Biografia de Picasso, o pai do cubismo

abril 4, 2020
Pablo Picasso é um dos grandes pintores da história. Neste artigo, você vai descobrir o que fez com que Picasso fosse único e por que ele continua sendo uma figura influente na atualidade.

Conheça a biografia de Pablo Ruiz Picasso, que foi, sem dúvida alguma, um dos mais importantes artistas da história contemporânea. Ativista ao mesmo tempo que artista, suas obras revelam um profundo pensamento reflexivo em relação ao mundo que o cercava.

Pablo se esforçou para analisar a realidade de uma maneira única. O cubismo, corrente estilística que fundou, foi uma das maiores influências na pintura do século XX. No entanto, a pintura não foi a única área em que Picasso desenvolveu suas habilidades: cerâmica, escultura, teatro, cinema, gravuras e cenografia para o ballet são apenas algumas das área que experimentou. 

Picasso foi uma referência, um artista inovador, um gênio daqueles que entram para a história e que dificilmente são esquecidos. Neste artigo, vamos explorar algumas informações interessantes sobre a sua pessoa.

Primeiros anos da biografia de Picasso

O nome completo do aclamado pintor era Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso, embora o artista sempre tenha preferido ser chamado pelo seu primeiro nome e último sobrenome.

Nasceu em Málaga, em 25 de outubro de 1881, e foi o filho mais velho de uma família que já se dedicava à arte. Assim, essa influência esteve presente desde cedo em sua vida.  O pai de Pablo era professor de desenho na Escola Provincial de Artes e Ofícios e foi quem ensinou a Pablo suas primeiras técnicas de desenho e pintura.

Durante sua infância, Pablo se mudou constantemente de uma cidade para a outra devido ao trabalho do pai. Pablo era um estudante bastante preguiçoso em relação às matérias tradicionais, mas era um ávido aprendiz da pintura e do desenho.

Aos 17 anos, ele recebeu uma menção honrosa na Grande Exposição de Madrid. A partir desse momento, sua vida começou a ser uma sequência de sucessos, prêmios e reconhecimentos. Naquela época, a família Picasso já residia na cidade de Barcelona, mais uma vez como consequência do trabalho do pai. Barcelona é a cidade que definiria Picasso como uma das maiores personalidades do século XX.

Um dos quadros de Pablo Picasso

O cubismo e as vanguardas

Durante sua estada em Barcelona, Picasso conheceu muitos dos jovens que, mais tarde, formariam os movimentos de vanguarda. A essa altura, entre 1898 e 1900, Pablo se consolidou como um artista regionalmente famoso. Essa foi a época em que ele decidiu começar a assinar seus quadros apenas com seu sobrenome materno: Picasso.

Poucos anos depois, em 1904, Pablo se mudou para a capital francesa, lugar ao qual todos os jovens artistas da época queriam viajar. Paris era a cidade na qual começavam a ser criados os grandes movimentos artísticos do século XX.

Desde o século XIX, Paris tinha se tornado objeto de desejo de poetas, escritores, músicos, pintores, escultores, ceramistas, críticos e hedonistas em geral. Um lugar onde se respirava arte, onde a burguesia se misturava na vida noturna com prostitutas e dançarinas. Paris tinha uma interessante vida noturna, com cheiro de ópio e gosto de absinto. Por isso, não surpreende que se tornasse um lugar idealizado e desejado pelos artistas do momento. Paris era boemia, assim como traduziu Puccini em sua ópera La Bohème.

Foi um momento tão impressionante para a arte e a literatura que diversos artistas mais recentes quiseram registrá-lo e homenageá-lo em suas obras. Meia-noite em Paris, de Woody Allen, é o exemplo perfeito desse imenso encontro de influências.

Durante sua estada em Paris, Picasso começou a desenvolver o estilo artístico pelo qual é lembrado: o cubismo. Sob a influência de Paul Cézanne e acompanhado por Braque e Apollinaire, Picasso começou a deformar a realidade de uma maneira única. O cubismo, em seu início, representou uma abstração das paisagens e das formas naturais.

Picasso viveu uma intensa vida de ativismo político ao mesmo tempo em que desenvolvia sua vida artística. Ele se afiliou ao partido comunista e se manteve como um fiel defensor da república e dos direitos sociais. No entanto, durante as guerras, Picasso rejeitou a violência e decidiu não lutar no fronte de batalha.

Durante anos, Pablo foi um mulherengo inveterado, um homem de grandes paixões. O artista espanhol viveu seus amores de maneira profunda. Entre suas grandes musas, estiveram Olga Khokhlova, Marie-Thérèse Walter, Dora Maar e, naturalmente, sua esposa, Jacqueline Roque.

Quadros de Pablo Picasso

Importância de Pablo Picasso para as vanguardas da arte

Pablo Picasso é, talvez, o artista mais icônico do século XX, porque representa tudo o que um artista de vanguarda deveria ser. Picasso foi um artista de reinventou constantemente seu trabalho e sua obra, deixando-se influenciar pelo trabalho de seus contemporâneos, mas sempre mantendo-se fiel a si mesmo.

A genialidade de Pablo reside em sua capacidade de se manter, durante toda a sua carreira, em busca do que é verdadeiro na arte. Assim como muitos vanguardistas, Pablo sempre defendeu que existia uma qualidade inata da arte. Para ele, era dever do artista genuíno buscar essa verdade transcendental sem desistir.

Por essa razão, Picasso, assim como destacamos no início, nunca se manteve exclusivamente em uma única atividade artística: aventurou-se na pintura, na escultura, na gravura, na cerâmica e em alguns projetos cinematográficos. Sua paixão sempre foi a pintura, mas seu talento e sua genialidade o levaram a explorar outras formas de expressão.

O sucesso de Pablo pode ser medido no mercado da arte. Mesmo atualmente, suas obras continuam sendo valorizadas com preços altíssimos e até mesmo exorbitantes no panorama internacional. A maior parte das suas obras estão em coleções privadas, e quase todos os seus quadros mantêm um alto valor no mercado.

Picasso é um personagem que despertou muita curiosidade no público do mundo todo. Por esse motivo, apareceu representado várias vezes em produções para a televisão e o cinema. Por exemplo, no já mencionado filme Meia-Noite em Paris, há referências ao pai do cubismo, embora se trate de um personagem menor. Com um maior protagonismo, ele aparece representado na série Genius da emissora National Geographic, na qual é interpretado pelo ator Antonio Banderas.

Sem dúvida alguma, Picasso é um daqueles autores cujo impacto continua presente na atualidade. Sua marca é facilmente identificável até mesmo pelo público mais leigo. Além de suas contribuições para o mundo da pintura, a biografia de Picasso nos mostra que ele foi um artista singular, que viveu na pele a magia de Paris, a vida boêmia e, definitivamente, a vida do pintor que, às vezes, tanto idealizamos.