Oscar Wilde: biografia e um infame encarceramento

abril 26, 2019
Hoje nos aproximamos da vida e obra de um dos dramaturgos mais aclamados de todos os tempos. Um autor brilhante que conheceu o sucesso, mas viu sua vida desmoronar completamente quando foi preso por sua condição homossexual durante a hipócrita e moralista época vitoriana.

Hoje falaremos sobre a biografia de Oscar Wilde, uma das grandes figuras das letras cujas obras são conhecidas internacionalmente. Ele tinha um talento brilhante e uma personalidade extravagante que lhe renderam tanto sucessos quanto problemas.

O Retrato de Dorian Gray e A Importância de ser Prudente são alguns de seus trabalhos mais aclamados atualmente, embora tenham levantado críticas moralistas da época vitoriana contra seu autor. Talvez, o ponto de vista e o estilo de Wilde não correspondessem de modo algum às convenções de seu período.

Atualmente ele é bem conhecido, sua obra foi estudada e traduzida, e ele é considerado um dos melhores escritores da língua inglesa. Além disso, é lembrado especialmente por seu temperamento corajoso, sua maneira engenhosa de se expressar e seu infame encarceramento como resultado de sua homossexualidade, que foi seguido por sua morte prematura.

Primeiros anos

Oscar Wilde nasceu em Dublin, em outubro de 1854. Ele era filho de um médico que desfrutava de um certo status e era o fundador de um hospital para tratar os mais desfavorecidos da sociedade. A mãe de Oscar era um poetisa que influenciou decisivamente seu filho.

Quando criança, Oscar Wilde era um estudante brilhante que amava os clássicos. Durante sua formação em Oxford, Wilde começou a se destacar em escrita criativa. Sua habilidade com a palavra escrita levou-o a obter vários prêmios.

Depois de terminar seus estudos em Oxford, mudou-se para Londres com um amigo, um pintor de retratos que pertencia à alta sociedade londrina. Foi quando ele escreveu seu primeiro livro de poemas. No ano seguinte, viajou para Nova York, onde fez uma turnê de palestras durante quase um ano.

Oscar Wilde quando jovem

Retornando ao seu país, continuou com suas leituras e começou a se estabelecer como um dos principais representantes da estética. A estética foi um movimento que enfatizava a busca pela beleza acima dos ideais políticos ou sociais.

Depois de uma paixão precoce por uma garota irlandesa que o rejeitou para se casar com outro, Oscar Wilde conhece uma inglesa bem de vida, Constance Lloyd, com quem se casou e teve dois filhos. Um ano depois, começou a dirigir uma revista feminina, Lady’s World.

No entanto, sua esposa acabou abandonando-o após o escândalo de sua prisão e mudou o sobrenome de seus filhos para não relacioná-los ao pai. Embora nunca tenha se divorciado, Wilde foi forçado a renunciar aos direitos da paternidade de seus filhos.

As melhores obras da biografia de Oscar Wilde

Durante os sete anos em que trabalhou como editor da revista Lady’s World, Oscar Wilde viveu um período de criatividade frenética durante o qual produziu quase todas as suas obras literárias.

Ele publicou uma coleção de histórias infantis, O Príncipe Feliz e Outros Contos. Mais tarde, abordou o gênero de prosa com Intenções, uma série de obras que exaltavam os princípios do esteticismo.

Logo depois, sairia seu primeiro e único romance, O Retrato de Dorian Gray. Embora, atualmente, este trabalho de Wilde seja tratado como uma das grandes obras clássicas, naquela época os críticos o consideraram completamente desprovido de moralidade.

A história conta a vida do jovem Dorian Gray, a quem é concedido o desejo de que seu retrato envelheça enquanto ele permanece jovem e leva uma vida de pecado e devassidão.

Mais tarde, ousou com a dramaturgia na obra Lady Windermere’s Fan, que gozou de tanto sucesso que se convenceu a dedicar-se a este gênero como principal forma literária.

Suas peças seguintes foram satíricas e espirituosas, cheias de nuances obscuras e profundas. Entre elas, está outro de seus trabalhos mais marcantes: A importância de ser prudente.

O escândalo de Oscar Wilde

Quando Oscar Wilde viveu o sucesso literário tão justamente alcançado, começou um relacionamento com um jovem, o filho do marquês de Queensberry. Parece que, naquela época, a homossexualidade de Oscar Wilde não era um segredo para ninguém, embora a sociedade só mantivesse as aparências desde que não levasse a escândalos.

O pai de seu amante enviou a Wilde uma nota bastante rude que ofendeu profundamente o famoso dramaturgo. Oscar Wilde decidiu processá-lo por difamação, mas essa decisão arruinou sua vida.

Os advogados do Marquês usaram todos os recursos disponíveis para apresentar evidências da homossexualidade de Oscar Wilde e, como consequência, ele foi condenado a dois anos de prisão.

Após sua libertação da prisão, Oscar Wilde estava arruinado fisicamente, emocional e financeiramente. Ele se exilou na França voluntariamente, onde viveu por um tempo. Morreu de meningite em novembro de 1900, aos 46 anos de idade.

Oscar Wilde sentado em sofá

A importância de ser sincero

Uma das mais importantes obras de Oscar Wilde, The Importance of Being Earnest, significa literalmente “A importância de ser sincero”, embora em português tenha sido traduzida como A Importância de ser Prudente.

A verdade é que esta é apenas mais uma das notas dissonantes na biografia de Oscar Wilde, um dramaturgo brilhante que viu sua vida desmoronar por sua orientação sexual, em um momento em que a homossexualidade era considerada uma doença mental.

Durante o julgamento e a condenação de Wilde, os meios de comunicação ampliaram as notícias, que acabaram se espalhando para os Estados Unidos. O que Oscar Wilde nunca soube foi que sua prisão foi o começo de um processo muito lento que terminaria com a descriminalização da homossexualidade como um crime. Oscar Wilde é considerado uma vítima icônica do puritanismo vitoriano hipócrita do século XIX.

Um autor brilhante cuja vida, infelizmente, não foi tanto. Depois de uma vida marcada pelas letras e seu talento, se viu condenado ao exílio e às dificuldades.

Seu legado ainda permanece muito vivo, algumas de suas obras foram transferidas para o cinema e há até filmes sobre ele. Wilde é uma das muitas histórias trágicas em que a homossexualidade, infelizmente, foi condenada. Uma história que nos ajuda a refletir, a perceber que ainda há muito a ser feito.