Biografia de São Valentim, o santo dos apaixonados

10 Janeiro, 2021
A história de São Valentim parece ter mais lendas do que realidade. No entanto, em quase todo o mundo a sua celebração se mantém, e seu dia é comemorado em 14 de fevereiro.

O Dia de São Valentim é celebrado em quase todo o mundo em 14 de fevereiro e é considerado “o dia dos apaixonados”. Trata-se de um dia em que os casais trocam presentes como demonstração do seu amor, mas muitos não sabem nada sobre a biografia de São Valentim.

Em quase todo o mundo há eventos especiais realizados durante este dia. Em vários países há festas para que os solteiros encontrem um par. Outros lugares exaltam as manifestações do amor; nas Filipinas, por exemplo, já foi realizado várias vezes um concurso para identificar quem dava o beijo mais longo.

“Amar alguém profundamente nos dá força. Sentir-se profundamente amado por alguém nos dá coragem”.
-Lao Tzu-

Embora quase todo o mundo ocidental celebre o dia de São Valentim, não são muitos os que sabem quem foi esse santo e por que o dia dos apaixonados é comemorado em sua homenagem.

A verdade é que ninguém sabe com certeza, já que há três possíveis mártires que deram origem a esta festividade. No entanto, tudo indica que a celebração teve sua origem em um santo do período romano.

Mão com coração de vidro

A origem da festa de São Valentim

Aparentemente, a origem da festa de São Valentim foi um festival romano de três dias conhecido como Lupercália. Era uma celebração feita em homenagem aos deuses da fertilidade em meados de fevereiro para celebrar o início oficial da primavera.

Durante este festival, havia uma atividade na qual os homens jovens escolhiam o nome de uma mulher ao acaso. Ela deveria ser sua namorada durante o evento, e muitas vezes estas relações acabavam se transformando em casamento. Com a ascensão gradativa da Igreja Católica, um dos objetivos era erradicar estas festas pagãs. No entanto, não foi fácil fazer isso pois elas eram muito tradicionais.

Foi assim que o Papa Gelásio, no ano de 494 da nossa era, associou a festividade ao nome de um santo: São Valentim, e decretou que 14 de fevereiro seria a data oficial para a homenagem. No entanto, não explicou ao certo a qual dos santos ele se referia, pois na época havia três. Um era um romano convertido, outro era um bispo, e o último era um mártir do norte da África.

A biografia do São Valentim mais provável

O mais provável é que o Papa Gelásio quisesse fazer uma homenagem a um mártir do século II da nossa era. Há duas histórias que aparecem associadas a este santo. Uma conta que se tratava de um médico romano que se converteu ao cristianismo e se tornou padre.

Corria o ano de 270 quando o imperador Cláudio II proibiu o casamento de jovens, já que, na visão do soberano, se eles se casassem teriam filhos e não seriam bons soldados. Valentim, o padre convertido, considerou a medida injusta e, por isso, decidiu celebrar os casamentos dos jovens em segredo, desafiando as ordens do imperador.

Cláudio II descobriu o que estava acontecendo graças a rumores que chegaram aos seus ouvidos. Assim, mandou chamar o padre, que aproveitou para falar sobre a sua fé. Aparentemente, ele despertou o interesse do imperador, mas problemas com o governador de Roma acabaram levando-o a ser decapitado.

Representação de São Valentim

Outra versão da história

Outra versão desta história fala do médico convertido em padre que celebrava casamentos em segredo. No entanto, também destaca que, uma vez descoberto pelo imperador, São Valentim foi confinado em uma cela miserável. Ali, conheceu a filha do carcereiro, que cuidou dele durante esta dura batalha.

No fim, São Valentim se apaixonou pela menina, mas foi aí que chegou a ordem do imperador para decapitá-lo. Ele só teve tempo de escrever um bilhete para ela, no qual declarou seu amor e assinou como “Seu Valentim”. Dizem que esta foi a origem das primeiras formas de celebração desta festa, que basicamente se limitavam a enviar bilhetes de afeto entre os apaixonados.

Somente a partir do século XX o Dia de São Valentim consolidou seus traços principais e característicos. Isso teve muito a ver com Esther Howland, filha de um livreiro que ficou fascinada com um cartão do dia de São Valentim. A partir daí, desenhou vários e pediu que seu irmão os incluísse no catálogo em sua viagem a negócios aos Estados Unidos. A ideia foi um grande sucesso.

Em 1913 uma empresa chamada Hallmark Cards, de Kansas City (Estados Unidos), decidiu fazer uma impressão em massa de cartões com mensagens de amor, que receberam o nome de “Valentines”. Desde então, a festividade ganhou as características pelas quais a conhecemos hoje.

Curá, J. M. (2000). San Valentín Country Club. O del equivocado empleo de la forma asociativa mercantil en zaga de una simple historia de amor. Publicado en LA LEY.