Biografia de Wassily Kandinsky: uma vida em torno da cor

Kandinsky foi um artista russo que, desde o início da sua carreira, se esforçou para construir um tipo de arte baseado na cor e na forma pura. Após abandonar as ciências sociais, Kandinsky revolucionou para sempre o mundo da arte.
Biografia de Wassily Kandinsky: uma vida em torno da cor

Última atualização: 22 Maio, 2021

Hoje vamos expor uma breve biografia de Wassily Kandinsky, o primeiro artista a basear a pintura em meios de expressão puramente pictóricos. Wassily abandonou o uso de “objetos” em suas pinturas, antecipando a abstração.

Kandisnky era um artista multifacetado; não era apenas pintor, mas também gravurista e escritor. Em todo o mundo, esse artista russo é considerado um dos criadores da abstração pura na pintura moderna.

Após algumas exposições de vanguarda de sucesso, ele fundou em Munique o influente grupo Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul, 1911-14) e começou a pintar de forma completamente abstrata. Suas formas evoluíram de suas primeiras obras fluidas e orgânicas para trabalhos geométricos e, por fim, pictográficos.

O início da carreira artística de Wassily Kandinsky

Biografia de Wassily Kandinsky na Rússia, sua terra natal

Wassily Kandinsky nasceu em 4 de dezembro de 1866 em Moscou, na Rússia, em uma família rica e multicultural. Sua mãe era moscovita, uma de suas bisavós havia sido uma princesa mongol e seu pai era natural de Kyakhta, uma cidade siberiana perto da fronteira chinesa. Assim, Wassily cresceu com uma herança cultural parcialmente europeia e parcialmente asiática.

Sua família era gentil e apaixonada por viagens. Ainda criança, ele conheceu Veneza, Roma, Florença, o Cáucaso e a Península da Crimeia. Sua mãe tinha uma forte inclinação musical e seu pai trabalhava como comerciante de chá. Eles se divorciaram quando Kandinsky tinha apenas 5 anos.

Wassily mudou-se para Odessa (Ucrânia) para morar com uma tia. Lá, ele aprendeu a tocar piano e violoncelo na escola primária. Além disso, estudou desenho com um professor particular. Desde a infância, ele teve uma relação íntima com a arte. As obras da sua infância revelam combinações de cores bastante específicas, envoltas por sua premissa: “cada cor vive uma vida misteriosa por si mesma”.

Juventude de Kandinsky

Em 1886, ele começou a estudar Direito e Economia na Universidade de Moscou. Mesmo contemplando a arquitetura vívida da cidade e sua coleção de ícones, o jovem continuou a ter sentimentos incomuns em relação às cores.

Em 1889, a universidade o enviou em uma missão etnográfica à província de Vologda, nas florestas do norte. Dessa viagem, Kandinsky voltou com interesse em estilos muitas vezes insanos e irreais da pintura popular russa. Esse interesse não abandonaria o jovem. Nesse mesmo ano, ele descobriu Rembrandt no Hermitage, em São Petersburgo, e continuou sua educação visual com uma viagem a Paris.

Nesta fase, ele sentiu que havia perdido muito de seu entusiasmo inicial pelas ciências sociais, segundo ele mesmo. No entanto, continuou sua carreira acadêmica até concluir o doutorado, em 1893.

No início, ele resistiu à sua propensão para a arte, considerando que ela era “um luxo proibido a um russo”. Por fim, após um período de ensino na universidade, ele aceitou o cargo de diretor da seção fotográfica de uma gráfica em Moscou.

Em 1892, Kandinsky se casou com sua prima, Anna Chimyakina. Logo depois, ele aceitou um cargo na Faculdade de Direito de Moscou, mantendo sua paixão pela arte em segundo plano.

No entanto, dois eventos levaram a uma mudança brusca em sua carreira em 1896. O primeiro ocorreu durante uma exposição de impressionistas franceses em Moscou no ano anterior: foi sua primeira experiência de arte não representativa. O segundo foi ouvir Lohengrin de Wagner no Teatro Bolshoi. Com isso, a vida e a carreira de Kandinsky tomariam um novo rumo, do qual não haveria volta.

O início da carreira artística de Wassily Kandinsky

Em 1896, ao se aproximar de seu 30° aniversário, Kandinsky decidiu desistir da sua carreira de advogado e se mudar para Munique. O idioma não era problema, pois ele aprendera alemão com a avó materna quando criança.

Em Munique, decidiu se dedicar em tempo integral ao estudo das artes, se matriculando na Academia de Artes de Munique. Apesar disso, muito de seu aprendizado artístico foi adquirido por conta própria.

Kandinsky declarou que a obra de Claude Monet foi uma de suas maiores influências. Nas pinturas de Monet, o tema desempenha um papel secundário em relação à cor.

Era como se a realidade e a ficção se misturassem. Esse foi o segredo das primeiras obras de Kandinsky, que se baseava na arte popular e que preservou esse aspecto mesmo quando suas obras se tornaram mais complexas.

Entre 1902 e 1907, Kandinsky mudou-se com frequência. Ele visitou vários países, incluindo França, Holanda, Tunísia, Itália e Rússia, para depois se estabelecer definitivamente em Murnau.

Em suas viagens, pintou uma série de paisagens alpinas entre 1908 e 1910. Sua famosa obra Der blaue Berg (A Montanha Azul), que descreve explicitamente uma visão cênica da natureza através das cores, pertence a esse período.

Ao contrário de outros pintores da época, ele usava as cores na tela de forma extremamente diferente. Ele usava sua paleta de cores com o propósito de expressar emoções, ao invés de oferecer uma descrição da natureza ou do tema.

Biografia de Wassily Kandinsky

Munique e o grupo Blue Rider

Em 1909, ele fundou a Associação de Novos Artistas de Munique, da qual mais tarde se tornou presidente. No entanto, seus pensamentos radicais não condiziam com o de alguns artistas tradicionais, o que levou à dissolução do grupo em 1911.

A dissolução da Associação de Novos Artistas de Munique levou à formação de um novo grupo, O Cavaleiro Azul, desta vez com artistas de ideais afins. O grupo organizou duas exposições e até publicou um calendário anual. No entanto, com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, Kandinsky voltou para a Rússia.

“Entregue seus ouvidos para a música, abra os olhos para a pintura e… pare de pensar! Apenas pergunte a si mesmo se a arte lhe permitiu ‘andar’ por um mundo até então desconhecido. Se a resposta for sim, o que mais você quer?”
-Wassily Kandinsky-

O ano de 1910 foi decisivo para Kandinsky e para o mundo da arte. Naquele ano, Wassily Kandinsky revolucionou a cena artística com a produção de sua primeira aquarela abstrata.

Nesta época, ele publicou o tratado Sobre o espiritual na arte no Blue Rider Calendar, além de promover a arte abstrata e o uso autônomo das cores. Até então, a cor estava a serviço da pintura de forma puramente utilitária, ou seja, servia de complemento para representar um objeto, uma paisagem, etc. Kandinsky abriu o caminho e dissociou esse uso utilitário para dar autonomia total à cor.

Wassily Kandinsky e seu retorno à Rússia

Com o fim da Revolução Russa, o artista assumiu um cargo importante no Comissariado (repartição pública) de Cultura Popular e na Academia de Moscou. Ao retornar à Rússia, ele se envolveu na política cultural russa e contribuiu para a educação artística e reforma dos museus, de 1918 a 1921.

Ele organizou vinte e dois museus e se tornou o diretor do Museu da Cultura Pictórica. Em 1920, foi nomeado professor da Universidade de Moscou.

Focando menos nas telas, dedicou grande parte do seu tempo a transmitir conhecimentos artísticos. Em suas aulas, ele seguia um programa baseado na análise das formas e das cores.

Em 1921, Kandinsky fundou a Academia de Artes e Ciências e tornou-se seu vice-presidente. No final desse ano, a atitude soviética em relação à arte mudou. Suas ideias e sua visão expressionista da arte foram rejeitadas pelos membros radicais do Instituto. Kandinsky foi julgado por seus pares como “distinto demais”, o que o fez decidir deixar a Rússia.

Recepção na Alemanha, período de Weimar

Em 1921, o arquiteto Walter Gropius, fundador da Weimar Bauhaus, convidou Kandinsky para ir à Alemanha. Ele aceitou o convite.

No ano seguinte, começou a dar aulas de pintura para iniciantes e profissionais formados. Kandinsky se dedicou a ensinar sua teoria da cor com novos elementos da psicologia da forma.

Em 1926, ele publicou seu segundo livro teórico, Ponto e linha sobre plano, que detalhava seu desenvolvimento de formas de estudo. O trabalho teve como foco as formas geométricas: triângulo, círculo, semicírculo, linha reta, curvas e planos.

À medida que experimentava com o uso da cor, suas obras sofriam mais mudanças com o tempo. Suas obras desse período destacam-se pelos seus elementos geométricos individuais que abriram caminho para as cores frias.

Em 1933, quando a Bauhaus foi fechada pelos nazistas, o pintor se mudou para a França.

Conheça a biografia de Wassily Kandinsky

Sua permanência na Cidade Luz

Em Paris, ele ficou em um pequeno apartamento enquanto desenvolvia sua atividade criativa. A maioria de seus trabalhos dessa época apresenta composições de cores originais, ocasionalmente misturando areia com tinta para dar uma textura granular rústica. As pinturas de seu período em Paris apresentam cores esplêndidas, uma inventividade e um toque encantador.

“A obra de arte nasce do artista de uma forma misteriosa e secreta. Dele ganha vida e essência. Sua existência não é casual ou inconsequente; há uma força definida e resoluta, semelhante em sua vida material e espiritual.”
-Wassily Kandinsky-

Em julho de 1937, acompanhado por outros artistas contemporâneos, Wassily apresentou sua obra na Exposição de “Arte Degenerada” de Munique. Apesar de a exposição ter sido popular, 57 de suas obras foram confiscadas pelos nazistas.

O fim da biografia de Wassily Kandinsky

O mestre da cor e da abstração morreu de uma doença cerebrovascular em Neuilly-sur-Seine, na França, em 13 de dezembro de 1944. Sua memória, no entanto, permanece viva em sua obra, que sempre será imortal.

Kandinsky ainda é muito admirado por suas pinturas e por ser o criador da arte abstrata. Ele inventou uma linguagem de formas abstratas, com a qual substituiu as formas da natureza.

Na biografia de Wassily Kandinsky, vemos que ele quis refletir o universo em seu próprio mundo visionário. Ele sentia que a pintura tinha o mesmo poder que a música, e que a linha e a cor deviam corresponder às vibrações da alma humana.

Pode interessar a você...
Biografia de Picasso, o pai do cubismo
A mente é maravilhosaLeia em A mente é maravilhosa
Biografia de Picasso, o pai do cubismo

Hoje vamos compartilhar uma breve biografia de Pablo Picasso, um dos grandes pintores da história que continua a ser considerado uma figura influente.



  • Kandinsky, W. (2016). De lo espiritual en el arte. Wassily Kandinsky.
  • Martínez Benito, J. (2011). Kandinsky y la abstracción: nuevas interpretaciones (Doctoral dissertation).
  • Silenzi, M. (2009). El juicio estético sobre lo bello: Lo sublime en el arte y el pensamiento de Kandinsky. Andamios, 6(11), 287-302.
  • Düchting, H. (1990). Wassily Kandinsky: 1866-1944 una revolución pictórica. Benedikt Taschen.
  • García, G. I. (2002). Utopia e ideologia: Kandinsky y la modernizacion del espacio pictorico. Káñina, 26(2), 135-146.