu, muitas vezes assustadoras, formam um conteúdo necessário para compreender melhor o seu pensamento.

Esse filósofo nascido em Viena, e posteriormente nacionalizado britânico, também era matemático, linguista, lógico e jardineiro. Ele foi discípulo de Bertrand Russel na Universidade de Cambridge, onde também atuou como professor.

Sua grande obra Tractatus logico-philosophicus teve uma enorme repercussão. No entanto, em suas publicações posteriores, como Os cadernos azul e marrom e Investigações filosóficas, ambas póstumas, ele criticou duramente o seu primeiro trabalho.

Ludwig Wittgenstein

Os primeiros anos da biografia de Ludwig Wittgenstein

Wittgenstein era o mais jovem de nove irmãos, nascido em uma das famílias mais ricas do império. Ele cresceu em um lar que lhe proporcionou um ambiente excepcionalmente intenso para a realização artística e intelectual. Dessa forma, a casa dos Wittgenstein atraía gente culta, especialmente músicos. Isso contribuiu muito para que Ludwig desenvolvesse suas habilidades musicais.

“Revolucionário será aquele que conseguir revolucionar a si mesmo”.
-Wittgenstein-

Wittgenstein estudou na escola secundária de Linz, onde, naquela época, também estudava Adolf Hitler. Ainda que isso não tenha sido comprovado, existe uma teoria que defende que Hitler menciona Wittgenstein em seu livro Mein Kampf. Mais especificamente, ele escreve sobre uma menino judeu que não era confiável. Algumas hipóteses indicam que este seria o início do antissemitismo de Hitler.

Início dos seus estudos

Apesar de sua alma mater sempre ter sido a filosofia, Wittgenstein começou estudando engenharia aeronáutica. Inclusive, ele chegou a apresentar a patente de um motor, que posteriormente seria usada como base para os futuros motores dos helicópteros. Apesar disso, quando ele estava na Inglaterra, começou a se interessar pela filosofia das matemáticas.

Seu interesse pela filosofia o levou a conhecer Bertrand Russell, um dos filósofos mais famosos da época. Russell orientou seus estudos, ainda que ambos tenham mantido uma relação conturbada. No início dessa relação, Wittgenstein perguntou a Russell se ele era um idiota ou não. Porque se fosse um idiota, seguiria fazendo o que fazia, engenharia aeronáutica, mas se não fosse, se dedicaria à filosofia. Russell pediu a ele que escrevesse algo e, quando o leu, disse: “Você não deve se dedicar à engenharia aeronáutica”.

Tractatus logico-philosophicus

Após a morte de seu pai, Ludwig Wittgenstein renunciou à sua herança e foi viver na Noruega. Lá, ele construiu uma cabana para viver isolado. Passou um ano até que começou a Primeira Guerra Mundial, quando ele se alistou para a artilharia austríaca. Depois de quatro anos, ele foi capturado pelo exército italiano. Sua estadia na prisão teve a duração de um ano e, quando foi libertado no fim da guerra, ele voltou para Viena para finalizar sua tese com Bertrand Russell.

“Os  limites da minha linguagem são os limites do meu mundo”.
-Wittgenstein-

O Tractatus Lógico Philosophicus foi sua grande obra. Nela, ele explicou, de forma detalhada, sua visão de mundo e das coisas que existem nele. Além disso, ele também analisou os problemas de linguagem e da lógica, e defendia que os limites do mundo são definidos pelos limites da linguagem.

No entanto, Wittgenstein foi muito polêmico. Dizem que depois que Russell e Moore, dois dos lógicos mais importantes, o felicitaram por sua obra, ele lhes deu um tapa nas costas dizendo: “Vocês não entendem, e nem poderiam entender nada”. Sua personalidade se manteve no tempo. Ele inclusive jogou um acessório de lareira em Karl Popper em uma conferência.

Ludwig Wittgenstein

Investigações filosóficas

Posteriormente, Ludwig Wittgenstein passou vários anos dando aulas em colégios até que se retirou para um monastério, onde trabalhou como jardineiro. Depois de 5 anos, ele voltou a se interessar pela filosofia após conhecer Moritz Schlick. Como consequência, retomou seu trabalho no Tractatus, o qual ele considerava inacabado, começou a dar aulas na universidade e escreveu o Investigações Filosóficas.

Em Investigações Filosóficas ele deu a entender que a filosofia não era uma teoria, mas sim uma atividade constante. Além disso, ele se retratou do escrito em Tractatus, já que mudou sua visão de mundo e expôs novos problemas sobre os jogos da linguagem. Essa obra marcaria o seio da filosofia da linguagem, chegando até os dias de hoje.

Finalmente, quando começou a Segunda Guerra Mundial, ele colaborou como enfermeiro para tentar ir para a União Soviética com o seu namorado. No entanto, desistiu pois lhe foi permitido apenas ser professor, e ele desejava trabalhar com obras. Mais tarde, ele renunciou ao seu cargo na universidade, se mudou para a Irlanda e depois foi para Londres, onde faleceu de câncer de próstata.

Como vemos na biografia de Ludwig Wittgenstein, ele foi uma pessoa controversa durante toda a sua vida. Até hoje existem disputas tentando concluir se ele era um gênio ou um louco. O certo é que tanto sua obra quanto sua vida não deixam ninguém indiferente.

Heaton, J. y Groves, J. (2002). Wittgenstein para principiantes. Buenos Aires: Era Naciente – Documentales Ilustrados.

Sádaba, J. (1980).Conocer a Wittgenstein y su obra. Barcelona: Dopesa.